Não se iludam, é isso o que vírá

A imagem aí de cima, da Igreja de São José, na cidadezinha (menos de 30 mil habitantes) de Seriati, na Lombardia italiana, deveria ser o bastante para afastar um homem que diz que a “gripezinha” não mata e estes corpos são “apenas” frutos malditos da idade e do frio.

Pois é isso, é escandalosamente isso o que virá.

Virá enquanto o Ministro da Saúde, para vergar a espinha ao Psicopata, relativiza a importância de todos nos submetermos ao isolamento, exceto aqueles essenciais para garantir a vida, o alimento e o respeito às normas da quarentena social.

Virá enquanto o Ministro da Economia, em lugar de providenciar rápido os recursos para socorrer quem precisa ficar em casa para defender a si e sua família, nem sequer sabe como fazer chegar a eles o pouco que lhes dará e sugere mandar 40 milhões às agências da Caixa Econômica, numa estupidez sem par. Gasta duas horas de seu tempo, precioso, em videoconferência com “investidores da XP”, aquela da qual Luciano Huck era garoto-propaganda.

Virá enquanto os muares do capitão desfilam pela rua em seus carros fechados, buzinando para espantar pessoas aos matadouros.

Virá enquanto os generais de pijamas que estão aderidos a uma imobilidade e a uma falta de comando criminosas de seu comandante em chefe, o Presidente da República.

Virá, porque até o vice-presidente, ainda que se escafedendo do dever de advertir que é inaceitável o comportamento de Bolsonaro, reconheça que “está havendo uma falta de coordenação das ações”.

Virá, porque estamos vendo isso ocorrer em toda a parte: 900 mortos por dia na Itália e na Espanha, 500 nos EUA, 300 na França e no Reino Unido, todos com estruturas de saúde mais amplas e equipadas que as nossas.

Nada mais importa discutir enquanto não se fizer o essencial: reduzir esta fila de caixões.

Passou muito da hora de agir e repito o que disse ontem: é preciso desobedecer todas as ordens irresponsáveis de Jair Bolsonaro e não ir à rua o máximo que pudermos e isso significa suspender as demissões, organizar a distribuição de gêneros essenciais, proteger nossas equipes médicas com equipamento e sistemas de desinfecção especiais, operados pelas Forças Armadas.

E preciso, sem eufemismos, dizer com clareza o que virá e fazer tudo o que pudermos para que não venha com a força macabra daquela imagem que abre este texto.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. Não virá não .. como esse grupo bem sabe fazer desde os anos 70 pela MENINGITE, bem provável que aqui estes dados não se confirmem, bastando pra tanto fraudarem as estatísticas (o que, aliás, tudo indica, já vem fazendo).
    No mais, todos que morreram e morrerão, já tem um diagnóstico certo na boca do capetão, MORRERAM porque estavam VIVOS, oras.

    1. Tem um médico que é amigo do meu irmão, desde os tempos que estudaram o segundo grau juntos, que sempre diz: “Para morrer basta estar vivo”!

    2. Tem um médico que é amigo do meu irmão, desde os tempos que estudaram o segundo grau juntos, que sempre diz: “Para morrer basta estar vivo”!

    3. Acho que estão fraudando as estatísticas porque a médica pneumologista da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, alerta que “estão ocorrendo mortes por coronavírus sem diagnóstico na rede pública”. https://www.ocafezinho.com/2020/03/27/pneumologista-da-fiocruz-nao-ha-alternativa-ao-isolamento-radical/ E lá em MG estão investigando excesso de corpos em funerária e cogitam exumação para testar coronavirus. A Funerária recebeu 41 cadáveres em 48 horas. https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,minas-investiga-excesso-de-corpos-em-funeraria-e-cogita-exumacao-para-testar-coronavirus,70003251680

      1. Agora eles inventaram aqui o lero-lero de informar as mortes causadas pelo corona seguindo o protocolo.
        Até os cachorros nas ruas de MG sabem que quando o Aécio estava no poder, ele em conjunto com os militares fraudavam as estatísticas da criminalidade, o que mais tarde virou propaganda do governo do mineirinho vagabundinho.
        Aqui, estão morrendo sim, porém, enquanto o exame do indivíduo não fica pronto, eles não divulgam.
        Se internar o sujeito com todos os sintomas, o medico manda fazer o exame, o sujeito morre no dia seguinte e o exame não ficou pronto, a causa da morte é MORTE MURRIDA!

  2. Sexta feira os carros começaram a fazer barulho aqui perto. A sensação foi de derrota, de que o tiro que Bolsonaro disparou contra o Brasil funcionou. Estas duas semanas, uma de preparo e outra de isolamento, vão se refletir no número a semana que vem e da próxima, atrasando um pouco as projeções ruins. O paradoxo é que estes números menos ruins servirão de incentivo para os loucos, de modos que quanto melhor formos, pior iremos. “Antes tarde do que nunca” não está valendo, o bom senso precisava ter prevalecido ontem, mas mesmo assim se Jair ficasse em silêncio, mesmo que daqui pra frente, ainda seria uma atitude de valor inestimável.

  3. No Brasil os testes só estão sendo feitos em quem está internado. Não testam quem tem os sintomas, por isto os números ainda tão baixos. Vai ser uma pequena epidemia nos números oficiais e uma tragédia na nossa vida. Ou alguém acredita neste sinistro da saúde?

  4. Está difícil para muitos, delimitar a fronteira entre alerta e terrorismo. Não vou me estender, mas só quero dizer que, se a pandemia não matar como está sendo anunciado, o Bozo sairá dessa até fortalecido. E atirando na oposição, que levará a culpa pelo fracasso da economia, por ter sabotado o país.

  5. Não há dúvida, virá queiram ou não!
    A impressa tem que estar atenta para detalhar tudo de cabo a rabo.

  6. É necessário e urgente que o governo comece a distribuir cestas básicas a população pobre e aos trabalhadores informais para que estas pessoas consigam permanecer sob quarentena.

  7. Não acredito que será como nesta imagem.
    Estou prevendo corpos empilhados para serem incinerados.
    Esta imagem está muito civilizada para ser no Brasil.
    Não se esqueçam de que vivemos em um país neo-medieval.

  8. Está difícil para muitos, delimitar a fronteira entre alerta e terrorismo. Não vou me estender, mas só quero dizer que, se a pandemia não matar como está sendo anunciado, o Bozo sairá dessa até fortalecido. E atirando na oposição, que levará a culpa pelo fracasso da economia, por ter sabotado o país.

    1. E mesmo que matar uma infinidade.
      Não temos estatísticas confiáveis, não temos kits de testes, não temos nada.
      Portanto, morrerá exatamente a quantidade de gente que o governo disser que morreu e as redes sociais, dominadas pelos criminosos, confirmarem.
      Se a realidade não se enquadra, dane-se a realidade.

    2. E mesmo que matar uma infinidade.
      Não temos estatísticas confiáveis, não temos kits de testes, não temos nada.
      Portanto, morrerá exatamente a quantidade de gente que o governo disser que morreu e as redes sociais, dominadas pelos criminosos, confirmarem.
      Se a realidade não se enquadra, dane-se a realidade.

  9. Não virá … pobres são enterrados em valas e o sistema judicial impedirá a abertura pelos próximos séculos… se vier.

  10. Os numeros, como tudo nesse desgoverno, sao claramente mentirosos! Tem muito, mas muuuuito mas do que isso! Acho que de cinco a dez vezes mais. Tenho pra ilustrar um caso muito proximo, de uma pessoa que ha 3 dias tem todos os sintomas, todos, mas foi aconselhado pelo orgao publico a ficar em casa porque o caso nao eh grave! Imagina os milhares de casos como esse que estao acontecendo no Brasil. Isso significa que, estando ele com Covid, nao entra em estatistica alguma. Vi uma entrevista na bobonews com uma das medicas que coordena o ministerio da saude, e ela disse que em ALGUMAS SEMANAS chegarao os testes, provavelmente em abril… Nao existe a menor possibilidade de termos menos de 20 mil casos neste momento. Viram a reportagem do estadinho sobre a funeraria de Bh???

    1. É um problema estrutural do blog. Mude, no seu navegador, o protocolo de HTTPS para HTTP, aí a imagem aparece.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.