“Dudu” na Embaixada?Não achem que é só um “factóide”

Não creio que seja apenas um “balão de ensaio”, um mero factóide, a indicação de Eduardo Bolsonaro para ser o embaixador brasileiro em Washington.

Pode até ser que recue, caso realmente seja inviável que o Senado aprove o seu nome, resistência na qual não acredito nem por um minuto.

O garoto do hambúrguer é duplamente adequado – claro que não para o Brasil – para o governo Bolsonaro e para o governo Trump e desde cedo – como observa o colega Leandro Fortes no Facebook – o presidente norte-americano viu utilidade na sabujice do filho 03, tanto quanto na de seu pai.

As supostas “criticas” de Olavo de Carvalho à escolha, dizendo que melhor faria Eduardo se ficasse aqui para “combater o Foro de S. Paulo” – ou seja, os partidos e movimentos de esquerda – é apenas um despiste.

O filho presidencial, indiretamente, pode e vai contribuir para que flua o dinheiro para movimentos de direita aqui, o que, para nós, não é novidade desde os tempos do pré-64, com o Ipes e o Ibade.

Não se iludam com a ideia de que temos “um governo de malucos”, simplesmente, mesmo que haja, de fato, loucos em grande número.

É um esquema de dominação colonial que, por definição, é inspirado e tem seus cordéis presos à metrópole.

E as instituições “republicanas”, corrompidas até a medula por suas conveniências e ideologias, vão aceitar esta bofetada na diplomacia profissional que este país cultiva há mais de um século.

Pode parecer algo abjeto – e é – mas é pior que isso.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. Congresso Nacional cheio de pilantras e fanfarrões eleitos na onda Bozo, STF e STJ enlameado de covardia e com muita suspeita de produzir suas ações conforme o paciente, imprensa criminosa liderada pelos capos da famiglia Marinho e que fabrica notícias para beneficiar as elites criminosas. Numa república bananeira com essas características é normal o filhote do Bozo ser embaixador nos EUA (abrindo mais ainda as pernas do país para os interesses imperialistas).

  2. Eu antes de ler o Tijolaço, não tinha a menor dúvida de que fosse factoide. Agora estou com a pulga atrás da orelha. Tem uma vantagem muito grande se acontecer, que nem aconteceu com o Moro assumindo a pasta. Fica tão surreal que vai dificultando pras pessoas defenderem. (Se bem que quem sobrou até aqui… Acho que é compromisso com o erro!) E confirmando a nova monarquia.

  3. Afastou o embaixador anterior há três meses e aguardou o 03 completar a idade mínima, 35 anos, para indicá-lo. Há roteiro nisso aí, ainda que ao modo bozo.
    O famoso inspetor perguntaria: “A quem interessa o crime?”.
    Ao Brasil não é.
    Especializados em rachadinha, mais à frente saberemos quanto a famiglia ganhou nessa jogada.

  4. Moro tira um semana de férias e viaja para onde? EUA e sem compromisso de expor agenda. Deltan todo queimado, tendo que não reconhecer até a voz e sem reposta para nada vai dar sua primeira entrevista para quem? Fausto Macedo, o maior plantador de notinhas (agro-jornalista) da lava jato. Decididamente, os caras acham que somos todos idiotas

  5. Os cargos de direção e assessoramento – DAS – são de confiança e de livre nomeação e estão inseridos na súmula que trata do nepotismo. Os ocupantes dos cargos de DAS não precisam fazer parte de nenhuma carreira do órgão onde exercem ou vão exercer os cargos. A mesma coisa acontece no caso dos embaixadores. Então, eu acho que antes de qualquer coisa, o STF vai ter que analisar primeiro se o cargo de embaixador é realmente político para só depois analisar a questão da jurisprudência. Se a natureza do cargo não for política a conclusão é que há uma omissão ou furo na lei. Na verdade, não estou segura de que o cargo de embaixador seja realmente político. Quando eu penso nos diplomatas de carreira que são embaixadores não consigo enxergar esse cargo como político não.

  6. Não sou diplomata. Eu quero é o “O” de detrás do morO, que possibilitou que se chegasse a “isso”… Prezado Brito: Será que a Bastilha cai hoje ? … . . . …

  7. Eu vejo as coisas assim também.
    [Estamos no período mais difícil da nossa história recente, sem perspectiva de saber como romper isso que vai trazer, já traz, sofrimento]

    1. Trabalho de formiguinha Renata, algo que o PT fazia, mas depois simplesmente deixou de fazer, entregando o povo de bandeja a essa corja da extrema direita. Mano Brown disse exatamente isso no comício nos Arcos da Lapa.

      1. O PT não deve continuar a ser o bode expiatório. Mano Brown falou sobre o abandono da periferia e sobre a falta de trabalho politico consistente da base, com o povo. Correto. PT assim como Lula, Dilma, Gleisi e muitos outros já fizeram essa AUTO-CRÍTICA (exigida por todos somente em relação ao PT). Pergunto: o q faziam os outros partidos de esquerda; dissidência feroz como o pissol; extrema direita PCO q foi expulsa do PT nos anos 90; as Marinas da vida; o PDT, etc.? Estavam fazendo o quê? Estavam só preocupados em derrubar o PT e ajudar a mídia golpista a matar o PT? Ou estavam preparando e informando a base, o povo abandonado? O PT estava no poder e esse fato em si mesmo implica escolhas e prioridades. Claro q erraram, pq errar faz tbm parte do jogo, das estratégias e das táticas. Contudo, PT acertou MUITO mais do q errou. Mas enquanto continuar a ser o bode expiatório de TODOS fica difícil até de lutar pelo LULA LIVRE. Paro aqui, isso cansou.

      2. Sim, esse trabalho é importante, mas os tempos são outros, havia sindicatos fortes, PT no auge da vibração, muita coisa mudou, o trabalhador está desarticulado no mundo do trabalho, os sindicatos enfraquecidos, os manifestações de rua parecem não surtir efeito e vai cansando [vou a manifestação desde os anos 70, queria ser substituída, kkkk], a imprensa não mostra nada do que acontece de real, se não olhar um pouquinho o jornal da TVT não vê cultura popular, não vê organização de periferia, não vê nada…

  8. Após colocar Eduardo como embaixador nos EUA, só falta nomear Carluxo para o GSI e Flávio para o ministério da agricultura (afinal, de laranja ele entende.).

  9. Repararam que enquanto todo mundo discute esse assunto, as pessoas esquecem da reforma da previdência, retirada de mais direitos trabalhistas, privatização do ensino público etc.? É uma fórmula muito bem pensada de distrair a atenção da população

  10. Faço minhas as suas excelentes palavras, prezado Brito. Uma análise primorosa, ponderada, percuciente. Tenho certeza de que o nosso velho e querido Brizola sentia muito orgulho de você, por ser assim como é, comedido e corajoso, inteligente e sensível, racional, objetivo e fraternalmente humano.

  11. Que que há, Brito? Todos os meus comentários são automáticamente excluidos. Que que há? Qual é o problema?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.