Bolsonaro, sem pesos nem medidas na demagogia

Jair Bolsonaro disse que vai “implodir o Inmetro”.

Pode ser até que seja um populismo primário, misturando história de tacógrafos – que os táxis não precisam ter – com a renovação gradual dos taxímetros, provocadas por mudanças tecnológicas – os sistemas e freios ABS, agora obrigatórios, implicaram mudanças em sensores da caixa de marchas, para evitar fraudes.

Mas, como adverte Luís Nassif, no GGN, é um caminho aberto para lobbies e fraudes no mecanismos de certificação.

O Inmetro é um órgão onde nada se decide sem passar por câmaras de técnicos, colegiadas.

Suas funções vão muito além de aferir taxímetros.

A conformidade de quase todos os produtos industriais brasleiros e a segurança que eles oferecem ao consumidor são essenciais e há mais de 20 anos, ainda no governo Fernando Henrique, ele passou a atestar níveis de eficiência em todos os equipamentos térmicos e elétricos.

É isso que Jair Bolsonaro diz que vai explodir.

O coronel do Exército que ele está pondo lá pode até ser capaz tecnicamente e um homem honrado.

Mas não tem mais a liberdade de decidir apenas com a boa técnica.

A medida, agora, passa a ser a dos interesses feridos.

E a dos apetites incontidos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Isso é pura BOLSO-BASÓPHIA.Com PH.E o bando de trouxas,continua quieto.COMO CACHORROS,OLHANDO VARAL DE LINGUIÇAS.

    1. A intenção deste pessoal nunca foi transformar o Brasil em uma potência. A única intenção é ir para os EUA.

  2. Esse sujeito tem que ser apeado do governo urgentemente. E não estou falando de “impeachment”, e sim da ANULAÇÃO das eleições fraudadas. Isso só vai acontecer com muito luta. A esquerda, iludida como sempre, prefere esperar sentada até as eleições de 2022.

      1. Na verdade, Flavio, se anular A ELEIÇÃO, tanto o capitão quanto o Mourão perdem o cargo. Aí tem que marcar imediatamente novas eleições. Que tal?

      2. Não há a mínima possibilidade de anulação. Teremos de ir para a solução Mourão, que nunca poderia ser tão danosa quanto o desastre bolsonariano. Mourão significa um risco, mas Bolsonaro significa uma certeza. Certeza de completo desastre para o país. Mas antes, o Mourão precisa pedir que retirem sua imagem da convocação do “Foda-se” do Heleno contra o Congresso Nacional.

  3. Exame psiquiátrico e dependendo do resultado e se a CF abordar o assunto, afastamento. Ou impeachment. Mas como ele é um homem de recuos, esperemos. Aliás, a expressão “recuar” significa “andar em direção ao cu” e “ficar acuado” significa “ficar com o cu contra a parede” (Royalties para o jornalista e professor da Cásper Líbero Luiz Costa Pereira Jr. em seu livro “Com a
    língua de Fora” que trata da origem de diversas palavras e seu contexto).
    Usei o exemplo pois está de acordo com o psicopata e seu ministério “foda-se”.

  4. Se o coronel for homem honrado ele inventa uma desculpa de ultima hora e diz q nao vai poder assumir o cargo

  5. Sabe Brito, quanto ao INMETRO, tanto vc como o Nassif, podem estar enganados, digo isso porque a associação que represento,foi obrigada a mover uma ação judicial contra o órgão , por ignorar todos nossos alertas sobre barreiras técnicas existentes nas normas ABNT de laminado a quente de ferro e aço.
    Graças ao INMETRO , o ferro de construção brasileiro, é o único no mundo com certificação compulsória, e o mais interessante é que a norma técnica que o rege contém barreiras que nem mesmo o cartel do aço consegue superar.
    Apesar das provas, nossa ação anda ha anos a passos de cágado, desconfiamos que o judiciário faz vista grossa.
    Se tiver interesse poderemos fornecer mais detalhes, pois tem muito haver com desindustrialização.

  6. Qualquer medida que renda dois centavos de simpatia de qualquer grupo profissional, e que não implique em nenhum gasto, será adotada sem pestanejar, mesmo que exponha a risco a fiscalização de setores-chave da máquina econômica. E será mais um importantíssimo espaço da administração pública a ser ocupado por um militar. Ele acha que os militares são naturalmente qualificados para toda e qualquer função da vida pública.

  7. Demagogia seletiva de um “mandatário” que apenas obedece ordens de uóchinton. Os ZUMBIS acreditam que isso é governar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *