Gaspari: Bolsonaro “frita” Moro

Vindo de quem vem, Elio Gaspari, é bom prestar atenção na availiação que ele faz hoje na Folha sobre a situação de Sérgio Moro não só em relação ao governo Bolsonaro como diante dos seus planos de ganhar uma cadeira no Supremo pelos serviços prestados à fascitização do país.

Moro na fritura

Elio Gaspari, na Folha

O ministro Sergio Moro está na frigideira. 

Entrou nela porque:

Bolsonaro acredita que ele é candidato a presidente.

O ministro acha que sua esperteza é tamanha que pode ser contra e a favor de medidas apresentadas pelo Planalto.

Aparece onde não deve (em Lisboa) e não aparece onde deve (nas bolas divididas de Brasília).

Esses motivos podem parecer insuficientes, mas uma cena demonstra que ele está fora da fotografia.

Quem se lembra do café da manhã de Bolsonaro com os presidente da Câmara, do Senado e do Supremo sabe que à mesa estavam sucos, pães e os ministros da Casa Civil, da Fazenda e da Segurança Institucional. O ministro da Justiça não estava na mesa. 

Ele ficou fora de todas as conversas sobre esse pacto em torno de sabe-se lá o quê.

É provável que Moro seja mandado para o Supremo. A questão é saber se ele fica (ou aguenta ficar) no ministério até novembro do ano que vem, quando surgirá a primeira vaga.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email