O interventor que é prisioneiro da demagogia

prision

Estamos em vias de completar um mês da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, decretada no dia 16 de fevereiro.

De resultados práticos, claro, não é preciso falar: o noticiário policial tão farto e chocante quanto era antes encarrega-se de mostrar que não existem.

Na revista Piauí, o repórter Fábio Victor conta, sem meias-palavras, que o general interventor era contrário à intervenção e pediu para não ocupar o cargo.

Hoje, entrevistado por e-mail pela Folha,  Braga Netto diz   apenas que o “objetivo da intervenção é recuperar a chamada ‘capacidade operativa das polícias’ por meio de investimentos em frota, armamentos e mão de obra. E fortalecer as corregedorias que tratam dos desvios policiais.

O interventor, ao que parece, segue prisioneiro de uma intervenção sem objetivos, sem planos, sem meios.

Tudo indica, portanto, que a situação continuará a ser tocada assim, com ações pontuais e esporádicas,  reduzindo riscos e impactos de ações mais ousadas, embora os perigos, quando se trata de tropas com armas embaladas, estejam sempre presentes.

O Exército, sobretudo, pagará a conta do uso demagógico que dele fez Michel Temer.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. Que tristeza!
    Quanto despreparo!
    Perdermos mais um ano para que se “comece” a tentar resolver o problema da insegurança do rio.
    Que pena. Só perdedores.

  2. Traficantezinhos não compram armas de guerra nem importam toneladas de cocaína!

    A função das Forças Armadas é estar preparada para dissuadir qualquer aventura de potências imperialistas que pensem em abocanhar as nossas riquezas naturais, como o petróleo do pré-sal, o nióbio, o aquífero guarani, nossa Amazônia verde, nossa Amazônia Azul etc. etc.

    O grande risco que estamos vivenciando não se origina das atitudes desses pequenos empregados informais que brigam entre si para ver quem conquista uma maior fatia daquilo que os poderosos chefões do tráfico, todos bem alocados no poder, vão distribuir.

    Que os homens sérios das nossas Forças Armadas não aceitem essa atividade que pode comprometer, a médio prazo, o ambiente interno da instituição.

    Lembrem-se como o imperialismo japonês da Era Meiji aproveitou de uma China extremamente debilitada pela corrupção de seus governantes que contaminou as forças militares. Essa fraqueza moral tornou a ocupação do imenso império chinês uma tarefa fácil!

    As crianças do morro e de todo Brasil necessitam é disso:

    https://www.facebook.com/LafaieteDeSouzaSpinola/posts/536024086555004

    1. Não espere isso. Para as FFAA todos são “comunistas”. E, para eles, só a “direita” é competente e nacionalista (sic).

    2. Excelente visão, caro Lafaiete. Estou no mais absoluto acordo contigo.
      Um forte abraço.
      Edson Correia

  3. Por causa disso: “O Exército, sobretudo, pagará a conta do uso demagógico que dele fez Michel Temer.”, produziu-se isso: “O interventor, ao que parece, segue prisioneiro de uma intervenção sem objetivos, sem planos, sem meios.”
    Que descalabro vive nosso país!

  4. Ora, o generalato sabia e sabe muito bem onde estão botando o nariz e, diga-se, nem se incomodam com a fedentina gerada pelos golpistas-ladrões. Razões? Ora, ora e ora…

  5. É uma pena que nosso exército tenha que cumprir ordens de Temer. E infelizmente esse é um preço alto porque Temer não tem legitimidade pra nada. Esperamos o seu fim ansiosamente em 31 de dezembro.

  6. Quando as FA vão entender que a corrupção é um engodo do tio para desestabilizar potenciais concorrentes. O problema do golpe é a ambição de vender o patrimônio público, as riquezas do país, os estudos tecnológicos, os recursos orçamentários a capitalistas apátridas mas normalmente sediados nos EUA em troca, sem dúvida, de vantagens pessoais em negócios futuros ou porcentagens mesmo.

  7. :
    : * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra??S??il e postando:
    .:.
    ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
    * * * *
    * * * * * * * * * * * * *
    ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
    ????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

  8. Esta intervenção sem um adrede preparo está comprometendo o Exército. A principal intervenção teria que ser do Poder Executivo que não conta com aprovação popular. Eleições livres para recolocar o Brasil nos trilhos democráticos.

  9. Atenção pessoal! Nesta intervenção tabalajara, conforme,e PHA, me parece ser o General interventor o único com bom senso. Não tem dito asneira. Devemos então também não dizer asneiras contra as forças armadas. Certo Edmar?

  10. Pelo menos estão dando um descanso aos comunistas inexistentes. Obedece quem tem juízo, sim, mas pouca inteligência.

  11. Não sei que tipo de tropas estão sendo colocadas na intervenção pois não moro no Rio de Janeiro. Mas mesmo tropas profissionais como Fuzileiros navais e Paraquedistas não tem normalmente treinamento adequado a essa função de polícia em área urbana.
    As tropas que foram ao Haiti até tiveram algum treinamento de polícia em área urbana pois esta era parte daquela missão.
    E sabem, estes militares, que na rua de serem um ALVO uniformizado e identificado contra um inimigo que se dilui na população civil inocente e que ele pode ser atacado A QUALQUER MOMENTO por um bandido ou traficante. Esse terror psicológico é evidente nas suas expressões faciais.

    Imagino, dez vezes pior, seria nestas operações no RJ se estiverem sendo utilizados soldados conscritos que cumprem seu serviço militar.
    Quero crer que não tenham sido insanos e irresponsáveis a este ponto…
    Mas no Brasil nada mais espanta…

  12. As Forças Armadas, em especial o Exército, mostram o quanto aceita ser um instrumento de manipulação dos interesses estrangeiros e de nossas elites canalhas, canalhas, canalhas. Esse negócio de dizer que defende a nação brasileira e a soberania nacional faz tempo que saiu das ações dessa corja que se diz Forças Armadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.