O (des)governo do Brasil

João Montanaro, na sua charge da Folha, resume sem uma palavra a nova face do poder político no Brasil.

Não há, praticamente, um estado brasileiro onde a policia não tenha tomado o freio nos dentes e encostado na parede os governantes eleitos, exceção feita aos que já tinham se encostado antes e vivem num regime de promiscuidade total.

O caso do Ceará apenas desnudou, dramaticamente, o quanto a polícia se adonou da vida político-social.

O amotinamento de policiais no estado não teve, até hoje, uma palavra de crítica de Jair Bolsonaro.

É a sua turma.

Não é o presidente que porta um distintivo no paletó – uma “caveira” honorária, como sugeriu Sérgio Moro à bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP).

São os maus policiais, autoritários e ameaçadores que usam, como coletes à prova de punição, as faixas que Montanaro desenhou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. O desgoverno do Inominável faz o que quer porquê não existe oposição a ele, principalmente dos que foram eleitos e que são muito bem remunerados para exercer seus cargos de deputados e senadores, mas não se movem, assim como também permanecem criminosamente inertes as lideranças (?!) partidárias, sindicais, sociais, estudantis, etc. Nunca um “presidente” (escolhido num processo eivado de ilegalidades) apresentou tantas fragilidades para os que a ele se opõem, mas parece que há algum acordo de bastidores para deixar o miliciano neofascista fazer o que quiser. A “oposição” ao atual governo precisa explicar porquê não se reúne, negocia uma pauta mínima de curtíssimo prazo e organiza a resistência popular nas ruas. O que impede que isso seja feito? O que rola por trás dessa omissão cúmplice?

    1. Já combinaram com o povo ? que passivamente só reclama e não age ? com a mídia oficial que mente, manipula e engana ?cobrar é fácil, aponte saídas.

      1. A saída ele apontou quando denunciou as lideranças e políticos “de esquerda” que não se movem.
        Flavio Dino não se move porque está ocupado entregando a Base de Alcântara aos EUA e “conversando” com o nazi-sionista Luciano Huck, da globo.
        O governador Rui Costa não se move porque está ocupado defendendo a PM da Bahia da acusação de ter executado o miliciano para ajudar a família Bolsonaro.
        Fernando Haddad não se move porque está ocupado fazendo “convites” a FHC, Ciro, Marina e sabe-se lá mais quem.
        Por isso é que — só para citar um exemplo — a greve dos petroleiros não teve um grande movimento nacional de apoio. Ficou só em alguns atos públicos e um dia de mobilização dos caminhoneiros.
        A saída é a esquerda abandonar os gabinetes com ar condicionado e mobilizar o povo. A liderança precisa… liderar!

      2. Muito bem Carlos. Vejo também muita gente boa sentada aqui e acolá teclando mas, convocar, ir pra rua mesmo que é bom, nada.Já tivemos manifestações sim, vamos ter mais, mas a grande imprensa (nosso inimigo comum) não fala nada (exemplo dos petroleiros).

  2. Triste momento de nossa história. “Esquerdopatia” assustadora, não se move, não reage à altura. Por quê será que votamos em vocês? Estão parado, pensando? Assim não vai a lugar nenhum. E na próxima eleição: o quê fazer com nossos votos? Estou pensando e vou encontrar uma resposta.

  3. Esse caso do Ceará, todos mascarados, não apenas pode encobrir a identidade, mas também a origem e a naturalidade de criminosos. Quem garante que ali só há cearenses? E quem garante que ali só há brasileiros? Pode muito bem haver por ali terrorismo internacional de ultra-direita. De qualquer modo, a competente ministra Damares, cujas divinais opiniões valem por uma constituição inteira, já declarou que policiais têm todo o direito de fazer greve.

    1. Joga aquela tinta q o pinochet jogava e nao sai. Dai o mascarado fica marcado. Ou usa meu sistema… Um batalhao 600 fuzileiros navais se nao se entregar levam 12000 tiros de fuzil

  4. O (DES) JORNALISMO APOTEÓTICO DO BRASIL. TUDO ESTÁ UMA MARAVILHA, QUARTA FEIRA DE CINZAS VAI SER APLAUDIDO, NÚMEROS ENORME DE EMPREGOS GERADO NO CARNAVAL, ALÉM DA DINHEIRAMA QUE CIRCULOU COM TURISMO (HOTÉIS LOTADOS) NO CARNAVAL. NÃO SE VIA DESDE ANOS A GRANDE QUANTIDADE DE TURISTAS NESSE CARNAVAL.

  5. IMPRENSA DO BRASIL: Militar brasileiro preso com 39 quilos de cocaína em avião (é da FAB, não é da presidência) na Espanha admite crime e reduz pena. Se fosse do PT seria? Militar brasileiro condenado por transportar 39 quilos de cocaína pura avaliada em U$ milhões na Espanha reduz pena de 8 anos para 6 anos por delatar cocaína no avião do presidente LULA.

  6. Prezado Fernando Brito, a gênese sociológica esta descrito neste artigo publicdo no GGN, sobre o Vazio de poder e a ameaça das Corporações… excerto:

    Falo do sub empoderamento de cada um dos componentes das corporações, ou seja, uma vez tendo sido entranhado em seu patrimônio individual a cultura que o poder, de fato, lhes era franqueado em caráter personalíssimo, logo a seguir começaram a haver abusos, uma vez que, em

    razão do “espírito de corpo”, os excessos era reprimidos somente ao ponto de não macularem a instituição, considerada íntegra, como corpo

    sem manchas.

    De igual sorte, uma vez que todos presentavam (eram) a instituição, a condenação por atos jamais poderia ultrapassar a barreira que pudesse

    atingir de forma indireta a idoneidade da corporação, cingindo-se, efetivamente, a meras correções em atos excessivos de seus membros.

    Assim aos Juízes e membros do Ministério Público, por faltas graves, a condenação a ser aplicada é a aposentadoria compulsória, aos policiais,

    por atos com excesso de violência ou poder, reprimendas de caráter administrativo ou arquivamentos sumários, ainda que de tais atos tenham

    resultado mortes ou graves mutilações.

    Tal forma condescendente, somada ao empoderamento de seus membros, aos poucos fez com que cada um ficasse cheio de orgulho e vaidade, com os acima chamados “delírios de poder”.

    Começaram então, a pipocarem atos autoritários em todos o recantos do país, em todas instituições, como meros desdobramentos do poder total

    concedido a cada parte do todo.

    Ressalto, neste ponto, que esta análise, que ainda não esta sendo feita de forma ampla, a princípio prende-se aos efeitos de tal fenômeno,

    empoderamento das instituições públicas e sua apropriação pelas corporações com as nefastas consequências para qualquer regime que se

    pretenda democrático e livre.

    Tais posicionamentos e movimentos internos, que alteram e colocam em xeque a atual forma de estruturação das instituições, mercê da falta de

    freios à base corporativa, aos poucos se estendeu a várias outras entidades e associações e, assim foram empoderadas as instituições da

    Justiça Federal, do Ministério Público Federal, da Polícia Federal, da Receita Federal, bem como dos órgãos de segurança.

    Deste modo, como acima explicitado, em todos estes órgãos, as Corporações tomaram este poder para si, uma das consequências de tal modificação estrutural da fonte do poder é que cada componente destas instituições começou a agir como se ele mesmo tivesse o poder da

    corporação/instituição.

    O caos gerado por tal forma de usurpação de poder, explica em parte a atual situação de vazio institucional, econômico e politico

    institucional, que vivemos, algo sem precedentes e que será objeto de estudo por gerações. https://jornalggn.com.br/noticia/na-ausencia-de-lula-um-pais-sendo-destruido-aos-poucos-por-sergio-medeiros/

  7. IMPRENSA DO BRASIL: Militar brasileiro preso com 39 quilos de cocaína em avião (é da FAB, não é da presidência) na Espanha admite crime e reduz pena. Se fosse do PT seria? Militar brasileiro condenado por transportar 39 quilos de cocaína pura avaliada em U$ milhões na Espanha reduz pena de 8 anos para 6 anos por delatar cocaína no avião do presidente LULA.

  8. Fernando Brito, essa postagem tem como núcleo a charge, mas o blog está com problemas e, na maioria dos navegadores, não aparece a ilustração. Aqui para mim, aparece em apenas um navegador de um dispositivo específico (Firefox em Windows 8.1), mas não em outros dispositivos, mesmo que com o mesmo navegador.

  9. Todas as críticas possíveis e imagináveis já foram proferidas para (des)qualificar esse cidadão que ocupa temporariamente a presidência. Pra mim já basta, ficarei aqui no meu canto, aguardando o chamamento de alguma liderança para ir às ruas. Declaro para todos os fins que estou pronto para, mesmo sob ameaça e grave risco de vida, participar de qualquer manifestações que impliquem a saída imediata deste ser abjeto da presidência da República.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *