A “queima de arquivos” digital

Se ainda acha, pare de achar que o Brasil é um país “normal”.

Não é, nunca foi e, de tempos para cá, “normalizou o anormal”.

Fosse e não estaríamos metido nesta loucura de ter, em pleno século 21, um governo que é um mix do pior do udenismo dos anos 50 com o autoritarismo dos 60/70.

Sérgio Moro estaria afastado do Governo – nem teria ido para lá, aliás – e os processos da Lava Jato estariam sendo objeto de auditoria e saneamento pelos tribunais superiores.

Por certo, fôssemos um país normal, não haveria na imprensa colunistas importantes louvando o que chamaram de “dribles” do ministro aos senadores ontem, mas condenando o fato de não terem sido dadas respostas objetivas sobre os supostos diálogos, alegando que “não se lembra”, ao mesmo tempo que concentra toda a questão no tal “grupo organizado” de hackers.

Se há grupo organizado de hackers, isto é assunto da Polícia Federal que Moro chefia e dos procuradores que repetem seu discurso.

E que, ao contrário de preservarem as contas que, supostamente, haviam sido hackeadas, apagam o aplicativo de mensagens, “desavisados” de que, com isso, estariam destruindo a prova do crime de que dizem estarem sendo vítimas.

É como alguém dizer que está sendo chantageado e que destrói a carta pela qual estaria sendo feita a chantagem.

Mas fizeram e não foi por ingenuidade, mas por medo do que estava gravado ali.

Não é preciso ter provas de que as mensagens foram adulteradas, ainda mais quando provariam que não.

E, como estamos num país anormal, sua atitude anormal é tratada como se fosse algo “normal”. Ninguém lhes pede explicações por terem feito o inexplicável.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. Irretocável! Parabéns Fernando Brito por manter-se sempre longe da insanidade geral sempre perto da simples e agora tão rara verdade factual e da razão.

  2. Esse banditismo institucional era coisa de cidadezinha do interior, onde se praticava o “para os amigos tudo e para os inimigos a lei”. Hoje não se tem mais vergonha, infringe a lei na cara dura.

    1. Eudes Silva, o pior é que para os inimigos é a lei, se o inimigo puder ser enquadrado pela lei. Entretanto se esse enquadramento não for possível, eles mudam a lei ou interpretam a lei do modo que lhes é conveniente e terminam por condenar o inimigo! Contra Lula, por exemplo, não foi aplicada a lei, mas sim mudaram a lei ou a interpretaram de um modo distorcido para que ele pudesse ser condenado. Ou seja, um verdadeiro banditismo judicial com a cumplicidade ou a condescendência de todas as instâncias do Judiciário e do Ministério Público Federal. É um verdadeiro show de horrores que estamos vendo no Brasil, em praticamente todas as instituições e alcançando toda a sociedade, de alto a baixo. Situação difícil, muito difícil, mas ainda assim acredito que é possível ser sanada.

      1. Existe um acordo tácito para que a classe trabalhadora não volte ao poder. Vale tudo, principalmente mentiras.
        A classe dominante e seus capachos militares secundada por uma classe média puxa saco farão de tudo para impedir Lula de voltar a organizar o povo.

  3. Cometeram o milésimo crime da lavajato.
    São especialistas em ilegalidade.
    Mas tira qualquer dúvida dos crimes que aló estavam registrados.
    E que virão pelo Glen.

  4. Estão desesperados e descontrolados. Batom na cueca é pouco. Quem recebeu prêmio maior do Jornalismo mundial já tomou suas precauções e as provas certamente estão guardadas e seguras. A vergonha de quem os apoiou é evidente mas não dao braço a torcer. O que os está matando é a divulgação conta gotas.
    O ministro se tivesse senso ja deveria ter pedido demissão.

  5. Pior do que viver sob uma ditadura é ter que suportar esta farsa em que se envolveu todo o Judiciário para esconder o fato de que quem está dando as ordens neste país são os capatazes de Donald Trump.
    Isto é ridículo!

  6. Não tenho conta no Twitter, mas caso alguém tenha, peço encarecidamente que mande o Villas-Boas à merda caso ele se manifeste.

    1. Eu já sou totalmente a favor de se mandar Villas-Boas, Augusto Heleno, os Clubes Militares, os milicos de pijama e um sem número de milicos da ativa, SOLENEMENTE À MERDA. Esses imbecis não são brasileiros, são canalhas e quinta-colunas a serviço de sabe-deus-quem, embora a gente saiba quem…

  7. Tem momentos que acho que o Brasil virou um inferno e que o demo trancou e jogou a chave fora.
    Essa atitude dos procuradores e do Moro só confirma que tudo que o Intercept e publicou e publicará é verdadeiro. E quem finge que duvida é iguaizinhos a eles.
    Estamos nas mãos do demo e seus filhotes adestrados.
    Valha nos Deus!

  8. É péssimo isso, saber que o país é anormal. Se ele é anormal, e tudo indica que é, então a récua de senadores que se manifestam como se fossem crançolas deslumbradas com a possibilidade de falar tolices em grande estilo, seriam o fino da normalidade. O jornal com café da Bandeirantes, por outro lado, mostrou enfaticamente, assunto por assunto, as respostas tonitruantes de Moro. E nada falou das perguntas da oposição. Não mostrou sequer uma perguntinha. A conclusão a que se chega é que as respostas e a gesticulação de Moro não se destinavam aos senadores, mas às câmeras, visando as edições dos jornais do dia seguinte. O que menos lhe interessava eram os senadores.

  9. Oras, basta o intercepto mostrar o COLOSSAL arquivo de audio e video que aformar ter…..por que ainda não o fizeram??????? Ninguem os questiona? Esse papo furado que é por questões legais depois de suas semanas não cola mais…….passou da hora de calar a boca dessa turma com o material mais explosivo que eles podem revelar…….perderam o time…….o stf que se assustou e correu para pautar o hc de Lula já está repensando em não julgá-lo, por que o escandalo esfriou, ninguem vai ficar de braços cruzados meses esperando as revelações daquele site……muito menos os envolvidos….

  10. Estes procuradores são tão bandidos quanto o “super-homem justiceiro” criado pela Rede Esgoto de Televisão e Desinformação.

  11. O único objetivo é destruir as provas dos crimes que eles próprios cometeram, que estão no servidor do Telegram. É provável que tenham reconfigurado a auto-destruição dos dados para 30 dias. Assim, é urgente que seja pedido acesso aos arquivos do Telegram antes que se apaguem os dados.
    A configuração padrão para destruição de dados no Telegram é de 6 meses, mas pode ser reconfigurado para qualquer período entre 30 dias e 1 ano. É óbvio que reconfiguraram para 30 dias.
    Eles insistem com a história do hacker, que não provam, e que se existir seria foco de outra investigação, sem ligação nenhuma com as informações que revela.
    Primeiro tentaram negar que estas mensagens fossem reais, ao ficar evidente que era tentaram a lorota de que as conversas teriam sido editadas. Desafiados a provar, mostrando os originais, destroem as provam, no que cometem outro crime, o de obstrução da justiça.
    Quando aparecerem os áudios pedirão uma perícia do Palhares para negar sua autenticidade?

  12. Ninguém poderia estar contando com os dados do Telegram, era evidente que dariam uma desculpa esfarrapada e excluiriam tudo. Inclusive o início da destruição de provas se deu antes da divulgação do Intercept, pois a Globo tratou de avisar todos após receber a visita do Greenwald. Agora, o Telegram com certeza tem log do que acontece com ad contas e isso não é apagado. Pir exemplo: em determinado horário Moro e Dallanhol estavam conectados? Enviaram mensagens? Para quem? As contas foram excluídas nas datas que estão dizendo? Telegram só exclui o conteúdo a pedido dos usuários, mas a log nunca é excluída, até para se defenderem de acusações. Dá para cruzar muita coisa com
    as divulgações do Intercept e a log do Telegram. Mas quem irá pedir essa log? Teria que ser de todos os citados no The Intercept.

  13. Minha percepção me diz que o posicionamento de Moro diante das revelações do Intercept é o fator virada, que já começou a acontecer.
    As desculpas de Moro não vão colar. Aceitá-las seria transformar a imparcialidade de qualquer juíz em direito adquirido.
    Muitos morominions, inclusive famosos, já abandonaram Moro e não vão voltar atrás.
    Muitos coxinhas e pobres de direita já haviam percebido que tinham pego o bonde errado, mas não sabiam como descer. Agora, eles têm um argumento válido para mudar de lado sem se envergonhar, já que Moro enganou muita gente.
    Só permanecerão ao lado de Moro aqueles que têm grandes interesses nesse governo e os bolsominions milicianos ou com índole de miliciano, que apreciam tudo quanto é tipo de falcatrua.

  14. Apagar mensagens… Coisa inexistente. Você apaga do seu, o outro apaga o seu, mas, o perfil, mesmo apagado, deixou tudo bem longe, num bunker digital,com o DNA gravado em camadas magnéticas e codificação digital.Só sai por ordem judicial ao detentor do sistema.

  15. Logo que explodiu o escândalo os envolvidos deveriam ter sido presos para evitar exatamente isso: a destruição de provas.

  16. Fernando, num país que elegeu algo como o bolsonaro, você se admirar do anormal? Multiplicaram por menos um, meu bom amigo. E como diz o grande Martinho: “só quando essa onda passar.” Né não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *