Nível dos reservatórios de hidrelétricas cai a 20% do total

pior

Sob quase completo silêncio da mídia, a situação hídrica brasileira está se deteriorando rapidamente.

Na medição de hoje – que só será divulgada oficialmente na segunda-feira – a  energia potencial acumulada nos reservatórios deve estar por volta de 60 mil Megawatt/mês, 20 % dos 291 mil MWmes  de sua capacidade máxima de acumulação.

Há alguma chuva, miúda, na região central do país, mas nada que ultrapasse a secura do solo e se reflita no fluxo dos rios.

Estamos, pelo quarto mês consecutivo, batendo recorde negativo de vazão do reservatório inicial do São Francisco, Três Marias, que vai, em boa parte, determinar a situação de Sobradinho e Itaparica e Xingó, rio abaixo.

No gráfico acima, a linha preta é a vazão da água que chegou no pior ano até hoje, o ano de 2014. A vermelha, o que temos hoje.

E a água que não chega “alimenta” os reservatórios que já não reservam.

Três Marias, para manter o fluxo d’água mínimo no São Francisco, está liberando 10 vezes mais água do recebe, Sobradinho, embora reduzido a 4% de sua capacidade, ainda está liberando “apenas” o dobro do que recebe.

As previsões de volume do reservatório de Três Marias chegam, se o cenário continuar desastroso, são de chegar a  a 4 a 5% em dezembro e Sobradinho a zero.

Não tenho nenhuma fonte especial para dar estas informações, está disponível para quem quiser ver, na “Reunião de avaliação da bacia do rio São Francisco”  realizada no último  dia pela Agência Nacional de Águas, que está disponível no Youtube.

Estão ali estas e muitas outras informações e análises sobre o que se escreveu aqui. Mas não vale uma cobertura, não vale uma análise menos técnica e mais compreensível para o público.

A diferença é que, agora, não há reportagens sobre o perigo do “apagão”, não tem Miriam Leitão entrevistando especialistas alarmistas, não tem incompetência do Governo, é apenas o drama da seca e do deserto morto, que é exibido quase que como curiosidade.

Começa hoje o horário de verão, para economizar um pouco de energia, que os demagogos quiseram acabar, a pretexto de que economiza muito pouco.

Este ‘muito pouco”, tomara, talvez possa nos salvar.

Talvez, porque os especialistas confirmam que o período chuvoso vai atrasar.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. … Não à toa o ‘jornal nacional’ de hoje entubou o mafioso ‘presiMENTE’ ladrão MT com a quadrilha toda dentro!

  2. Não sou criança mais já há algum tempo, e este tempo pra mim já vai dia a dia se acabando. Muito novo ouvia o que Getúlio passou até chegar ao seu fim. Depois ouvia sobre as dificuldades de Juscelino governar. O candidato da família em 60 foi derrotado pela máquina. Em 62 o IBAD elege não uma câmara, mas uma camarilha, todos eleitos com dinheiro, impossível para Jango governar. Aí vem 64 e logo depois sinto na faculdade o que é uma ditadura.. vem as Diretas Já, e cria-se uma esperança, mas desagua num golpe contra nós todos e sarney assume, uma desgraça. Vem 89 e a esperana era Brito lá, mas que nada vem Colorado. Daí pra frente todos de hoje vivemos, vem Lula 1 e 2, e Dilma 1, nós cheios de esperança. Aí vem Dilma 2 e logo de cara procura trabuco e levy, que não era nada do era proposto. Aí vem a desgraça. E o meu tempo acabando…..

  3. Onde está BRITO leia BRIZOLA. O corretor fez aparecer Brito. Hoje sou seu seguidor nas notícia do dia a dia.

  4. Prezado Fernando Brito;
    Não é MWmédios. É MWmês a unidade de armazenamentos dos reservatórios.
    A economia de energia com o horário de verão é bastante discutível.
    Há sim uma redução do consumo no horário de pico, comprovado.
    Quanto ao reservatório de Sobradinho,existe, não sei porquê, um volume adicional que pode ser utilizado para geração de energia.
    Participei do gerenciamento do racionamento de energia de 2001 junto com Pedro Parente.
    Atenciosamente;
    Aelton M. Faria – Gerente de Energia aposentado da Cemig.

  5. Fernando, com essa gastança de água, parece que a tarja vermelha nas contas de luz (geração termelétrica) é conto do vigário.
    E, na hora que a água acabar, as termos não vão dar conta.
    Tome racionamento, e, tome porrada.

  6. A catástrofe é irreversível…se não acontecer este ano, será no próximo. Estão tentando mitigar com importação de energia da Argentina e do Uruguai, que não chega aos 600mw médios, com rebaixamento do nível da hidroelétrica de Itaipu em 3 metros, com tentativa de acionamento de todas as térmicas, inclusive a do MT dos irmãos batista, este horário de verão que não adianta nada, pois o horário de pico agora é à tarde e não no início da noite, etc…mas a bomba já foi armada, não quiseram acionar as térmicas mais caras antes, o que poderia, apesar de mais caras, terem ajudado a evitar a catástrofe, ou seja, pura imncompetência! Talvez com energis de Belo Monte chegando ao SE a partir de dezembro possamos ter um pouco de esperança que é o que nos resta…

  7. Miriam Leitão não entrevista Cassandras, assim com Ana Maria Braga não usa um botijão de gás como pingente.

    Plim-plim!

  8. O aumento da luz em 2015 principalmente por causa da seca foi um dos fatores usados pela mídia e políticos para tirar a Dilma. 2016 foi bom para os reservatórios.
    Mas agora a chuva parou e os reservatórios secaram. E boa parte do baixo nível dos reservatórios é por falta de seriedade do governo Temer que não diminuiu a produção das hidroelétricas só para artificialmente não aumentar a Luz. Agora os reservatórios estão seco, a termo foram acionadas, a luz aumentou e o risco de apagão como aconteceu em 2001 voltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *