Mourão diz que Bolsonaro pode dar ministérios. É doce ou isca?

O general Mourão espalhou miolo de pão no caminho dos parlamentares para a arapuca do Planalto.

Disse que ” eles vão ter algum tipo de participação, seja em cargos nos Estados, algum ministério ou algo do gênero.”

Ou Mourão tem delegação de Jair Bolsonaro ou está oferecendo o que não é dele, embora tenha ressalvado o óbvio, que “isso é decisão do presidente”.

Pior, diz que o governo está disposto a colocar o melhor doce na prateleira, o que torna menos saborosos os outros.

Duvido que Jair Bolsonaro o tenha autorizado a esta liberalidade.

Se  for adotá-la, terá de ser grande, porque o tamanho das bancadas do “Centrão” é muito equilibrado: vai dos 29 do DEM e PSDB até os 37 do PP.

Portanto, se der ministério para um,outros argumentarão que têm o mesmo peso.

Ou então não é doce, é isca.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

5 respostas

  1. Essa é a nova política de volta.
    Gente de bem sofreu muito nos governos do PT, quando se governava para aquela gentalha sem classe, que sempre viveram no limite da miséria por total falta de mérito.

  2. Isso aí cheira a que esteja cevando apoios para compor um ministério pós-bozo, em que teria à disposição pelo menos uns 5 ministérios: Educação, Relações Exteriores, Casa Civil, Direitos Humanos e Meio Ambiente ou até mesmo um sexto, Economia, se Guedes for trucidado no processo. Mas isso tudo, na base do me ajuda antes a aprovar a reforma da previdência que depois eu te dou um pirulito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.