Governo, sem defesa, está baratinado com depoimento na CPI

Os depoimentos do servidor Luís Ricardo Miranda e do deputado Luís Miranda estão tão documentados e são tão evidentes que deixam claro que, no mínimo, evidenciam uma “jogada” das empresas que venderam as vacinas Covaxin ao Ministério da Saúde.

Quais? A mudança do recebedor do dinheiro para uma terceira empresa – ausente do contrato -, cobrança indevida de seguro e frete – no valor de mais de 800 mil dólares – e o pagamento antecipado e não contra a entrega e aprovação pela Anvisa, como estava previsto contratualmente

Há, também indícios das insistentes pressões para que se liberasse logo o pagamento, sem exigir que as notas estivessem de acordo com o contrato e estas pressões vieram dos dois chefes do servidor, ambos militares. funcionários. E o servidor deixou bem claro que não poderia fazer o registro de importação a partir de documentos sem adequação das notas fiscais.

Estas são as questões relativas ás irregularidades na operação de aquisição dos imunizantes.

A questão mais grave, porém está sem qualquer resposta: porque o Presidente da República e o Ministro da Saúde não tomaram providências formais para o esclarecimentos destas irregularidades?

Os senadores governistas estão intratáveis e a tolerância do presidente Omar Aziz com as constantes interrupções e e gritos estão tornando impossível acompanhar a audiência e é por isso que é preciso fixar os pontos iniciais deste post.

Esta sessão vai terminar mal, podem crer.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.