O charlatão contumaz

Em propaganda, é conhecida como “testemunhal” a peça que se serve de uma personalidade conhecida para dar credibilidade a um produto. Portanto, o vídeo de Jair Bolsonaro tomando um comprimido de hidroxicloriquina pode ser considerado, na prática, como um “comercial” do suposto “remédio” para a Covid-19.

Não é a primeira vez que Bolsonaro se presta a este papel. Anos atrás, também contra todos os indicadores científicos, fez campanha – e um projeto de lei – para que a fosfoetanolamina, aquela “pílula do câncer” que, anos atrás, iludiu tantas pessoas de boa-fé e apiedadas de quem sofria com a doença.

Ao dizer que “eu confio na hidroxicloroquina, e você?”, Bolsonaro está claramente praticando o crime de charlatanismo, prometendo meio de cura sem capacidade para isso.

Mas ninguém mais liga para isso, de tão acostumados que estamos à insânia presidencial.

Um dia, os historiadores cuidarão desta fase da história contemporânea como “era da loucura”, algo comparável aos delírios das multidões com o fascismo nos anos 30.

Como então, servem-se da angústia das massas, oprimidas por uma crise econômica persistente e, agora, por uma peste contra a qual não se tem reação possível senão a disciplina social.

Justamente por isso a “solução milagrosa” se torna tão importante.

O milagreiro, afinal, precisa de um suposto “milagre”.

O que está acontecendo é apenas mais do mesmo: o Bolsonaro Messias, o salvador, um Moisés que acena com a terra prometida.

Mas, o contrário da história bíblica, não se abrirão as águas do Mar Vermelho e veremos afogar-se o falso profeta que virou o Jim Jones do século 21.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Nesse caso quem deveria ser enquadrado na lei de segurança nacional é ele e não o jornalista da “Falha”.

  2. O charlatão, tal qual o Flautista de Hamelin , arrasta o Brasil rumo às trevas…
    Quem irá deter a marcha da insanidade ?

  3. “Mas, o contrário da história bíblica, não se abrirão as águas do Mar
    Vermelho e veremos afogar-se o falso profeta que virou o Jim Jones do
    século 21.”
    Que oxalá, odin, os deuses do olimpo, que Alá, Adonai ou Jeová, que Tupã, Cristo ou Buda transformem em ato consumado esta epifania proferida em tom de profecia.

  4. Dá para acreditar que ele pegou a doença agora? Dá pra confiar nesse verme? Ele levou meses para mostrar os testes que disse ter feito em Março; quando apresentou, vieram com pseudônimos. Davam negativos, agora apresenta teste positivo, com o nome verdadeiro. O hospital dessa milicada golpista sem vergonha está aí para isso mesmo; não é a primeira vez na história que milico se envolve em laudos médicos falsos, para esconder torturas e assassinatos, é a mesma corja ideológica saída dos porões do passado.
    Alguém acredita que ele curou sua doença, em 24 horas, depois de ingerir cloroquina? Nem os mais ferrenhos defensores dessa droga para tratamento defendem efeito imediato tão milagroso. Isso tá com todo cheiro de operação diversionista, partindo de sociopatas genocidas sem nenhum apreço por vidas humanas.
    Assistam o vídeo e reflitam ? https://youtu.be/qpQK67KVG6Y

  5. diante de tanto desamor e deshumanidade das pessoas no BRASIL e no mundo acho que merecemos o que estamos passando. Eleger ou deixar eleger para presidente do país uma pessoa inescrupulosa e mentirosa como o bozo mostra que merecemos.

  6. “… para que a fosfoetanolamina, aquela “pílula do câncer” ” Para quê? Para que se produzisse e comercializasse um “medicamento” sem nenhuma comprovação científica. A Mídia golpista ajudou, a Dilma, acuada, sancionou a Lei.
    Logo depois se comprovaria que não tinha nenhuma eficácia.

  7. Também não acredito que ele “pegou” o Corona19. Quem foi capaz de encenar uma facada falsa, pode encenar qualquer coisa. Tudo falso, gente!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *