Infantilidade de esquerda deixou MP sem freios

Dos tempos da minha avó, resgato a expressão “emprenhado pela orelha”. E a orelha, nestes tempos, é o impacto da mídia sobre o cérebro.

Nada descreve melhor a atitude de parte da esquerda – Psol, PCdoB e alguns integrantes do PSB e do PDT – em negarem votos para a aprovação da Emenda Constitucional que colocava apenas alguns parcos limites ao controle externo do Ministério Público, hoje completamente corporativo, o que leva aos abusos e arbitrariedades que, nos últimos anos, não foram poucos nem desimportantes.

Não se tratava, a não ser nos comentários dos telejornais da Globo e outras, de colocar o MP sob controle da Câmara. Na proposta derrotada ontem, o corregedor seria um integrante do próprio MP, escolhido pelo Congresso a partir de uma lista de cinco procuradores formulada pela própria corporação. Não é nenhum absurdo, a não ser para os que usam isso para dizer que isso seria entregar o controle da instituição aos parlamentares.

Pois não é igual absurdo ou maior que sejam eles próprios, procuradores, controlarem a si mesmos e, pior, tornar o corregedor – que tem a tarefa antipática de investigar e propor punições – sem alguém que deva, como condição para exercer o cargo – agradar a toda a categoria.

A generosa geração que formou o flamante Ministério Público pós-Constituinte foi, progressivamente, substituída por camadas de profissionais que, de exército heroico, tornou-se casta mais atenta a seus privilégios que aos seus deveres com a sociedade.

Nada mais expressou isso que a chamada Força Tarefa da Lava Jato, onde suas ações não só transbordaram os limites legais, mas constituíram um inegável processo de corrupção do sistema judicial e de destruição econômica e política do país.

Reproduzo, abaixo, um pequeno vídeo da jurista Carol Proner, professora da UFRJ e integrante da Associação de Juízes pela Democracia. São fatos, não “mimimis” sobre o que deveria ser liberdade absolutapara que procuradores possam agira como quiserem e sem controle. Só quem deseja um poder deste tipo são os ditadores.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *