O jogo é sujo

Fernando Molica, na CNN, informa que o processo de impeachment de Wilson Witzel deve ser aberto nas próximas horas.

Merecimento, claro, Witzel tem. Mas não é por isso que está subindo ao cadafalso. Não é pelas eventuais falcatruas na montagem dos hospitais de campanha e as “entidades” contratadas para construí-los, mas pelo clima de animosidade criados por sua oposição a Jair Bolsonaro e pelas investigações em que, acusa o presidente, o governador quer envolve-lo.

Witzel é filho do “judicialismo”, que endeusou Moros e Bretas como promotores da moralidade e formou-se no útero de uma estupidez bolsonariana que fez a sociedade se ver num faroeste no qual um xerife brutalhão era tudo o que a cidade precisava…

Mas a “sorte grande” de ganhar o Governo do Rio subiu à cabeça do juiz – como à de um outro juiz – e ele, sem base alguma, cismou de ser candidato a presidente e isso significava assassinar seu padrinho.

Enquanto pôde ameaçar, Witzel se sustentou.

Mas quando a “batida da Federal” invadiu seu palácio, estava claro que não tinha estofo moral ou político para resistir.

Pouco se sabe que o jogo Bolsonaro x Witzel, exceto que é sujo e envolve fatos igualmente sujos.

Pode ser que a operação policial de hoje, envolvendo um cúmplice do suposto assassino de Marielle Franco e de Anderson Gomes, faça parte dele, pode ser que não.

Witzel sabe que, se depender de um armistício com o presidente, já está morto.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Bozo pode pegar uma pistola .40 e assassinar alguém em frente ao Planalto, que nada acontecerá.

    Seu sustentáculo é o pinochetista Paulo Guedes e sua política econômica ultraneoliberal.

    Quanto à Dilma, que não rezava nessa cartilha, conseguiram encontrar uma tal de pedalada fiscal. Se não tivessem encontrado, iriam impichá-la por ter falado em estocar vento. Qualquer pretexto serviria.

    1. Com certeza. Reparem que Guedes é peça que não é mencionada nessa pantomima toda do desgoverno. Todas as mídias marrons, Globo, Record, CNN etc. não fala nada contra Guedes. Guedes está fazendo seu trabalho (acabando com o que resta do Brasil, com os trabalhadores) quietinho, do jeito que a Casa Grande quer, em meio a todas as controvérsias desse desgoverno.

      1. Com o apoio do PSDB. O PSDB está articulando as campanhas contra o bozo para ressurgir como partido.

    1. Cada um que apoiou esse (des)governo, (Bozo), deram um tiro no pé, lá trás. Se elegeram em sua sombra, mas não observaram que Bozo é rasteiro, bandido, meliante. Assim, acho que esses, que estão agora sendo acossados pelo Bozo, estão arrependidos. Resta agora a nós enfrentarmos o Bozo para que ele não concretize o seu mister, ou seja, ser ditador.

  2. Nesta disputa intestina entre dois comprovados integrantes do Crime Organizado, a melhor solução para o povo, seria que um “matasse” o outro e o outro”matasse” o um. É o famoso matar dois ratões com uma pancada só. Tomara.

  3. Isso é telecatch, diversionismo, guerra híbrida de espectro total. Quem conhecia esse AuschWitzel em dezembro de 2017? Por que um fuzileiro naval deixa a carreira militar, para ser juiz federal? E por que um juiz federal abandona a carreira, cheia de regalias, mamatas, privilégios vitalícios, para se enveredar no incerto mundo da política? Sem os bozo-milicianos e apoio da milicalha, esse AuscWitizel conseguiria votos suficientes para deputado estadual ou federal? Para senador? Que dirá para governador de um estado como o RJ. E quem é o (enfi)Zema levado ao governo de MG nas farsescas e fraudulentas eleições de 2018? Quem é ele polìticamente? MG, estado que carrega a política no sangue, elegeria um dono de postos de gasolina e lojas de departamento – que numa entrevista de rádio afirma “eu ouvo muito bem” – que jamais administrou uma cidade de médio porte, para governar um estado de 600.000 k2 e complexo como esse? No PR roubaram a eleição de Requião para o senado e rebaixaram Gleise Hoffmann de senadora a deputada. Quem lê o Duplo Expresso sabe que a o RJ estava sob intervenção militar, comandada por generais do exército; não foi um ex-PM, sem uma perna, quem manejou duas armas distintas, uma com bala de ponta oca (que dilacerou o crânio da vereadora Marielle Franco) e outra com munição comum (usada para matar o motorista do carro em que ela estava). Adriano da Nóbrega foi cercado, encurralado e executado – tendo sido, antes, levado a dois estados governados pelo PT, que são o PI e a BA. A quem interessava mais a queima desse arquivo? Aos bozo-milicianos ou ao generalato que que os manipula e chantageia?

  4. o vitsiu nem o orcamento de 2019 conseguiu aprovar… uma prova de q ele eh meio collor, meio inabil… os mais toscos corruptos mas q sabiam manejar bem com o legislativo sempre se deram bem em julgamentos de impeachment, nuestro Newtao (na verdade o termo aumentativo era bem outro mas nao vamos facilitar pq ele ainda respira), Pittao, mais aquele governador do espirito santo q nao lembro mais o nome etc

  5. O Brasil realmente prova que não é um país para ser levado a sério, o que nos restou depois que a população manipulada pela mídia, pela propaganda enganosa e por um judiciário corrupto foi torcer para que a briga pelo poder entre os bandidos eleitos faça com que o governo se desintegre de tal maneira que uns aniquilem os outros e só uma mudança radical seja possível, contamos com os bandidos para exterminar os bandidos uma situação sui generis, é o Brasil de hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.