Governadores x Bolsonaro é briga que seguirá no Congresso

A carta de 20 governadores criticando as declarações de Jair Bolsonaro sobre a “culpa” do governo da Bahia no nebuloso episódio da morte do miliciano Adriano Nóbrega vai virar o tom da maioria dos parlamentares, a partir de amanhã, fazendo dueto com a bravata do “imposto zero” nos combustíveis.

Este é ano eleitoral nos municípios e não é hora de arranjar encrenca com o apoio eleitoral dos governadores. Se já influi nas capitais, imagine no interior.

Numa análise realista, sem a “torcida” que se costuma ter na mídia, qualquer projeto que vise a suprimir impostos ou direitos de servidores, é extremamente difícil que as duas pautas governistas – reformas tributária e administrativo-funcional – tenham espaço para aprovação.

O que vai ter, e forte, é gritaria pela fila monstruosa de benefícios encalhados no INSS, que passam de 2 milhões, e pela negativa de concessão do Bolsa Família, hoje com um acúmulo de meio milhão de famílias.

Nos municípios mais pobres, aposentadorias e renda mínima fazem diferença, e muita.

Inclusive eleitoral.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. Será que os que pensam com a barriga ,terão uma atitude coerente com sua condição de eternos depossuídos ????
    Duvido.

  2. Ontem li a entrevista do governador do Maranhão a BBC e fiquei embasbacado.
    Disse o governador que luta por uma união entre LULA o magnânimo e Huck o farsante da “grobo”.
    Pergunto ao eminente governante:-“És ingênuo,tolo ou cochilou na aula de ideologia?”
    Melhor responder aos quilombolas desterrados da base de Alcântara ,né governador?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.