A incrível autodestruição de um país

conf

Há cinco anos começava o processo de autodestruição do Brasil.

Nascia o “padrão Fifa”, triste ironia, da “eficiência” e da “ética” que nos reduziu a um pastiche de democracia, onde uma camarilha de políticos se dedica a destruir o parco estado de bem-estar social que pudéramos construir em uma década.

Os atores mais destacados, os blackblocs, desapareceram no éter: de manchetes, capas de revistas, teses acadêmicas viraram absolutamente nada.

Ficou, das “jornadas de junho”, o que nascia ali e poucos desconfiavam: o processo de radicalização da idiotice, mergulhado na classe média e antipovo  do que qualquer movimento de nossa história recente.

A pseudo extrema-esquerda se reduziu a pouco mais que ele, é um quase nada, serviu apenas para criar uma onda liberticida que nos levou à barbárie em matéria de liberdade artística, sexual, comportamental. Suas “conquistas” foram tornarem-se vítimas de mais discriminação, de mais violência e mais ódio. Mais intenso e, infelizmente, mais disseminado.

A negação da política e a transformação da luta democrática em apenas uma de suas pernas – a afirmação do direito das minorias – em detrimento de outra: a afirmação dos direitos das maioria.

Esqueceu-se que os inimigos da democracia são fortes e muitos mais dos que aqueles se apresentam como defensores do autoritarismo.

É certo que a muitos a compreensão disso chegou. Mas talvez tarde demais, porque agora estão em frangalhos os espaços de afirmação e debate democráticos.

Em apenas 5 anos, o país que se acreditava tornou-se não só desacreditado por todos mas, sobretudo, por nós mesmo.

Agora nossas prioridades são balas, cortes, vendas, demissões, tudo aquilo que, de alguma forma, destrói vidas.

Celebrávamos a vida. Agora, cultuamos a morte.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

3 respostas

  1. Pois enquanto pessoas como o autor dessa linda matéria,CONTINUAREM NO ERRO DE CONSIDERAR ” DEMOCRACIA ” como o supra-sumo das conquistas dos povos,quero arrazoar que a mais famosa DEMOCRACIA dos nossos tempos,a estadunidense,somente se impõe por serem eles,ARMADOS ATÉ OS DENTES,e que vendem aos outros povos,por eles dominados,não existir,”REGIME “melhor.Eu disse,” REGIME ” pois a tão decantada DEMOCRACIA,para a maioria de NÉSCIOS que a saúdam,não passa de REGIME.Não é sistêmica,e os ESPERTOS DA CLASSE DOS RICOS,impingem aos outros,esse sofisma histórico.Os gregos que a inauguraram,eram todos,das CLASSES OCIOSAS DAQUELE TEMPO.Pois os outros,o povo,que seria beneficiário de tal EMBUSTE,desapareceram da história,e não lhes restaram nem os túmulos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.