O Brasil virou um país “fake”

Em poucos lugares do Brasil – diria que só nas comunidades bolsonaristas – não houve gente cética quanto ao fato de que o presidente da República ter contraído o novo coronavírus.

Até no exterior, nos conta Jamil Chade, no UOL, a pergunta “será verdade que ele está contaminado?” corre solta entre os diplomatas acreditados na ONU.

Não sou adepto, claro, deste ceticismo, até porque Jair Bolsonaro fez tudo o que estava ao seu alcance para contrair a doença.

É curioso, entretanto, como tudo no Brasil virou duvidoso. Duvida-se dos políticos, dos médicos, dos jornalistas, dos juízes, duvida-se das vacinas, da esfericidade da Terra, da máscara cirúrgica (afinal, ‘coisa de viado’, segundo o Presidente), duvida-se até que haja mortos no desfile de caixões que vemos em algumas cidades.

Não se crê no isolamento social, acha-se que a tal “gripezinha” é uma bobagem, não se acredita nas imagens de satélite que mostram o desmatamento da Amazônia, juram que se distribuía kit gay e “mamadeira de piroca” nas escolas infantis e que Frederick Wassef escondeu Queiroz até de Jair e Flávio Bolsonaro e que Sergio Moro era um juiz imparcial que tirou das eleições o candidato favorito e, logo depois, foi ser seu ministro de Estado.

A lista podia seguir quase indefinidamente, mas basta para entender o quanto isso é tóxico para nossa vida coletiva, seja no comportamento pessoal, seja na política, seja na economia.

O Brasil é um país devastado pela incapacidade de agir com racionalidade que nos vem do primeiro escalão de poder nacional. Tudo o que se faz é negar, confrontar, a partir de um desqualificado que, como regra, adota a desclassificação alheia como argumento.

Bolsonaro e sua forma de nos (des)governar é um empecilho ao reerguimento da vida brasileira. Não haverá frente, pacto, união, acordo, nada que possa fazer com que se reme na mesma direção com a sua presença nos intoxicando.

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Verdade , lembram daquela ” colonista ” da massa cheirosa ” , comentou em plena globo news que o presidente Lula tinha um esquema parecido no planalto com os ” tais blogs sujos ” . Há tempo lembrei o nome da infeliz , Eliane Cantanhêde .
    Porém ninguém até agora desmentiu . Nem o partido do presidente e nem os tais blogs citados por ela .
    Essas coisas tem que ser desmentidas prontamente e no mínimo um processo .

  2. O Genocida não é um empecilho ao reerguimento da vida brasileira, ele é apenas um bosta feito empecilho e, se aqueles que são realmente empecilhos quiserem, o filho da puta é apeado da cadeira e vai para cadeia num estalar de dedos, de tantos crimes que já cometeu.

    O empecilho real ao reerguimento da vida brasileira não está neste estrume desdentado, como já se mostrou, mas nos seus patrões, estrangeiros ou com sede no país, aqueles que ganham muito dinheiro e poder com a recolonização do país e a semi-escravização da sua gente, em conjunto com um exército lesa-pátria de militares delinquentes e vendilhões do povo que lhes paga o soldo e as mordomias..

    1. Resumindo as ditas classes dominantes: burguesia, rentismo, latifúndio, capital estrangeiro e parcela significativa das igrejas, inclusive parte significativa da católica

  3. Cadê o Queiroz?- TÁ EM CASA!
    Aliás tudo está em casa,o Brasil se tornou um covil onde a bandidagem comanda,
    Bandidos nos mais altos escalões;Executivo,.Legislativo.Judiciário.Ministério Público,Polícia Federal,Forças Armadas,Mídia,Empresariado; TUDO BANDIDO !
    E Vamos pois seguir a máxima da bandidagem; BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO!

  4. talvez nunca mais consigamos voltar a normalidade, ou o como era antes.. e eu que achava q a ditadura tinha feito um estrago… jisuis

  5. O grande problema é que uma parcela de brasileiros se mostrou uma das piores raças de seres humanos do planeta .
    Gente perversa , psicopata , escravagista ….

  6. Furar a pauta é a árdua missão dos brasileiros. Estou feliz que quase ninguém ligou para a doença do dito presidente. Temos que discutir o que tramam e fazem contra nós em planos escondidos, camuflados.

  7. O Brasil como um país não existe mais, as instituições estão corrompidas e não há mais organização, estamos vivenciando uma briga de mafiosos pelo poder onde tudo está as claras e ninguém quer ver, o poder executivo não executa nenhum projeto, o judiciário quer governar, o legislativo quer se vender pelo melhor preço, não há saúde, educação, leis não são cumpridas, bandidos comandam pessoas honestas, ignorantes comandam ministérios, o Brasil terminou no primeiro segundo após a eleição quando um traficante deu o pontapé inicial do golpe de lá pra cá só desconstrução com o respaldo da mídia corporativa, dos empresários que se servem do estado, da elite vendida, restou uma esquerda perdida e uma população que quer ir as compras mesmo arriscando a vida.

  8. O problema da dúvida fica claro depois da Fakade: se Ele teve a ousadia de encenar aquilo, de encenar o corpo todo costurado (aquele pano azul sobre o pescoço disfarça a distorção da cabeça e do corpo, no que foram acoplados), do que não será capaz? O comprimido é cloroquina ou placebo?

  9. Brito, lendo seu artigo cruelmente fiel na descrição da atual realidade brasileira, me invade uma profunda tristeza ao ver um país sem expectativas, sem esperança, sem futuro. A par disso, me dói ver um povo dividido, uma parte apática, uma parte raivosa e imbecil seguindo um falso mito, uma parte sofredora e fatalista arcando com as consequências do mais incompetente e vagabundo governo que o país já teve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *