Ainda é “normal”, Dr. Moro, a sua “ação entre amigos”?

Não é preciso detalhar aqui os diálogos revelados nesta nova leva de transcrições do The Intercept, agora em parceira com a Folha de S.Paulo.

As conversas, constrangedoras, dispensam o trabalho de serem avaliadas sobre se isso é ou não um “relacionamento normal” entre juiz e promotores.

Até articulação política com o Movimento Brasil Livre, o do Kim Kataguiri, Sérgio Moro pede que Deltan Dallagnol faça, para “amansar” as agressivas manifestações diante da casa do mhje falecido ministro Teori Zavascki. do STF, que tivera a “ousadia” de proferir uma decisão contrária ao “deus” de Curitiba.

Mais nada é necessário para comprovar que formavam, Moro e promotores, uma quadrilha para violar o andamento normal de processos judiciais.

Mais nada, embora muito ainda vá surgir neste mar de lama a conta-gotas que vai aparecendo.

Afora do bolsonarismo explícito, não haverá de onde mais possa surgir condescendência com as violações praticadas nos processos de Curitiba, ainda que contra Lula, muitos estejam dispostos a tolerar transgressões.

Mas não além de certos limites, os que não os coloquem em risco de serem apontados diretamente como cúmplices.

É, também, algo importantíssimo que um grande jornal brasileiro tenha entrado na questão e subscrevendo, ainda que isso não fosse necessário, o trabalho de investigação da equipe de Glenn Grenwald.

A história do hacker, não só duvidosa quanto irrelevante jornalisticamente frente ao que está sendo revelado, recebeu um golpe mortal com esta parceria.

Nós, jornalistas, deveríamos aplaudir de pé a atitude do The Intercept, que percebeu que o que tinha nas mãos transcendia a capacidade de um valente site de reportagens levar adiante o combate pelo conhecimento da verdade, como eles proprios dizem, ao explicar a parceria:

Nós sabemos que não é comum que os jornalistas compartilhem seus mais importantes furos com outros meios de comunicação, preferindo reportá-los por conta própria. Mas nós vemos o arquivo fornecido por nossa fonte como um bem público crucial, que pertence ao povo brasileiro, não apenas a nós.
Decidimos compartilhar esse material com outras redações e jornalistas – e hoje anunciamos a Folha – porque nossa prioridade é informar o público da maneira mais confiável, justa e completa sobre o que esses funcionários públicos – que até ontem movimentavam um grande poder nas sombras – faziam quando acreditavam que ninguém jamais descobriria suas ações.

Nos próximos posts, vamos tentar ampliar o contexto e o alcance de cada um dos momentos de promiscuidade revelados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

30 respostas

    1. Combinando versões ou recebendo instruções do Deptº de Justiça dos EUA que não previam a #VazaJato? Com certeza é mais alguma ação criminosa destes dois gângsteres.

      1. Minha opinião é que eles foram perguntar, como ficam as PORCENTAGENS DAS PALHAÇADAS que fizeram contra o BRASIL e as instituições….

  1. A família de do ex ministro do STF , Teori , deverá ficar atenta e contratar investigação internacional sobre o ” acidente ” de avião em que estava . No seu lugar entrou o dócil Fachim . Tudo a ver .

    1. Realmente tem tudo a ver já que Fachin é do Rio Grande do Sul, mais se formou na Universidade Federal do Paraná. E era ele o sucessor natural de Teori. Seria muito oportuno para o pessoal da Lava-jato tê-lo substituindo Teori até pelas suas raízes.

      1. Retificando: soube lendo um dos comentários aqui do blog que Fachin não era sucessor natural de Teori. Segundo o comentarista foi feito um arranjo para ele assumir a relatoria. Estou vendendo o peixe pelo mesmo preço que comprei.

  2. Caro Brito, discordo. Greenwald sabe que pregar para convertidos é chover no molhado. Usando canais por assim dizer “coxinhas” a Vaza Jato atingirá justamente quem está precisando repensar seus conceitos. Parece uma traição com quem, como você, ao longo desses anos manteve os pés no chão e não se deixou seduzir pelo canto da manipulação ideológica. Mas dessa forma reverte-se recalques de forma mais eficiente.

  3. Pois eu,não creio que AS OTORIDADES INCOMPETENTES ,POR CUMPLICIDADE COM SEUS “DEUSES”,os ricos desse pais,avancem mais na divulgação de atos criminosos,perpetrados pelos CRIADOS OBEDIENTES,cujo principio maior, é proteger o lucro dos ricos.E naturalmente,reservar lugar,para suas mãos,nos TESTICULOS DOS RICOS.Sei que é incredulidade,mas não creio em CUMPLICES DE CANALHAS.

  4. Ainda estão faltando os tais áudios. Quero áudios. Quero Moro totalmente desmoralizado, no Mundo Inteiro. Quero que outros direitistas, como Reinaldo Azevedo, se dobrem e digam “Havendo Lei Lula deve ser Solto”. Glenn, solta logo esses áudios. Basta. Lula Livre, liberte o Brasil.

    1. Já pensou, o Brasil e o mundo todo…escutar aquela VOZ DE GRALHA que ninguém consegue imitar…ai vai ser o fim do BOLSOMORO e cia….kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    2. O unico inclinado e aliado a direita que apresenta algum caráter é Reinaldo Azevedo, que ja condenava a lava-jato a bastante tempo. Ele mesmo já afirmou que Lula deveria ser solto, ja que não há provas cabais de sua culpa

      1. Não creio que haja tanto “caráter” assim no caso. O motivo é que o articulista foi alvo de alguns “xiitas” do MPF e PF que, no afã de atingir Andreia Neves, grampearam e difundiram o áudio de um telefonema entre eles, que tornou público ser a empresária uma das fontes do “jornalista” na época do golpeachment. Azevedo ficou furioso e, desde então, teve uma “epifania” quanto à legalidade das ações espetaculosas da PF. Parece-me mais um caso de dor de cotovelo que de caráter. De toda forma, ele é inteligente, prefiro que esteja escrevendo contra a República de Curitiba do que a favor. Mas não me iludo com ele.

    3. Pois eu acho que não precisamos de mais nada. Aliás, precisamos sim de vergonha na cara. O que já tem é mais que suficiente para resgatarmos Lula do sequestro sofrido. Quem ainda espera mais, está na verdade diminuindo os crimes já revelados.

  5. Ficou claro que Moro era o coordenador do processo de acusação na Lavajato. Não atuava como juiz e sim como acusador. Tudo indica que isso ficará cada vez mais evidente nos diálogos. Dalagnol lambia as botas dele. Agora, o que complica mais ainda a lisura da operação são as referências negativas que Deltan e Moro compartilharam nos diálogos quanto ao ministro Teori. A reclamação de Moro quanto a lambança da Polícia Federal soou como reprimenda e não somente como crítica. Tudo indica que ele tinha domínio ou influência sobre a instituição ou agia em conluio com os agentes ou no mínimo influenciava na atuação deles. Recordemos as operações espetaculosas da PF. Na Lava-jato investigador, acusador e juiz atuavam em conjunto. Se a PF estava atuando em conjunto com Moro e Deltan pode muito bem ter resolvido remover do caminho o único e mais forte obstáculo a operação. Diante deste contexto, digo que as investigações da Polícia Federal sobre a morte de Teori são altamente suspeitas. De outro ângulo, Moro vive viajando para os EUA. Inclusive foi visitar a CIA com o capitão. Erro crasso. Seria interessante pesquisar quantas vezes e em que ocasiões e fases da Lava-jato ele viajou para lá. Em minha opinião, tanto a PF quanto a CIA são suspeitas pela morte do ministro Teori. Que os ministros bem intencionados do STF fiquem atentos porque se a moda pega decisões judiciais poderão vir a colocar sempre a vida deles em risco. Aliás, decisões judiciais poderão vir a colocar em risco a vida de qualquer magistrado fragilizando o Poder Judiciário até a medula.

  6. Fernando: estou cada vez mais convencido de que o Teori foi vítima letal de uma armação dessa turma!

  7. Não quero parecer chato a esta altura dos acontecimentos mas é preciso ir à causa últimas das coisas. Primeiro discordo da opinião de Glenn Greenwald de que a cobertura da Folha se mostrou independente e mais ainda crítica da “operação” LJ. A cobertura da Folha durante todos esses anos de “operação” não foi uma exceção mas a regra que confirma a parcialidade, o partidarismo, o viés laudatório e as relações simbióticas que se estabeleceram entre a “operação” e a Grande Imprensa. E aqui não existe direito à distração e menos ainda à ingenuidade. Foi mesmo nas páginas de que jornal que o MBL ou o VPR fizeram sua estreia, quem deu o ar de respeitabilidade a esses “milicianos”? Nas páginas de que jornal o corretor de bula papal, de sentenças dos tribunais “superiores” e o criador do termo “cristão-novos”, quero dizer, petralhas, iluminava o caminho do novo e redimido país? Quem confunde oportunismo com pluralismo, confunde também liberdade de emprensa com liberdade de impresa, censura à imprensa com regulação dos meios de comunicação. Segundo, alguém realmente acredita que a força e a liberdade de ação do dito tribunal de exceção apareceu e se desenvolveu de forma espontânea e autônoma? Mais uma vez aqui a distração ou a ingenuidade é um crime, mais um, imperdoável. O clima inquisitorial que vem destruindo a nação não é obra do tal santo tribunal e de seus santos oficiais e ofícios. É uma construção cuidadosa e incansável da Grande Imprensa, do Mercado e de seus Cardeais na Política e nas Instituições, o famoso consórcio golpista, a judicializaçao da Política e a participação e espetacularização da Justiça antecedem a tal operação e seu tribunal de exceção.

  8. “vamos fazer tudo que for necessário para te defender…”. PASMEM, frase de um procurador da república, do órgão acusador, para o juiz do caso, é uma promiscuidade nunca antes vista no sistema de justiça brasileiro, escancarado para todos que quiserem ver. Trata-se de um conluio, não é assim que faz justiça, o que foi feito do devido processo legal? Foi jogado no lixo por essa quadrilha.

    E mais, o juiz, preocupado com a reação do STF frente às manifestações contra Teori, por meramente aplicar a lei, pede ao procurador – seu pupilo e defensor – que entre em contato com os manifestantes para acalmar os ânimos. Escárnio total!

    Não é possível que nada aconteça com essa gente, no mínimo, já deveriam ter sido exonerados de seus respectivos cargos. A prisão seria o segundo passo.

  9. O poder corrompe e a certeza da impunidade faz com que cuidados sejam dispensados, e em determinado momento um cataclismo, por que a natureza não se verga, expõe toda a podridão dos túmulos caiados…
    VAMOS PASSAR O BRASIL A LIMPO, DENTRO DA LEI, COM RESPEITO E ALTIVEZ!

  10. Eu parabenizo a fonte anônima por tamanha atitude patriótica. ainda que não tenha a estatura de Snoden

  11. Aguardamos a prisão preventiva pelo menos do chefe da quadrilha, o marreco de Maringá, um mentiroso contumaz como todo bom criminoso.

  12. Quando moro e sua quadrilha será presa?
    Destruiu a noção mínima de justiça, destruiu empresas e soltou seus dirigentes corruptos (em troca de uma fundação pró lavajato), vendeu o país, e ainda vendeu o pa´si e constrangeu o stf e cnj.
    Quando teremos o mínimo de democracia que começa com estes bandidos na cadeia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *