O ‘morismo’ virou um bando de gatos-pingados

As carreatas de apoio à Lava Jato, marcadas para este sábado , são o termômetro do frio polar que assola o outrora viçoso ‘morismo’ em nosso país.

Inexpressiva em Curitiba – a chuva fina serviu de desculpa, nem a manhã ensolarada de Brasília serviu para desmentir o que é evidente: Sergio Moro e sua turma perderam – e para Bolsonaro – o apoio das legiões fundamentalistas que os acompanhavam desde 2014.

Na capital federal, foram, segundo a PM, “30 a 35 carros”, embora muita gente jure que havia menos.

A iniciativa, claro, era para “colocar pressão” no julgamento de Deltan Dallagnoll, terça-feira, no Conselho Nacional do Ministério Público.

Deu chabu.

E prepara, assim, a cena da decretação da suspeição de Moro, daqui a um mês ou dois, no Supremo Tribunal Federal.

Não acho que isso seja tão importante pelo que represente de censura àquilo que todo o meio jurídico e político sabe: a parcialidade do ex-juiz de Curitiba servir para desconstruir o que resta de sua de “justiceiro”.

Esta já se foi.

A decretação da suspeição de Moro e a consequente nulidade da condenação de Lula são importantes porque abrem o que será o longo caminho da restauração da normalidade da vida política brasileira, na qual as disputas não se devem dar nos tribunais, mas nas urnas.

O fato de Bolsonaro ter pouco mais de um terço da população – e nunca esteve, é verdade, muito longe disso – significa que o presidente tem nas mãos a direita brasileira, que não tem menos que isso seja com quem for seu candidato.

Ele é “o rei do gado”, incontestável a tantos quanto (e são muitos) lhe queiram disputar o campo conservador.

Não é “inventando” quem seja palatável aos “deserdados de Bolsonaro” que o enfrentaremos. É reencontrando nosso discurso, nossas propostas, nossa capacidade de fazer o povo brasileiro ter expectativas.

Quem quiser ser “esquerda” com cara de direita vai fazer companhia aos remanescente do morismo que ficaram no sereno.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *