Idiota do MEC, que desistiu do ‘slogan’, agora desiste do vídeo das crianças

Perdoem-me a grosseria do título, mas não dá para usar menos com um sujeito assim.

O dito ministro da Educação, Ricardo Vélez, que “desistiu” da carta onde mandava ler o “slogan” bolsonarista para as crianças do ensino fundamental, agora desistiu da ordem para que as crianças fossem gravadas nas escolas.

Ele dá a desculpa de uma manifestação do assessor jurídico da pasta, de que haveria “razões técnicas de dificuldade de guarda desse material (imagens e sons), bem como de segurança” e que por isso “determinará a expedição de nova comunicação, com a retirada do pedido de produção e envio de vídeos”.

É inacreditável que a Educação, algo tão essencial para este país, esteja sob a responsabilidade de um camarada deste naipe.

E o pior é que este cidadão, que nem nasceu no Brasil, misturou o que era normal e que nunca criou problemas, que é se cantar o Hino Nacional nas escolas, com a abjeta propaganda bolsonarista.

Sua demissão é uma imposição já nem apenas do bom-senso, é da decência.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Já que o tal ministro voltou atrás na questão do slogan e da filmagem, só resta revogar o decreto, visto que a obrigatoriedade da execução do Hino Nacional nas escolas foi instituída em lei por Fernando Haddad em 2009, qdo era Ministro da Educação, e sancionada por José de Alencar, Presidente da República, em exercício, no governo Lula.

  2. KKKKK um cara que chama os ” brassileiros” de canibais porque roubam cinzeiros de hotéis é um boçal. Canibais gostam de comer gente ( Simão).

  3. Que é isso, Brito ? Você está sendo “bairrista”, “xenófobo” e “etnocêntrico”… Deixa o homem trapalhar, quer dizer, trabalhar…

    :
    : * * * * 04:13 * * * * * : Eles (Ou Mal lutar é lutar mal)

    Nunca se viu povo tão idiota
    militando contra a própria sorte!…
    Mesmo toda paciência se esgota
    quando os “fracos” idolatram o “forte”.

    E ainda esperam alguma cota…
    Coitados! Que o tempo não lhes corte
    a memória em meio à tal rota
    da vida indo ainda mais para a morte…
    ……………………………. Cláudio Carvalho Fernandes
    ……………………………. (Poeta (anarcoexistencialista))
    Poema dedicado ao eleiTORADO brasileño, no pós-eleições de 2018…
    (Se é que não houve participação ativa da maquininha caixa-preta do TSE nos resultados de 2018…)
    :.:

    Poema “Z”
    Para Dilma, Lula e o PT e todos/as os/as progressistas do mundo inteiro. Sinta-se homenageado/a, também.

    Penso

    Logo(S)

    ReXisto

    :.:

  4. Obtusos, estes tempos. As pessoas de boa cabeça podem não estar em posições de comando – infelizmente não estão mesmo – mas hão de estar em lugares onde possam atrair, por brilho e não por canetada, os jovens para noções mais iluminadas. Amém.

  5. O que o malucão colombiano quer é, realmente, impor às crianças uma disciplina de obediência sem cérebro. Mas continuo a achar que é recomendável que os alunos hasteiem a bandeira nacional na frente das escolas e cantem o hino nacional. Recomendável, não obrigatório. Aí começa o patriotismo, o amor ajustado ao símbolo, o sentimento de que pertencem a uma nação. Não precisa ser todo dia, pode ser só um dia da semana. E não precisa ser toda a escola, as classes podem se revezar. Para isso é necessário que, nos projetos de arquitetura, esteja incluído o pedestal de três mastros de bandeira, o que não onera em quase nada o preço da obra. Esta providência tem sido completamente esquecida, tanto é o desprezo pela nacionalidade que se tem hoje, certamente cavado por quem não deseja que as crianças aprendam a ter orgulho e respeito pelo seu país.

  6. Ué, pq o choque? Onde esse sujeito desvia do padrão?
    E a Pomba Gira da Goiabeira ? E o Yale Master Minister? E o imparrrrcial de Curitiba? E o presidente “pistolinha ra-ta-ta-ta”?

    * propositadamente omiti as “relações exteriores”, pq… Em fim, não vou zombar de um doente, e falar a sério é impossível…

  7. Isso é falta do que fazer. Um energúmeno destes se levanta de manhã e pensa com seus botões: “O que posso fazer hoje “em prol” desta nação?” E, imbecil que é, mas um imbecil com poder, sai-se com pérolas desta qualidade, proclamadas em éditos, editais, comunicados, decretos, todos encimados pelo brasão da república. São todos idiotas, mas idiotas com poder. Poder dado a eles por cretinos do mesmo quilate, seus eleitores lobotomizados que, imbecis que são, julgam-se “do bem”, “informados”, “antenados” e “sintonizados”. E paga o país, nesse pesadelo sem fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.