Na economia, não dá para chamar o Villas-Bôas

camvillas

Ninguém, em sã consciência, pode deixar de ver que os grupos de extrema direita detêm a liderança aparente do movimento dos caminhoneiros, aidna que haja lideranças ocultas que estruturem e sustentem os bloqueios.

Isso, inclusive, explica a “civilidade” com que têm sido tratados – como todos os que se manifestam deveriam ser, e não são – pelas forças policiais e militares.

Mas isso não pode deixar de que se perceba – e aí está a origem do apoio popular de que desfrutam, apesar dos transtorno que causam à população – a monstruosidade da política de preços, ou de extorsão, praticada com os combustíveis.

Procure nas colunas de economia dos jornalões e você verá que, na impossibilidade de defender a escalada dos preços, tudo ali são ataques aos impostos e só o que se diz é que eles precisam ser cortados.

Só que, na crise fiscal que vive o país, cortar receita é mortal, não só para o funcionamento já precários das administrações federal e estaduais, mas para que se mantenha o ritmo insano de financiamento do rentismo.

E é esta receita mortal que está sendo empregada, com a sandice de que o Governo possa manter as margens da Petrobras pelo repasse de verba pública a título de indenização pelo congelamento dos preços nas refinarias.

O cenário econômico, a partir de agora, vai agravar-se, mais do que já se agravou no último mês.

Economistas responsáveis, como Luiz Gonzaga Belluzo, já estimam queda superior a 2% no PIB e não é de se estranhar uma variação em sinal contrário, do déficit público, com a queda da receita tributária e a elevação dos subsídios nesta nova “conta petróleo”.

“Se a economia já não estava bem, agora complicou de vez”, afirma Belluzzo, ao 247.

Complicar talvez seja o verbo para o curto prazo. Em um pouco mais de tempo, colapso seja um expressão mais adequada.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

47 respostas

  1. E a canalhada rentista ganhando ainda mais com os salafrários que assaltaram o poder! #LulaLivre #Lula2018

  2. O colapso será inevitável e virá acompanhado de inflação. Muita inflação. Quanto à civilidade com que são tratados os caminhoneiros, acho que tem mais a ver com o perfil “técnico” da categoria, bem mais difícil de encarar do que os frágeis professores e indefesos estudantes. Afinal, sair no pau com quem tem potencial de revide físico é outra coisa. Ou vamos acreditar que o sujeito sai pra estrada num caminhão de 1 milhão de reais sem garantir sua defesa pessoal?

    1. Sensacional, até aqui o melhor e mais lúcido comentário sobre toda essa mixordia. Parabéns. Quanto a inflação tenho dúvida. O que não tenho dúvida é que tudo o que vem acontecendo no Brasil nos últimos anos se enquadra quase perfeitamente a “doutrina do choque” daquela moça canadense. A única maneira de impor um capitalismo de livre mercado ( onde o “livre” “mercado” é apenas uma representação falsa, uma utopia idílica, da realidade brutal de um capitalismo brutal) é através do terror e da intimidação.

    2. Vão tirar os impostos (o governo está encurralado. Mas… essa diminuição será no médio prazo engulida pela escalada do dólar e do preço internacional do petróleo. Fora é claro, que o Estado exaurido de recursos irá deixar cada vez mais de atender á população. Na próxima crise, que vai acontecer, quem (com o Estado tendo caído fora)vai subsidiar o preço dos combustiveis???

    3. Outra característica do “perfil técnico” é que praticamente toda a riqueza do país circula pelas mãos deles, enquanto o ensino é visto como despesa.

  3. É simples acertar essa conta … Tragamos todo o sistema para o piso salarial constitucional e extinção dos penduricalhos de todos os poderes constitucionais … Com certeza aí tem mais de bilhão …

  4. DIREITA BANDIDA LATINOAMERICANA!

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    “Greve” dos caminhoneiros tem o dedo de Sérgio Moro, cúmplice de Pedro Parente
    Por emérito e impávido jornalista e escritor Osvaldo Bertolino
    26/05/2018
    https://www.youtube.com/watch?v=5q_hMgjCDt4

  5. Esse Locaute cabe direitinho no Manual da CIA pra Guerra Assimétrica: provocar ações aparentemente desconexas pra manter o caos; antecipar-se ao inimigo político pra neutralizar suas ações.
    Petroleiros iniciam segunda-feira paralisação de 72 h. A imprensa Golpista vai passar a ideia de que trabalhadores de verdade são os caminhoneiros e que tem que “vender” a Petrobras.

      1. Não lembro onde guardei o endereço da fonte pro Manual de Guerra Assimétrica em Português. Se alguém souber, favor divulgar. No You Tube encontrei em Inglês.

    1. Acho bem fora de hora essa greve dos petroleiros. Vão falar que o combustível tá caro pq eles não trabalham direito e coisas do tipo. Sei não…

  6. Tem gente que pensa que nosso grande problema é um tal plano oculto e “alfabético” seja ele B, C, D, F, H ou a letra que se queira colocar dependendo do gosto ou do desgosto de quem o invoca. Engraçado porque o plano dos verdadeiros golpistas não tem letras, nem é oculto, se faz inclusive público, e chega pronto para o consumo dos gulosos e dos desavisados. O plano dos golpistas do Mercado, da Grande Imprensa e de seus representantes no mundo mdbdemotucano e com o auxílio “luxuoso” do Supremo só passaria por eleições no caso “muito excepcional” de que seu candidato pudesse vencer a eleição com folga, sem concorrentes ou competidores à altura, como de fato os golpistas chegaram a se iludir na época do Golpe contra Dilma e logo após as municipais. Um golpe de estado contra uma democracia conduz a um novo regime político necessariamente autoritário, arbitrário e corrupto, algo entre uma tecnocracia e um estado policial, que está na cabeça de 10 entre 10 golpistas. SEM A UNIÃO DE TODAS AS FORÇAS DEMOCRÁTICAS E POPULARES, não vai sobrar nada DE A a Z, passando por L de Lula. Ninguém imaginava a larga e longa noite que cairia depois daquele malfadado golpe que foi se moldando e construindo também aos poucos de (61 a 68) e que gerou o longo regime ditatorial de 1964. POR ISSO DEVEMOS DEFENDER E GARANTIR AS ELEIÇÕES DESSE ANO MESMO PORQUE SÓ NÓS A QUEREMOS.

  7. Caro FB
    Fica mais ou menos assim, os militares entram, a primeira coisas que eles fazem, é prender os petistas.
    Os caminhoneiros vibram, os maçons adoram, os tucanos ficam felizes, a classe média sobe nas alturas, e tudo se “acalma”.
    Saudações

  8. Antes de qualquer coisa,cabe destacar que o NEOLIBELISMO,ainda que queira desonerar os mais ricos,depende antes de tudo,encher os cofres públicos,não para políticas de transferência de renda para os mais pobres,senão para os RENTISTAS ,que aplicam nos tesouros dos países,pela TAXA DE RISCO.Somente por isso,eles aplicam nos tesouros dos países.Então,o Estado NEOLIBELISTA,fica numa sinuca,pois doando o que é público e que rende recursos para os COFRES PÚBLICOS,TRANSFERINDO PARA OS privados,CUJA ÚNICA COISA QUE SE TEM CERTEZA,SÃO OS ODORES,e os privados,especialistas em SONEGAR IMPOSTOS,a situação fica insustentável.Comparar com economias que exploram os países mais pobres,arrazoando que lá,as coisas funcionam,como exemplo,cite-se a economia estadunidense,que o GOVERNO DE LÁ,sustenta quase toda a máquina produtiva,encomendando ARMAS,para usar contra os outros,e quando não tem mais recursos,explora o resto que lhes são submissos.

  9. É por estes motivos que eu venho dizendo que “plano B” para a presidência é, além de traição, uma burrice. As forças golpistas não estão aí para entregar o poder a quem mude a agenda imposta.
    Por isto TODOS deveriam estar lutando por Lula, que é a única unanimidade popular, a única liderança capaz de conduzir o povo para a luta por seus direitos e seu futuro. A luta por Lula é muito mais do que a luta pela presidência, é pela democracia e pelo Brasil.

    1. Solta o Lula para negociar com os golpistas caminhoneiros. caminhoneiros apoiam o Bolsonaro. Na verdade os caminhoneirosr apoiaram o golpe contra a Dilma. O golpe ruiu !!!

        1. Tem angu por trás dessa greve. Um angu verde oliva. Os caminhoneiros são de direita ou extrema direita. Não admitiram Lula como negociador. Quem diria, eles sempre disseram q os sindicatos esquerdistas iriam com uma greve paralisar e sabotar o país. Quem está sabotando é uma categoria profissional vinculada à extrema direita. No entanto, acho q no meio dos caminhoneiros tem de tudo. Não é um grupo coeso, organizado. São vários líderes, sem se entender direito. O q os une é o aumento extorsivo do diesel promovido pelo governo golpista. Mas são várias as pautas q reivindicam. Entre os quais, a dos empresários do setor que querem redução dos impostos para aumentar o lucro. Não vai ser fácil desarmar essa bomba q o Parente criou.

          1. Pois é, Ana. Quando vejo esquerdista comemorando que a greve acaba de vez com o Governo Temer, me pergunto se o caminho pós Temer não pode ser ainda pior…

      1. Não dá para defender empresas de caminhoneiros que paralisaram pedindo o impeachment de Dilma na época que os combustíveis não subiam…eles não estão preocupados com o preço da gasolina e nem do etanol…quero que eles se fodam.

  10. Viva o ‘braZ$&l’ do golpe vagabundíssimo lavajateiro!

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Para economizar gasolina, PM inicia rondas com cavalos, drones e bicicletas em Salvador

    Domingo, 27 de Maio de 2018 – 17:00

    (…)

    FONTE: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/222525-para-economizar-gasolina-pm-inicia-rondas-com-cavalos-drones-e-bicicletas-em-salvador.html
    https://www.bahianoticias.com.br/fotos/principal_noticias/222525/IMAGEM_NOTICIA_5.jpg?checksum=1527449076

  11. Agora pense, onde ira o preco do combustivel com Pedro Parente na Petrobras se o petroleo que hoje esta 80 dolares for a 140, como ja esteve em 2008 (pergunta)

    1. Parente é cria de FHC, e sua especialidade é dar de ombros, assim como seu mentor. Esse filme já foi exibido no apagão de 2001.

  12. Pessoal aqui da esquerda delirando! O movimento é de direita extrema, ganha simpatizantes a cada momento que se tornam simpáticos aos métodos da extrema direita. Ou a esquerda vai pra rua e toma a narrativa, ou não há o que fazer além de assistir. Ainda é capaz de exigirem a execução sumária do Lula em praça pública.

  13. Essa entrevista é surreal do marqueteiro de Temer, Elsinho Mouco, ou melhor, Elsinho Louco. Feita depois da greve dos caminhoneiros. O cara parece que mora em outro pais. Um presidente que tem o principal assessor com uma mala cheia de dinheiro pelas ruas de São Paulo só poderia ter um publicitário dessa estirpe. Disse que Meireles vai surpreender eleitoralmente entre outras sandices.
    https://www.youtube.com/watch?v=YHydefRwo7c

  14. Levantamento dos 367 deputados que votaram a favor do impeachment. Que deram o primeiro passo para colocar o país nessa degradação. A gente não pode esquecer disso.
    Pedro Vilela PSDBAL
    Maurício Quintella Lessa PRAL
    Marx Beltrão PMDBAL
    JHC PSBAL
    Cícero Almeida PMDBAL
    Arthur Lira PPAL
    Valadares Filho PSBSE
    Laercio Oliveira SDSE
    Jony Marcos PRBSE
    Fabio Reis PMDBSE
    Andre Moura PSCSE
    Adelson Barreto PRSE
    Tadeu Alencar PSBPE
    Pastor Eurico PHSPE
    Mendonça Filho DEMPE
    Marinaldo Rosendo PSBPE
    Kaio Maniçoba PMDBPE
    Jorge Côrte Real PTBPE
    João Fernando Coutinho PSBPE
    Jarbas Vasconcelos PMDBPE
    Gonzaga Patriota PSBPE
    Fernando Coelho Filho PSBPE
    Eduardo da Fonte PPPE
    Danilo Cabral PSBPE
    Daniel Coelho PSDBPE
    Bruno Araújo PSDBPE
    Betinho Gomes PSDBPE
    Augusto Coutinho SDPE
    André de Paula PSDPE
    Anderson Ferreira PRPE
    Wilson Filho PTBPB
    Veneziano Vital do Rêgo PMDBPB
    Rômulo Gouveia PSDPB
    Pedro Cunha Lima PSDBPB
    Manoel Junior PMDBPB
    Hugo Motta PMDBPB
    Efraim Filho DEMPB
    Benjamin Maranhão SDPB
    Aguinaldo Ribeiro PPPB
    Uldurico Junior PVBA
    Tia Eron PRBBA
    Paulo Azi DEMBA
    Márcio Marinho PRBBA
    Lucio Vieira Lima PMDBBA
    Jutahy Junior PSDBBA
    José Carlos Aleluia DEMBA
    João Gualberto PSDBBA
    Irmão Lazaro PSCBA
    Erivelton Santana PENBA
    Elmar Nascimento DEMBA
    Claudio Cajado DEMBA
    Benito Gama PTBBA
    Arthur Oliveira Maia PPSBA
    Antonio Imbassahy PSDBBA
    Zé Silva SDMG
    Weliton Prado PMBMG
    Toninho Pinheiro PPMG
    Tenente Lúcio PSBMG
    Subtenente Gonzaga PDTMG
    Stefano Aguiar PSDMG
    Saraiva Felipe PMDBMG
    Rodrigo Pacheco PMDBMG
    Rodrigo de Castro PSDBMG
    Renzo Braz PPMG
    Raquel Muniz PSDMG
    Paulo Abi-ackel PSDBMG
    Odelmo Leão PPMG
    Newton Cardoso Jr PMDBMG
    Misael Varella DEMMG
    Mauro Lopes PMDBMG
    Mário Heringer PDTMG
    Marcus Pestana PSDBMG
    Marcos Montes PSDMG
    Marcelo Aro PHSMG
    Marcelo Álvaro Antônio PRMG
    Luiz Fernando Faria PPMG
    Luis Tibé PTdoBMG
    Lincoln Portela PRBMG
    Leonardo Quintão PMDBMG
    Laudivio Carvalho SDMG
    Júlio Delgado PSBMG
    Jaime Martins PSDMG
    Franklin Lima PPMG
    Fábio Ramalho PMDBMG
    Eros Biondini PROSMG
    Eduardo Barbosa PSDBMG
    Domingos Sávio PSDBMG
    Dimas Fabiano PPMG
    Diego Andrade PSDMG
    Delegado Edson Moreira PRMG
    Dâmina Pereira PSLMG
    Carlos Melles DEMMG
    Caio Narcio PSDBMG
    Bonifácio de Andrada PSDBMG
    Bilac Pinto PRMG
    Walter Alves PMDBRN
    Rogério Marinho PSDBRN
    Rafael Motta PSBRN
    Felipe Maia DEMRN
    Fábio Faria PSDRN
    Beto Rosado PPRN
    Antônio Jácome PTNRN
    Rodrigo Martins PSBPI
    Júlio Cesar PSDPI
    Iracema Portella PPPI
    Heráclito Fortes PSBPI
    Átila Lira PSBPI
    Sergio Vidigal PDTES
    Paulo Foletto PSBES
    Max Filho PSDBES
    Marcus Vicente PPES
    Lelo Coimbra PMDBES
    Evair de Melo PVES
    Dr. Jorge Silva PHSES
    Carlos Manato SDES
    Sóstenes Cavalcante DEMRJ
    Soraya Santos PMDBRJ
    Simão Sessim PPRJ
    Sergio Zveiter PMDBRJ
    Rosangela Gomes PRBRJ
    Rodrigo Maia DEMRJ
    Roberto Sales PRBRJ
    Pedro Paulo PMDBRJ
    Paulo Feijó PRRJ
    Otavio Leite PSDBRJ
    Miro Teixeira REDERJ
    Marcos Soares DEMRJ
    Marco Antônio Cabral PMDBRJ
    Marcelo Matos PHSRJ
    Luiz Carlos Ramos PTNRJ
    Julio Lopes PPRJ
    Jair Bolsonaro PSCRJ
    Indio da Costa PSDRJ
    Hugo Leal PSBRJ
    Francisco Floriano DEMRJ
    Fernando Jordão PMDBRJ
    Felipe Bornier PROSRJ
    Ezequiel Teixeira PTNRJ
    Eduardo Cunha PMDBRJ
    Dr. João PRRJ
    Deley PTBRJ
    Cristiane Brasil PTBRJ
    Cabo Daciolo PTdoBRJ
    Aureo SDRJ
    Arolde de Oliveira PSCRJ
    Altineu Côrtes PMDBRJ
    Alexandre Valle PRRJ
    Alexandre Serfiotis PMDBRJ
    Vitor Valim PMDBCE
    Ronaldo Martins PRBCE
    Raimundo Gomes de Matos PSDBCE
    Moses Rodrigues PMDBCE
    Moroni Torgan DEMCE
    Genecias Noronha SDCE
    Danilo Forte PSBCE
    Cabo Sabino PRCE
    Adail Carneiro PPCE
    Victor Mendes PSDMA
    Sarney Filho PVMA
    Juscelino Filho DEMMA
    José Reinaldo PSBMA
    João Castelo PSDBMA
    Hildo Rocha PMDBMA
    Eliziane Gama PPSMA
    Cleber Verde PRBMA
    André Fufuca PPMA
    Vitor Lippi PSDBSP
    Vinicius Carvalho PRBSP
    Vanderlei Macris PSDBSP
    Tiririca PRSP
    Silvio Torres PSDBSP
    Sérgio Reis PRBSP
    Samuel Moreira PSDBSP
    Rodrigo Garcia DEMSP
    Roberto de Lucena PVSP
    Roberto Alves PRBSP
    Ricardo Tripoli PSDBSP
    Ricardo Izar PPSP
    Renata Abreu PTNSP
    Pr. Marco Feliciano PSCSP
    Paulo Pereira da Silva SDSP
    Paulo Maluf PPSP
    Paulo Freire PRSP
    Nelson Marquezelli PTBSP
    Missionário José Olimpio DEMSP
    Milton Monti PRSP
    Miguel Lombardi PRSP
    Miguel Haddad PSDBSP
    Marcio Alvino PRSP
    Marcelo Squassoni PRBSP
    Mara Gabrilli PSDBSP
    Major Olimpio SDSP
    Luiz Lauro Filho PSBSP
    Keiko Ota PSBSP
    Jorge Tadeu Mudalen DEMSP
    João Paulo Papa PSDBSP
    Jefferson Campos PSDSP
    Herculano Passos PSDSP
    Guilherme Mussi PPSP
    Goulart PSDSP
    Gilberto Nascimento PSCSP
    Floriano Pesaro PSDBSP
    Flavinho PSBSP
    Fausto Pinato PPSP
    Evandro Gussi PVSP
    Eli Corrêa Filho DEMSP
    Eduardo Cury PSDBSP
    Eduardo Bolsonaro PSCSP
    Edinho Araújo PMDBSP
    Duarte Nogueira PSDBSP
    Dr. Sinval Malheiros PTNSP
    Celso Russomanno PRBSP
    Carlos Sampaio PSDBSP
    Capitão Augusto PRSP
    Bruno Covas PSDBSP
    Bruna Furlan PSDBSP
    Beto Mansur PRBSP
    Baleia Rossi PMDBSP
    Arnaldo Jardim PPSSP
    Arnaldo Faria de Sá PTBSP
    Antonio Bulhões PRBSP
    Alexandre Leite DEMSP
    Alex Manente PPSSP
    Tampinha PSDMT
    Professor Victório Galli PSCMT
    Nilson Leitão PSDBMT
    Fabio Garcia PSBMT
    Carlos Bezerra PMDBMT
    Adilton Sachetti PSBMT
    Professora Dorinha DEMTO
    Lázaro Botelho PPTO
    Josi Nunes PMDBTO
    Dulce Miranda PMDBTO
    César Halum PRBTO
    Carlos Henrique Gaguim PTNTO
    Rocha PSDBAC
    Jéssica Sales PMDBAC
    Flaviano Melo PMDBAC
    Alan Rick PRBAC
    Rôney Nemer PPDF
    Ronaldo Fonseca PROSDF
    Rogério Rosso PSDDF
    Laerte Bessa PRDF
    Izalci PSDBDF
    Augusto Carvalho SDDF
    Alberto Fraga DEMDF
    Thiago Peixoto PSDGO
    Roberto Balestra PPGO
    Pedro Chaves PMDBGO
    Marcos Abrão PPSGO
    Magda Mofatto PRGO
    Lucas Vergilio SDGO
    Jovair Arantes PTBGO
    João Campos PRBGO
    Heuler Cruvinel PSDGO
    Giuseppe Vecci PSDBGO
    Flávia Morais PDTGO
    Fábio Sousa PSDBGO
    Delegado Waldir PRGO
    Daniel Vilela PMDBGO
    Célio Silveira PSDBGO
    Alexandre Baldy PTNGO
    Nilton Capixaba PTBRO
    Marinha Raupp PMDBRO
    Mariana Carvalho PSDBRO
    Marcos Rogério DEMRO
    Luiz Cláudio PRRO
    Lucio Mosquini PMDBRO
    Lindomar Garçon PRBRO
    Expedito Netto PSDRO
    Silas Câmara PRBAM
    Pauderney Avelino DEMAM
    Marcos Rotta PMDBAM
    Hissa Abrahão PDTAM
    Conceição Sampaio PPAM
    Átila Lins PSDAM
    Arthur Virgílio Bisneto PSDBAM
    Alfredo Nascimento PRAM
    Tereza Cristina PSBMS
    Mandetta DEMMS
    Geraldo Resende PSDBMS
    Elizeu Dionizio PSDBMS
    Carlos Marun PMDBMS
    Toninho Wandscheer PROSPR
    Takayama PSCPR
    Sergio Souza PMDBPR
    Sandro Alex PSDPR
    Rubens Bueno PPSPR
    Ricardo Barros PPPR
    Paulo Martins PSDBPR
    Osmar Serraglio PMDBPR
    Nelson Padovani PSDBPR
    Nelson Meurer PPPR
    Marcelo Belinati PPPR
    Luiz Nishimori PRPR
    Luiz Carlos Hauly PSDBPR
    Luciano Ducci PSBPR
    Leopoldo Meyer PSBPR
    Leandre PVPR
    João Arruda PMDBPR
    Hermes Parcianello PMDBPR
    Giacobo PRPR
    Fernando Francischini SDPR
    Evandro Roman PSDPR
    Dilceu Sperafico PPPR
    Diego Garcia PHSPR
    Christiane de Souza Yared PRPR
    Alfredo Kaefer PSLPR
    Alex Canziani PTBPR
    Wladimir Costa SDPA
    Nilson Pinto PSDBPA
    Júlia Marinho PSCPA
    Josué Bengtson PTBPA
    José Priante PMDBPA
    Joaquim Passarinho PSDPA
    Hélio Leite DEMPA
    Francisco Chapadinha PTNPA
    Delegado Éder Mauro PSDPA
    Arnaldo Jordy PPSPA
    Marcos Reategui PSDAP
    Cabuçu Borges PMDBAP
    André Abdon PPAP
    Valdir Colatto PMDBSC
    Ronaldo Benedet PMDBSC
    Rogério Peninha Mendonça PMDBSC
    Mauro Mariani PMDBSC
    Marco Tebaldi PSDBSC
    Jorginho Mello PRSC
    Jorge Boeira PPSC
    João Rodrigues PSDSC
    João Paulo Kleinübing PSDSC
    Geovania de Sá PSDBSC
    Esperidião Amin PPSC
    Cesar Souza PSDSC
    Celso Maldaner PMDBSC
    Carmen Zanotto PPSSC
    Sérgio Moraes PTBRS
    Ronaldo Nogueira PTBRS
    Renato Molling PPRS
    Osmar Terra PMDBRS
    Onyx Lorenzoni DEMRS
    Nelson Marchezan Junior PSDBRS
    Mauro Pereira PMDBRS
    Luiz Carlos Busato PTBRS
    Luis Carlos Heinze PPRS
    Jose Stédile PSBRS
    José Otávio Germano PPRS
    José Fogaça PMDBRS
    João Derly REDERS
    Jerônimo Goergen PPRS
    Heitor Schuch PSBRS
    Giovani Cherini PDTRS
    Darcísio Perondi PMDBRS
    Danrlei de Deus Hinterholz PSDRS
    Covatti Filho PPRS
    Carlos Gomes PRBRS
    Alceu Moreira PMDBRS
    Afonso Hamm PPRS
    Shéridan PSDBRR
    Remídio Monai PRRR
    Maria Helena PSBRR
    Jhonatan de Jesus PRBRR
    Hiran Gonçalves PPRR
    Carlos Andrade PHSRR
    Washington Reis PMDBRJ
    Abel Mesquita Jr. DEMRR
    Alberto Filho PMDBMA

  15. A classe mérdia, preocupadíssima com patrões em caminhões, coloca em seus status: “somos todos caminhoneiros”.
    Interessante. Não vi tamanha comoção em greves de professores ou de colaboradores da saúde: “somos todos servidores”. Teve?

  16. Intervenção militar: Tem sentido a reivindicação dos caminhoneiros? Tem, mas…..
    .
    Se ouve pedidos de intervenção militar junto com alguns manifestantes caminhoneiros, isto pode ser considerado algo totalmente incompatível com as reivindicações dos mesmos, mas este pedido tem sentido até determinado ponto, mas é totalmente incompatível com a política do Imperialismo.
    .
    Cada dia fica mais claro para a maioria da população que pensa é que o golpe que alguns simplesmente denominam jurídico-mediático, na realidade é um golpe do grande capital internacional.
    .
    Já no fim do século XIX e início do século XX vários economistas capitalistas e o próprio Lenin no seu livro “O Imperialismo, Fase Superior do Capitalismo”, identificavam o surgimento de uma nova forma de Capitalismo, o capitalismo internacionalizado e ultrapassando as próprias barreiras dos impérios da época. O movimento ainda era incipiente e muitas vezes atrapalhado por lutas nacionalistas capitaneadas principalmente por grupos de direita ou extrema-direita.
    .
    Com o fim da segunda-grande guerra, o Imperialismo passou a agir mais livre das amarras nacionais e foi levado aos píncaros da ideologia da máxima eficiência pela socialdemocracia. Estes grupos de indústrias monopolistas internacionais, tem evoluído cada vez mais desembocando na famosa falácia da sociedade pós-moderna.
    .
    Porém as fronteiras do desenvolvimento do imperialismo necessitam cada vez mais de se expandir sem a mínima limitação, ou seja, as fronteiras nacionais, por mais permeáveis que sejam as mercadorias ainda encontram limitações impostas pelos precários, porém ainda existentes, parlamentos. Parlamentos estas que eleitos pelo voto universal devem tributo as oligarquias nacionais que de uma forma ou outra impõe restrições a livre circulação de mercadorias e de pessoas.
    .
    A União Europeia apesar de ser a máxima representação desta expansão desenfreada do imperialismo, ainda não aceita a entrada de determinados sócios que tem o potencial de se impor em determinados ramos em que a monopolização imperialista esteja já estabelecido. Por exemplo, a negativa para a entrada da Turquia na comunidade é um exemplo claro, escondido através de razões humanitárias ou democráticas. Também os acordos tipo Mercosul e União Europeia são restritos pois setores como do agronegócio os países do Mercosul por apresentarem vantagens competitivas que jamais serão superadas pela U.E. nem que a mesma concentre toda a sua capacidade industrial neste ramo, pois não há como aumentar o tamanho, a disponibilidade hídrica e a insolação na Europa.
    .
    O problema principal que podemos identificar no parágrafo anterior não é que os pobres trabalhadores rurais europeus ou ficaram eternamente ligados ao desemprego estrutural ou terão que ser convertidos em trabalhadores urbanos (que também estão em crise de desemprego). As grandes corporações monopolistas nem estão aí com o problema do agricultor europeu, porém estão extremamente preocupados com legislações dos países que impeçam a propriedade da terra aos grandes conglomerados.
    .
    Assim como exemplo anterior poderíamos citar inúmeros outros, onde a presença do Estado Nacional impede por legislação a expansão sem freios do Imperialismo, desta forma além da destruição da indústria dos países periféricos é necessário a extinção do Estado Nacional como um fator de constrangimento do capital internacional.
    .
    Neste ponto é que começamos a falar no problema proposto no artigo, até que ponto a intervenção militar é algo desejado pelo grande capital e até que ponto as forças armadas são um empecilho para a penetração deste capital imperial.
    .
    Muitos não entendem porque o atual golpe não é capitaneado pelas corporações militares, e o porque que uma segunda fase do golpe, com a instalação de um regime militar ainda não vingou.
    .
    Talvez a resposta mais simples é que as forças armadas da América Latina ainda não foram internacionalizadas, ou seja, as forças armadas brasileiras por mais entreguistas que sejam ainda a bandeira que eles tem que saudar é a Bandeira Brasileira.
    .
    Alguém poderia perguntar se há lugar no mundo em que as instituições militares são internacionalizadas? Totalmente não, mas a OTAN faz de forma atravessada o papel parcial de internacionalização das forças armadas dos Estados Europeus. A OTAN tem vários problemas não solucionados, por exemplo as suas fronteiras não correspondem as fronteiras da Comunidade Europeia, o caso da Turquia é um exemplo clássico, é da OTAN mas não é a Comunidade. Porém o caso mais grave da OTAN é a onipresente presença dos USA, mas como não é o assunto do texto não iremos detalhar.
    .
    Mas voltando aos assuntos pátrios, as forças armadas no governo é um empecilho, talvez não no momento, mas num futuro remoto ou próximo, da integração (que poderíamos errar na datilografia e escrevermos entregação que daria no mesmo) de todo o Brasil ao Imperialismo Internacional. .
    .
    Um governo militar não está salvo de aparecer num futuro qualquer algum comandante de uma fração das forças armadas que acreditando no discurso oficial de nacionalismo e amor a pátria, possa criar um projeto “Tiradenteano” para o país.
    .
    Mas indo mais fundo no caso dos caminhoneiros pedindo intervenção militar, podemos simplesmente creditar estes pedidos ao equívoco político dos caminhoneiros que não se dão conta que as próprias forças armadas ao nível de comando, estão apoiando o governo que lhes impõe a loucura da política de preços do Pedro Parente, e também podemos atribuir esta falsa imagem que talvez esteja sendo transferida pelas patentes inferiores das forças armadas aos caminhoneiros. Explicando melhor, como um caminhoneiro tem baixa probabilidade de se relacionar com as patentes mais elevadas das forças armadas, mas se tiverem interação com esta instituição será através de suboficiais ou oficiais menos graduados, que escutam de seus superiores o que estes não pensam, mas que tem como discurso, que as forças armadas estão aí para proteger o país e não para proteger quem está entregando o país para o Imperialismo Internacional, os caminhoneiros ficarão certos que uma intervenção militar seria ao seu favor.
    .
    Vamos resumir a resposta ao aparente dilema que tem no título deste comentário.
    .
    Tem sentido a reivindicação dos caminhoneiros de pedir uma intervenção militar?
    .
    Certamente tem sentido, principalmente se a avaliação das forças armadas fossem comandadas por elementos nacionalistas, não vinculados ao imperialismo internacional e fossem num senso amplo, patriotas.
    .
    Por que o mas…?
    .
    Simplesmente porque dentro do atual comando, entreguista, antipatriótico e antinacionalista é simplesmente pedir para a raposa cuidar do galinheiro.

  17. A Lula por Lula, é certamente a luta pela reconciliação democrática. Esse conceito deve estar por trás de todos os atos, pela sua soltura e sua recondução ao Palácio do Planalto.

  18. O golpe levou o país a essa crise terrível. E a direita ainda querer se beneficiar da desgraça que ela mesmo criou é uma desgraça ainda maior.

  19. E os empresários e tolos que apoiaram este governo golpista, autor da política de preços dos combustíveis e outros descalabros da política econômica que só afundam o país. não se sentem responsáveis pelo caos instalado e os prejuízos?

  20. Não tivéssemos o exemplo do Chile de Allende, aventar um patrocínio americano à greve dos caminhoneiros não passaria de teoria da conspiração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.