Magnolli: o pânico dos militares com Bolsonaro

Demétrio Magnoli, colunista da Folha, está a um milhão de anos-luz de ser considerado um esquerdista ou petralha – distância, claro, que não é obstáculo para bolsominions fanáticos –  que esteja “torcendo” contra o capitão Bolsonaro.

Merece, portanto, redobrada atenção o que escreve hoje, sobre o lado “não tuitável” do atual governo: as suas relações com o círculo militar em que, cada vez mais, está contido.

Destaco alguns trechos:

A demissão de [Gustavo] Bebianno pode ser narrada em dois registros alternativos. Na linguagem do recreio do pré-primário: um chamou o outro de mentiroso, feio e bobo. No idioma compartilhado entre milicianos e facções do crime: um qualificou o outro como traíra, X-9. De um modo ou de outro, o evento veicula uma lição de ciência política: o governo Bolsonaro, na sua versão original, é um experimento patológico destinado a perecer sob o efeito das toxinas empregadas na sua concepção. Os militares finalmente entenderam isso.(…)

Militares que, diz ele, passaram do desprezo com que encaravam o capitão baderneiro para o pragmatismo de seu aproveitamento como aríete para delirios de volta ao poder:

os chefes fardados entusiasmaram-se com uma candidatura que prometia recuperar a estabilidade econômica, exterminar a corrupção e destruir as cidadelas do crime organizado. A velha desconfiança dos políticos profissionais, os ressentimentos nutridos pelas comendas oficiais concedidas a Marighella e Lamarca, o sonho desvairado de restauração da imagem da ditadura militar contribuíram para o imprudente abraço dos militares ao candidato da direita populista.
Do desprezo ao entusiasmo —e deste ao pânico. O clã familiar dos Bolsonaro, permeado por loucas ambições, inclina-se à guerra palaciana permanente. As cliques do baixo clero parlamentar que rodeiam Lorenzoni e Bebianno prometem engolfar o governo em perenes disputas mesquinhas. Os dois ministros nomeados por Olavo de Carvalho, o Bruxo da Virginia, personagens atormentados por moinhos de vento puramente imaginários, fabricam crises fúteis em série. Segundo o diagnóstico dos chefes militares, o governo afunda sozinho na areia movediça sobre a qual apoiou seu edifício improvisado.

Magnoli critica a classificação do Governo como “fascista” – embora não a de autoritário – e chama atenção para sua inorganicidade, aliás, o reverso do que se pode dizer dos militares:

“Fascismo”? Bolsonaro não mobiliza camisas-negras ou falanges, exceto a militância virtual comandada pelo filho Carluxo que vitupera nos subterrâneos da internet. Um paralelo viável não é com Mussolini, mas com Rodrigo Duterte, o populista primitivo das Filipinas que contaminou suas forças policiais com as práticas do vigilantismo. No Brasil, um governo desse tipo está condenado à implosão. Daí, o alerta de pânico ativado pelos generais do Planalto.

Pânico, aí digo eu, que só a muito custo se contém diante da imprudência que nos colocou numa situação delicadíssima, na qual os militares estão diretamente – e a contragosto – envolvidos: a crise na Venezuela.

Tudo isso em conta, não há como deixar de achar lausível a conclusão de Magnoli:

Que ninguém se iluda: está em curso a “intervenção militar” pela qual clamavam os patetas civis extremistas na hora do impeachment.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

53 respostas

  1. Eu acho que o problema maior da milicada são os compromissos de Bolsonaro com os EUA, que estão por trás do golpe e de tudo que veio depois. Nossos milicos querem poder, não se envolver em conflitos. Mas a questão pode ser definida pelo ditado: ajoelhou tem que rezar.

  2. Essa guerra vai nos custar caro, e não será nenhum Paulo Guedes que irá resolver esse déficit.

  3. Essa guerra vai nos custar caro, e não será nenhum Paulo Guedes que irá resolver esse déficit.

    1. Até agora, 16:37, Guaidó e seus manifestantes colombiano/venezuelanos não conseguiram ainda fazer passar pela fronteira sequer um pacote de maizena. Eles passam de mão em mão as caixas com selos dos EEUU, e quando elas chegam ao lado venezuelano são empurradas de volta para a Colômbia por manifestantes venezuelanos, quando não são incendiadas. Parece que os venezuelanos estão rejeitando a tal ajuda como se fosse alguma coisa diabólica. A multidão de membros das Forças Armadas da Venezuela que se esperava que passassem para o lado dos guaidoenses indo para o lado da Colômbia, até agora se resume a treze jovens rapazes não do Exército, mas da Guarda Nacional bolivariana. Todos eles não exprimem sequer um mínimo de emoção ao fazer a suposta deserção, o que é muito estranho.

  4. E quando esse articulista de meia tigela vai escrever sobre o papel da imprensa, especialmente o jornal que lhe dá guarida apesar de seus evidentes preconceitos, no golpe e na ascensão da escumalha ao poder?

    1. Não espere isso dele. Magnolli ,dia sim e o outro também, atacava duramente o PT na intenção de ajudar seus parças do P$DB.

    2. Nunca, nem ele nem toda a caterva mediática nunca vão admitir seu papel na primeira fila e na janelinha do ônibus chamado do Golpe de Estado. Como diz Mino Carta, …. são piores que seus patrões.

    3. O objetivo do golpe lavajateiro era colocar Alckmin no poder mais falta combinar com os bolsominions.

    4. Nosssssa….que confusão heim??? Não sei se você elogiou, se criticou. Objetividade não é com você heim???

  5. E daí!? Se tem guerra terão que trabalhar, mostrar serviço!? Adeus boa vida de quartel, de mandar recruta e subalterno ralar, de puxar e coçar saco.

    1. Deus nos livre!
      Imagina o povo brasileiro ter que pagar as pensões do falecido , para mulher e filhas ” Ad eternum “.rs

  6. Não são fascistas? No conteúdo histórico diria que não, mas por malas razões. O fascismo seria um fenômeno típico do século XX forjado nas condições europeias (ainda que tenha se manifestado também na América ou na Ásia), Nosso país foi incapaz política e socialmente de ultrapassar o século XIX. Seriam então fascistas na forma ou nas manifestações mais epidérmica (intolerância, violência, covardia, etc etc? Certamente. Poderíamos então chamá-los de forma irônica só de FALSISTAS, como batedores de carteira, estafadores que enxergaram uma boa oportunidade e um enorme butim? E que nome poderíamos dar para aqueles que permitiram deliberadamente a ação de uma gangue contratada para bater a carteira e estafar todo um país? Acho que começa a nos faltar palavras para descrever essa realidade. Na falta delas prefiro ficar com as velhas palavras, oligarquia, tirania, vilania, arrivismo, bovarismo, colonialismo, imperialismo, pilhagem, destruição….

    1. Na definição de Trostky, o governo Bolsonaro é sim fascista, o seja, o ataque ao mundo do trabalho, quer tirando direitos e conquistas quer destruindo seus instrumentos de luta (ministério do trabalho, sindicatos, etc)

      1. Muitos governos atacam o mundo do trabaho, de neoliberais a sociais democratas da terceira via, de ditaduras latino americanas a autocracias africanas, mas o fascismo propriamente dito é um fenômeno tipicamente europeu da primeira metade do século passado. Insisto, nosso caso é mais grave. É como dizia Faoro o caso de uma civilização tolhida em seu desenvolvimento, incapaz de vida comunitária, coletiva, em tudo pre moderna, anterior a todas as transformações cidadãs, democráticas e solidárias.

      2. Muitos governos atacam o mundo do trabaho, de neoliberais a sociais democratas da terceira via, de ditaduras latino americanas a autocracias africanas, mas o fascismo propriamente dito é um fenômeno tipicamente europeu da primeira metade do século passado. Insisto, nosso caso é mais grave. É como dizia Faoro o caso de uma civilização tolhida em seu desenvolvimento, incapaz de vida comunitária, coletiva, em tudo pre moderna, anterior a todas as transformações cidadãs, democráticas e solidárias.

        1. Existem duas vertentes: uma acha que o fascismo é um fenômeno que aconteceu no passado e não se repetirá. Particularmente discordo mas isto não muda o fato que vivemos um dos momentos mais difíceis de nossa história. E eu particularmente não vejo saída a curto prazo, inclusive e sobretudo porque não temos um partido capaz de mobilizar e liderar as grandes massas. Esse foi o grande erro do PT no seu governo, ao contrário do Chaves, que fez um trabalho magnífico inclusive junto às forças armadas. Apesar da fama do Lula, em parte pelo tamanho e importância do Brasil, cada vez mais me convenço de que o venezuelano foi o grande nome da América Latina nos últimos 100 anos. Um abraço.

          1. Também considero como central a necessidade de um partido político, mesmo porque ainda não inventamos outro instrumento de ação e intervenção política. Nós todos não soubemos reconhecer essa importância, nossos adversários no entanto não tinham dúvida do objeto a ser abatido. Ainda acho que a experiência política, social e democrática do Partido dos Trabalhadores foi a mais poderosa construção da esquerda no Brasil e na América Latina. Insisto, nós ainda não reconhecemos isso, nossos adversários sabiam no que atiravam. Não é a toa que se diz que só se dá realmente valor a algo depois que se perde aquilo.

  7. ACABO DE RECEBER UM VÍDEO DO HELICÓPTERO QUE LEVOU O TRAIDOR GUAIDÓ A COLÔMBIA. O PREFIXO É
    REG-FAC-006 DA FORÇA AÉREA COLOMBIANA,ISSO É UMA DECLARAÇÃO DE GUERRA.

  8. Ano que vem quero ver os comentários, de certas pessoas que torcem contra o Brasil, vcs ja se deram conta do preço dos combustíveis e do dólar, já começamos bem, e o governo só tem dois meses, o vcs pensam que só tem burro aqui?.

  9. Maduro está diante de uma multidão fazendo discurso transmitido ao vivo pela Telesur, e acaba de mandar um recado diretamente ao Brasil: Ele diz que o governo da Venezuela está disposto a pagar por preço de mercado por cada quantidade de arroz, de açúcar, de leite em pó e de qualquer mantimento que os brasileiros possam disponibilizar para a Venezuela através de sua fronteira no estado de Roraima. Pagarão “tim-tim por tim-tim” por tudo, até o último quilo, mas não aceitarão de maneira nenhuma qualquer envio gratuito de comida, porque os venezuelanos não são mendigos e não estão pedindo esmolas.

  10. No jargão popular, trata-se de uma “esculhambação” com viés fascista, onde a verdadeira guerra é interna por disputa de poder. Enquanto os militares brasileiros desempenham um papel de fantoches na fronteira com a Venezuela, em várias capitais brasileiras, segundo pesquisa atual, o desemprego cresce.

  11. Bolsonaro continua com apoio da mesa de botequim, regada a cerveja, que escreveu seu plano de governo.

  12. Na verdade o PT é culpado de tudo isto pois com os bilhões desviados para Maduro fizeram com que ele se armasse e ainda mais apontar seus mísseis para o Brasil , comunismo é isso , povo na desgraça ,comunistas só fazem merda ,matam o povo e comem caviar ,voces de esquerda apoiam maduro ,apoiam tudo que é merda ,desde arte em forma de sexo para crianças , roubo institucionalizado ,roubo de propriedades particulares para morar , vagabundagem ,miséria generalizada , caos , manifestações idiotas ,sabe são tantas coisas ruins sobre o comunismo que é impossível enumerar , sao dementes ,podres e nojentos .

    1. Minha santa madre tereza de Calcutá! PqP! …Oh Bob? Vá ser bobinho assim, na baixa da égua. Credo em cruz!

      Orlando

      1. Orlando, a mente do Tessicini não tem recuperação. Já era. E o pior é que, igual a ele, tem um monte.

    2. É o que dá colocar militar na presidência. Tudo começou com o Tenente-Coronel Hugo Chavez. Acabou com o país e agora o capitão vai fazer o mesmo com o Brasil.

  13. O bolsonaro é o candidato desta turma de generais que conseguiram a boca de um cabide de empregos nos ministérios. Qual o problema?
    Eles nem conseguem se livrar do moço. E sua “ilustríssima” família, que lá manda.
    Estar em um ministério como esse é além de comprometedor.
    E a a sociedade com a globo que só pretende destruir este triste país?

  14. Esse colunista critica os patetas que pediram intervenção militar, mas agia como um pateta.
    Agora está preocupado com a intervenção militar!
    Estamos em uma ditadura militar comandada pela pior safra que já saiu da AMAN.
    Echegoyen era o homem forte do governo Temer que nunca passou de um velhote narcisista.
    VillasBoas um lambe botas de primeira qualidade.
    Todos são contemporâneos do Bolsonaro na AMAN.
    Eu sempre disse e continuo dizendo, Bolsonaro é igual a qualquer um deles com uma diferença, não tem educação.

  15. não temos um Presidente da República, o que está lá, sentado na cadeira presidencial, é um medíocre e obediente cônsul dos estados unidos da américa.

  16. Ora, ora! As Forças Armadas estão metidas, influindo na política há muito, e mais recentemente, a partir de 2013/2016, quando iniciaram os movimentos nitidamente comandados pela direita, que deram a Aécio Neves a gostosa e enganosa, no caso, que estava passando um cavalo encilhado, levando-o a insuflar a então oposição com participação do Vice-Presidente e traíra, Michel Temer, insurgindo-se contra a derrota para Dilma Rousseff, em 2014, que com a participação do Presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha, levando a materializar-se o golpe-impeachment contra Dilma Rousseff. Esses movimentos, principalmente seu desfecho, o impeachment, seriam impossíveis de acontecerem sem o apoio, mesmo velado, como aconteceu, das Forças Armadas. As Forças Armadas estão no comando do golpe de 2016, desde o início. O primeiro Presidente títere do golpe, apesar de todas as canalhices que cometeu para chegar ao posto, tinha qualificações intelectuais e políticas para atuar na posição, mesmo tutelado. No afã de impedir que o Presidente Lula e o PT voltassem ao poder. Todas as manobras, lícitas e ilícitas usadas pelos grupos contrários a essa volta, onde pontificavam os militares, todas as indignidades cometidas, a prisão de Lula por exemplo, o máximo que a direita, unida a extrema-direita e a setores tidos como de esquerda como Ciro Gomes (atuando pela direita por ambição pessoal), conseguiu foi eleger Bolsonaro, personagem completamente despreparado para o cargo (não dá mais para esconder) como segundo títere do golpe de 2016. O resto, é isso mesmo.

  17. Pra mim, o Magnolli só acertou a palavra pânico. Os motivos apresentados não refletem a realidade do momento. O pânico dos militares está relacionado com a incapacidade de avaliar qual será a reação do Bozo caso se sinta ameaçado de perder o poder. É bom ter em mente que o Bozo tem uma legião de malucos como seguidores, além de ter prestígio junto às PMs, milícias, religiões e FFAA (patentes baixas ou sem elas). Se o Bozo convocar todos para as ruas, elas vão ficar cheias. E aí? Esse, a meu ver, é o X da questão.

  18. Mais um texto brilhante e com uma lógica impecável. Acrescento que se a Rússia entrar na jogada os militares enfiam o rabo entre as pernas e saem de fininho. E se a família maluca insistir, daí sim será deposta. Os militares sabem que vira latas não enfrentam puros sangues.

  19. Chamou a atenção a capacidade dos “caminhões” enviados pelo Bozo e pelo chefe Trump: capacidade de 4.500 kg e só estavam pela metade. Não dava nem para atender as necessidades de Brumadinho, quanto mais da Venezuela. E estavam pela metade.
    Tudo de improviso. Os USA compraram alguns mantimentos em Roraima mesmo. E deve ter sido com parte dos 30 BI que bloqueiam da Venezuela.Ajuda fake. Presidente fake. Intromissão nos assuntos internos real.

  20. Quem ? … Dementrio Manholi, cheio de manhas e peçonhas ? Ora, vá tomar no pig…

    :
    : * * * * 04:13 * * * * * : Eles (Ou Mal lutar é lutar mal)

    Nunca se viu povo tão idiota
    militando contra a própria sorte!…
    Mesmo toda paciência se esgota
    quando os “fracos” idolatram o “forte”.

    E ainda esperam alguma cota…
    Coitados! Que o tempo não lhes corte
    a memória em meio à tal rota
    da vida indo ainda mais para a morte…

    ……………………………. Cláudio Carvalho Fernandes
    ……………………………. (Poeta (anarcoexistencialista))

    Poema dedicado ao eleiTORADO brasileño, no pós-eleições de 2018…
    (Se é que não houve participação ativa da maquininha caixa-preta do TSE nos resultados de 2018…)

    :.:

    Poema “Z”
    Para Dilma, Lula e o PT e todos/as os/as progressistas do mundo inteiro. Sinta-se homenageado/a, também.

    Penso

    Logo(S)

    ReXisto

    :.:

  21. O texto de Magnolli é muito razoável, mas incompleto e de conteúdo para se lamentar.
    Que Bolsonaro é um completo idiota está muito claro faz muito tempo. Décadas, na verdade. Que isso era de conhecimento de quem acompanhava minimamente a política, era ululante. Dos militares principalmente, pois o indivíduo foi gerado e abortado por aquela casa.
    Que um idiota julgue-se um gênio é perfeitamente aceitável e desculpável. O que esperar de um idiota? mas que os militares tenham acreditado no idiota é demais para qualquer indivíduo com mais de vinte anos de idade no domínio de suas faculdades mentais. Todos sabemos que nossos militares caíram de amores pelo capitão, que o consideraram a última coca-cola no deserto de corrupção e inépcia da política brasileira. Diante disso, só podemos concluir que o discernimento de nossas FFAA está abaixo daquela do capitão. São idiotas sim. Não devíamos esperar que aqueles que são pagos e formados para resguardar a pátria tenham acreditado no barão de Munchausen de Glicério. Mas devemos nos resignar com a merda que o destino nos reservou. O Brasil é (des)protegido por uma cambada de idiotas e os fatos estão expostos em praça pública para quem desejar ver.

    1. Na verdade, o Brasil foi abandonado nao so’ pelos militares, mas por TODOS os funcionarios e agentes do estado encarregados de protege-lo: juizes do STF e de outros tribunais; PGR e Ministerio Publico em geral; Policia Federal; Congresso Nacional; militares.

      Acrescente-se a isto, o papel absolutamente vil, nefasto, canalha ao extremo da midia, que quanto ao radio e televisao, sao supostamente um servico publico. Sao, de fato, inimigos figadais da nacao, da democracia, e da constituicao de 1988.

  22. Conheci o Demétrio Magnoli nos anos 80 no movimento estudantil na USP. Naquela época eu o achava um sujeito despezível, asqueroso mesmo. Mas posso dizer que ele piorou muito daquela época para cá, tornando-se um reles puxa-saco da direita tradicional. Se ele está escrevendo isso sobre o Boçalnazi e seus boçalnazistas é porque a coisa está muito mais feia do que poderíamos supor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *