E a ‘retomada’ virou ‘pibinho’

Os sabidões do mercado financeiro, a esta altura do ano passado, projetavam, no Boletim Focus do Banco Central, um crescimento de 2,7% no Produto Interno Bruto. Não chegava a  ser um “Pibão”, mas marcaria a sempre prometida e jamais entregue “retomada da economia”

O número do IBGE hoje, porém,  veio murchinho, murchinho: 1,1% de crescimento do PIB e, pior, estagnação (0,1%) no quarto trimestre, o que agrava o efeito do carry over (arrasto estatístico) para o desempenho de 2019.

O resultado deve criar pressões que não se esperava pela redução da taxa de juros, já em seus mais baixos patamares, mas isso será, como vem sendo, inócuo.

As taxas reais da economia, as praticadas nos empréstimos que viabilizariam consumo e investimento, continuam na estratosfera.

Depois analiso a estrutura da economia retratada nos dados do PIB.

Paro, agora, no fato de que sem mudança na política econômica, não haverá milagre, nem com “reforma da previdência” para o país voltar a crescer.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Enquanto isso, os tarados-onanistas da Globonews que só falavam da necessidade de aumentar a SELIC quando a inflação estava rodando acima da meta, agora estão caladinhos quanto à necessidade de queda desta taxa, quando temos uma inflação que vem rodando abaixo da meta há alguns meses – sem falar que o mesmo acontece nas projeções do Boletim Focus (expectativas do mercado).

  2. Vai ter pibinho mesmo é quando os efeitos da troca da compra de soja do agronegócio brasileiro pela americana, pelo governo da China se efetivar. E já vou avisando, não me peçam para torcer óleo Bolsonaro. Já estou torcendo pela China

    1. Cá entre nós, o pessoal do agronegócio merece….Ganharam um bom dinheiro nos governos do PT e cuspiram no prato. Que se virem agora e vendam seus produtos para os EUA e para a Europa.

  3. E ficam alguns repetindo “vai crescer, vai crescer” e ignoram o per capita que é praticamente ZERO !

    1. Hahahahah bem lembrado, vou cobrar um conhecido bolsonarista sobre o nióbio…segundo ele a salvação do Brazil.

  4. Não entendo como a inflação pode estar abaixo da tal meta. Uma garrafa pequena de água, está custando R$6,00. As verduras e legumes estão com preços lá em cima e ainda aumentando. Aonde está baixa a inflação?

  5. Todos nós sabemos que o objetivo da quadrilha instalada de modo espúrio no planalto não quer saber de pibões ou retomadas. Só lhes interessam os cifrões direcionados aos seus bolsos e aos dos amigos com a alienação do patrimônio da nação. Isso tudo com o vergonhoso aval dos representantes do ridículo judiciário atual. O Brasil já está devidamente atolado no lamaçal do cinismo e da velhacaria.

  6. E ficam alguns repetindo “vai
    crescer, vai crescer” e ignoram o per capita que é praticamente ZERO !
    Com a indústria caindo e a agricultura sendo desprezada pela turma do Guedes/Bolsonaro onde
    vamos parar? Só com consumo?

  7. Se um bando de gente sem nenhum direito e beneficio social, trabalhando a troco de um prato de comida, fosse incentivo para que investimentos viessem em enxurrada para o país, países miseráveis da Africa seriam verdadeiros oásis capitalistas não é???Lá não falta mão de obra para ser explorada….O que falta nos países pobres é Mercado Consumidor (pessoas com poder de compra). Ninguém monta um negócio sem ter pra quem vender seus produtos e serviços. Recentemente, aqui na região onde moro (Vale do Paraíba), a GM ameaçou fechar a fábrica em S.José dos Campos – segundo o presidente da Empresa, a mesma não “estava sendo competitiva, tendo em vista os elevados custos de produção e mão de obra”…O sindicato local conseguiu reverter temporariamente a decisão com o acordo de rebaixamento de salários e congelamento de reajustes, mas a ameaça continua pairando no ar. Agora a Ford declara que vai fechar a fábrica de São Bernardo do Campo, alegando “cortes de despesas nas suas operações na América do Sul e retorno da lucratividade”. A medida que mercadores consumidores “secam”, o capital faz dumping de salários, depois se retiram deixando populações sem eira nem beira. Regiões inteiras na América Latina, na África, na América Central e até mesmo nos EUA (como o cinturão da ferrugem), já se tornaram territórios abandonados, entregues à pobreza. O sistema capitalista em crise começou seu processo de auto-canibalismo.

  8. Só não foi pior porque o 3º trimestre de irresponsáveis gastos pré-eleitorais salvou a cara feia do ano passado…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.