Na TVT: o crime de afrouxar a quarentena. Assista

O anúncio do Ministério da Saúde de que poderia “afrouxar” as medidas de isolamento social – um crime, em nossas atuais circunstâncias – e a imprudência em torno da escolha da hidroxicloriquina como “droga salvadora” contra o coronavírus foram os temas de hoje no programa Bom para Todos, da TVT, conduzido pela jornalista Talita Galli.

Compartilho com os leitores opiniões e informações que levei para o programa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. Em todo o mundo, e nós não fugimos à regra, as mortes são de 5% dos que ficam doentes. Mas, quem está doente?
    Resposta, não sabemos. Mas, se o número de doentes chegar ao ponto de lotar os CTIs (e a maioria destes leitos está na rede privada), então, muita gente vai morrer do covid-19 e de todas as ocorrências que exigirem um leito de CTI, de acidente de carro a infarte…
    Em outras palavras: Se o governo não pensar em usar a rede privada, nem que seja parcialmente (já foi feito lá fora), estamos muito perto de um desastre de proporções bíblicas. Um problema sério é que as pessoas não entendem quão rápido sobe o número de infectados em uma epidemia como esta. Acham que, como o número está baixo, não vai subir. Como convencê-los do contrário, se o chefe de Estado não se importa com mortes?

    1. Vc acha q a justiça vai permitir q o governo use um leito de uti particular? So em sonhos. Tem q ocupar com a pm a nao ser q alguem no uso se suas proprias razoes invada um hospital e estoure os miolos de medicos se um parente nsi for atendido…

    2. Para um país em desenvolvimento, mas com um governo subdesenvolvido, há solução tentadora para tudo isso: O blackout de informações sobre doentes e mortes. Só o que falta para nossa vergonha global será denúncias internacionais sobre um blackout de informações quanto à pandemia. Mas segundo especialistas, a virulência da pandemia é tão abrangente que termina por devorar esta possibilidade. Será impossível esconder a marcha avassaladora da peste.

  2. Até então eu nunca tinha assistido aos vídeos com o Fernando Brito na TVT. Eu gosto tanto do que ele escreve, que tinha medo de me decepcionar. Tinha receio de não gostar da voz, do jeito de falar, de descobrir que falando ao vivo ele não seria tão bom quanto nos textos que escreve.

    Finalmente, quebrei esta auto-limitação, fui em frente e assisti. Descobri que meus receios eram infundados, e achei excelente o tom e a maneira de expressar – à altura de suas publicações. Que bom!

    Vale dizer também que achei incrível também a atuação da entrevistadora. Altamente profissional.

    Estão de parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *