Governo ‘consegue’ adiar votação da Previdência

Foi um espetáculo de incompetência política.

A inversão de pauta desejada pelo “Centrão” poderia ter consumido uma hora da sessão de hoje da Comissão de Constituição e Justiça.

Não haveria maneira de evitar que começasse a discussão do parecer favorável à reforma da Previdência.

Mas o governo conseguiu deixar para amanhã e em condições piores do que imaginou, o começo do debate e com um acordo para terminar, no caso de não haver votação do plenário, às dez da noite os debates e tornando impossível a votação na quarta-feira, véspera da Semana Santa, quando será virtualmente impossível conseguir quorum para votar o relatório favorável.

Se é que conseguirá aprová-lo, porque o “centrão” mediu hoje que potencial tem na Comissão.

O Governo fez o que pôde para humilhar-se com votações pífias.

Amanhã é dia de declarações de princípios, na quarta, de propostas para eliminar pontos da reforma.

O “Centrão” perdeu a vergonha de se mostrar em oposição e de repetir o mantra de que “a reforma é boa para o Brasil”.

PRB, PP e Podemos assumiram que querem a extirpação do BPC e da aposentadoria rural imediatamente e o PMDB se escafedeu. O PSDB escondeu-se na hora de formar com o governo. Solidariedade e Cidadania (ex-PPS) nem disfarçaram a oposição.

O Governo Bolsonaro está conseguindo complicar o que era mais simples em seu projeto de mudança na Previdência, aprovar numa comissão que avaliaria apenas a constitucionalidade da proposta.

Se deixar que ela seja depenada do que, a esta altura, é só “bode” (o BPC e a aposentadoria rural) vai ter de entregar, na Comissão Especial que, a partir de junho, examinará o mérito da proposta, terá de entregar o outro: a capitalização e as duras regras de transição. o que de fato lhe interessa, por produzir resultados financeiros rápidos.

O “trilhão em dez anos” é uma conversa fiada. Porque, sabe-se na política mais que em qualquer lugar, “no longo prazo estaremos todos mortos”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.