Elite selvagem

Os números do Datafolha sobre a opinião dos brasileiros sobre o brado histérico de Jair Bolsonaro em defesa do armamento generalizado da população são reveladores de uma verdade cruel.

Não é o povão, pobre e desvalido quem quer armas, mas os mais ricos, os empresários, os – supostamente – mais instruídos.

A “democracia” que querem defender armados de pistolas é, fica claro, a democracia do privilégio e da solução a bala dos problemas que tornam este país inseguro e amedrontado.

Sua noção do uso da força é semelhante ao do empresário de Alphaville que, depois de bater na mulher e receber a visita da polícia, gritou ao policial que não pisasse sequer na sua calçada, chamando-o de “lixo”.

Tristemente, não estava longe da verdade, e basta para constatar isso imaginar um jovem negro dizendo o mesmo à frente de sua casa humilde na favela.

As polícias brasileiras, não é de hoje, não apenas prestam-se ao papel de ser uma ferramenta de controle social e de manutenção da imensa maioria dos brasileiros em uma situação de opressão, na qual o desenvolvimento do tráfico de drogas e a sua brutalização só ajudam a legitimar.

Agora, com Bolsonaro, ainda que com algumas resistências e “caretas” da alta oficialidade, é esta polimilícia que galga o poder e põe até o Exército Brasileiro como seu caudatário.

Não é à toa que o criminalista Alberto Toron diz hoje à Folha que sente “um cheiro de milícia no ar”.

“O que eu vejo é um cheiro de golpe, cheiro de milícia no ar”, diz ele, mostrando as digitais da Lava Jato na acentuação deste processo,”porque ela representou uma desconstrução do devido processo legal. Ela forçou a legitimação de atos de repressão a pretexto de se coibir a corrupção.”

Embora dentro dos mecanismos estatais, essa é a mesma ordem “lógica” da ascenção do poder miliciano: repor a “ordem”, “a moralidade” em meio a situações ilegais e, logo a seguir, acumular tanto poder que se torna, ele próprio, a “lei e a ordem” de maneira totalitária.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. TODA a desgraça que hoje acontece no Brasil tem a assinatura da Lava Jato , com Marreco e seus miquinhos amestrados …

    1. E a lava-jato é a apenas a operacionalização da guerra híbrida do imperialismo para a dominação colonial do Brasil. Moro é apenas um agente, que esteve à frente da operação em Curitiba, mas esta operação judicial tem outro elos internos, como trf-4, com carlos (mamãezinha é thompson flores) lenz, que ditou os tempos do golpe no judiciário, como felix (estou morrendo por obesidade mórbida) fisher, no stj, fachin, fux e barroso no stf, que garantiram a impunidade dos crimes do marreco. E o alinhavo entre os setores do judiciário , o resto da burocracia estatal e a turma da “meritocracia sem mérito” da classe média alta, sendo costurado pela maçonaria.

  2. Prefiro não denominar esta casta nojenta e fétida de ‘elite’!
    A classe dominante mais estúpida, sórdida, entreguista, colonizada, nociva, tosca, mafiosa, corrupta, genocida… Do universo!

  3. A elite (sic) odeia a democracia representativa, isto é, regras do jogo estáveis e racionais, soberania popular, uma sociedade constituída por interesse organizados e representados em partidos e organizações políticas e sociais, conflito de interesses de classe e de idéias racionais como forma de resolve-los o minorar seus efeitos, direitos e deveres inscritos em um Estado de Direito e de Liberdades Civis, etc etc etc, porque enxergam nessa instituição a pretensão de um povo organizado e soberano que se quer governar e que portanto pode constituir-se na única força capaz de se opor às suas pretensões oligárquicas e tirânica. Os dados nos dão apenas uma ideia de algo que já foi bastante estudado, visto e infelizmente vivido: que a crueldade sádica e vingativa, fanática e histérica associada a obediência obtusa e crédula ou ao carreirismo cego e calculista, que a elite (sic) conduz ao poder toda vez que pressente (correta ou incorretamente) que seu mundo e seu domínio estão em risco são feitos à sua imagem e semelhança.

  4. Logicamente a oligarquia colocou Bozo lá já com o botão de ejeção pronto para ser apertado, em caso de emergência. Essa surpresa tanto de aliados mas principalmente da mídia me dá profundo nojo, digno do pior vômito. Contaram com tecnologia golpista da CIA para TIRAR o PT, mas agora terão que se livrar do nazista com as próprias mãos. Não parecem saber o que fazer.

  5. Longe de discordar do que vc observa, mas tentando explorar um pouco mais o tema c/base em algumas experiências.
    Evidente que pra desarmar os espíritos e clarear as mentes HÁ que fazermos um esforço no sentindo de tentarmos entender os que pensam diferente.
    No caso dos empresários por exemplo, vi que muitos são inconformados com a realidade que os cercam qdo, mesmo desfrutando dum status e de bem estar muito acima da média (e muitos conseguidos SIM com sacrifício, por esforço próprio, embora opositores generalizem como sendo sorte, herança, roubo, trapaça, sonegação, usura etc), muitos deles não conseguem enxergar um horizonte no seu próprio país (e negócio), nem pra si, nem pros seus, simplesmente por se verem cercados por uma mar de MISÉRIA que, “coincidência”, carrega consigo uma sociedade violenta, que despreza e desrespeita constantemente seus diretos de ter, de ir e de vir.
    No caso dos inúmeros policiais que consegui observar, a coisa é mais primitiva. Primeiro que todos se consideram esforçados, honestos e probos, tendo galgado com muito esforço e sacrifício a carreira que permitiu com que eles rompessem com os valores e o meio humilde em que a maioria teve origem. Exitosos, muitos não se conformam em NÃO ver os seus predicados impressos nos desgarrados, fracassados ou nos marginais e, por não conseguirem assimilar a diversidade e possibilidades da vida, acabam por simplificar a problemática com chavões moralistas que mais atiçam seus instintos do que propriamente elucidam suas criticas.
    Soma-se a isso uma característica bem brasileira, a ojeriza que estes grupos sentem pelo Estado Assistencialista, por correntes que clamam pelos DIREITOS HUMANOS “àqueles” que justamente eles pensam que ofendem os seus “direitos, princípios e lógicas de vida”, provocando assim sua revolta e discórdia, e meio que como “auto defesa”, a maioria acaba tendo posições que ganham contornos “duma guerra pela sobrevivência”, uma questão de morte ou de vida, dum inimigo a ser combatido.

    em tempo – do que vi na internet o tal empresário “bem sucedido” tem uma empresa de bijouteria em SP, na R.Quintino Bocaiuva, uma ruela ao lado da praça da Sé onde o que mais se vê são placas de “COMPRA-SE OURO”, ou seja..

  6. Esta foi a proposta mais idiota feita pela extrema direita nos últimos anos. Para fazer sentido, a proposta do Bolsonaro deveria ser armar todas as pessoas que ganhassem mais de 10 salários mínimos. Se armasse gente pobre, o Brasil viraria uma Super-Venezuela fácil, fácil. Não se deve esquecer de que Roma proibia suas colônias de forjar o ferro.

    1. Ao preço de mais de R$5 000 uma simples pistola da Taurus + custos legais, isso já é um filtro suficiente para garantir o acesso às armas somente a certo público diferenciado.
      Se isso não bastar, tem ainda a autorização da PF ou do Exército, quanto ao subjetivo argumento de “comprovação de legítima necessidade” que filtra o resto do público “indesejável” que conseguir passar pelo primeiro filtro.

      Veja que, por exemplo, ao mesmo tempo em que as propostas do Bozo visam facilitar a compra de armas, aumentar a cota de munição, aumentar os calibres e poderes de fogo e facilitar importação de armas melhores, nunca ouvi falar em nada sobre reduzir impostos ou outras medidas que reduzam os custos de armas e munição aos compradores.

      E, justiça seja feita, a elitização atual não é culpa do Bozo. Isso já existe desde o tempo do FHC, quando começou a se escrever o Estatuto do Desarmamento, e que foi defendido e mantido pelos governos petistas.

  7. Bandidos milicianos assaltaram o poder em nome da moralidade e da ordem… deles, é claro.
    Não é possível entender as aparentes contradições entre lavajatismo e bolsonazismo sem colocar Trump e o “deep state” estadunidense no cenário da conspiração golpista. Moro e seus agentes (MPF, PF, etc.) obedeceram ordens e operaram um plano cujos únicos beneficiários foram Donald Trump e a elite rentista antinacional.
    Diante do crime, que talve seja o maior cometido contra a nação brasileira, a primeira pergunta é: a quem interessa destruir uma democracia e entregar as riquezas nacionais?
    Sérgio Moro, como agente da conspiração golpista, tem uma responsabilidade muito maior do que a do tosco fantoche de Trump, apesar de ambos terem colaborado na execução do golpe. Serviram como mercenários na invasão do Brasil e agora o Guedes revelou o grande plano da “elite” que eles representam: um grande cabaré, onde os gringos virão beber, jogar e prostituir. Eis o “grande projeto” para a colônia.

    1. A rebelião, é disso que se trata, tem um elemento imediato que é a brutalidade policial que anda colado com a ineqüdade do sistema de justiça no trato com as minorias, negros e latinos principalmente. Mas o fundamental é a ineqüidade sócio-econômica. Nada disso é diferente na essência daquilo que ocorre no Brasil. E assim como nos EUA, uma hora dessas a convulsão social explode, como explodiu no Chile. É fundamental que a liderança politica e social tenha propostas claras que respondam às demandas concretas com soluções de longo prazo e de mudanças fundamentais. Do contrário, a anarquia terminará de destruir o país e levará a uma ditadura cruel. É esta a aposta e o plano do fascismo que o bolsonarismo representa.
      O vídeo abaixo mostra claramente a demanda legítima por justiça por parte da população negra americana. Que não é diferente do Brasil e muitos outros países.
      https://www.youtube.com/watch?v=oDwx-qHpYoY

      1. Tem razão. É importante marcar posição e muito bom poder gritar sem medo pela democracia, mas muito cuidado para não se transformar justamente no pretexto que os fascistas querem para fechar o sistema e implantar um novo AI-5.

    2. O reporter Omar Jimenez da CNN sendo preso ao vivo, junto com outros membros de sua equipe.
      Outro repórter branco da CNN estava numa situação similar na quadra seguinte, e nada aconteceu com ele, porque nada deveria ter acontecido mesmo.
      É a polícia assoprando a fogueira, acostumada com a brutalidade e a impunidade.
      https://www.youtube.com/watch?v=TIClA57jWmQ

  8. E, por falar isso, cadê o Dallagnol? O que há, imagino, é um jogo de cena: Bozo, Moro, Doria, etc. Eles não são inimigos. Conseguiram ocultar Dallagnol et caterva. Há mais coisas entre o Céu e a Terra do que nossa vã filosofia…

  9. PM passa pano para coxinha fascista golpista no sábado, e passa pano para coxinha fascista golpista no domingo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.