O terror da festa do Flamengo explica o horror de Paraisópolis

Não aconteceu, por sorte, domingo passado, na festa de recepção ao time do Flamengo.

Mas no fim da madrugada de hoje, em Paraisópolis, o acaso não ajudou a evitar um desastre com a ação de uma polícia que, quando se trata de intervir em aglomerações populares, age com truculência, despreparo e sem medir as consequências do que está fazendo.

E as consequências são que, até agora, nove pessoas morreram pisoteadas pela multidão que corria das bombas de gás que se lançou sobre os frequentadores de um baile funk numa das ruas da favela.

Com ou sem “excludente de ilicitude”, estes policiais agem assim, também, porque sabem que haverá impunidade.

No G1, a história das vítimas descreve o que não pode, de maneira alguma, ser chamado de “garantia da lei e da ordem”:

A mãe de uma adolescente de 17 anos, ferida durante a confusão em baile funk na comunidade de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, disse que a menina levou uma garrafada na cabeça e um golpe de cassetete nas costas, dados por um policial.

Segundo a mãe da vítima, a polícia teria preparado uma emboscada contra os adolescentes que estavam no baile. Já a PM afirma que suspeitos atiraram contra policiais, dando início a uma perseguição.
É uma rua com 2 ou 3 saídas. Eles fecharam e coagiram. Atiraram com arma de fogo – não só com bala de borracha. Bateram com cassetete, fora (o uso de) spray de pimenta. Eles estavam só curtindo”, disse a mãe da vítima.
“Os policiais fecharam a rua. Teve corre-corre, pisoteamento de adolescente. Gás de pimenta, bala de borracha, e ainda estavam agredindo pessoas. Foi um policial que atacou garrafa de vidro na minha filha”, completou.

No texto, há outras narrativas semelhantes e é provável que a investigação do caso – se for, de fato, feita com seriedade – vá confirmar aquilo de que todos desconfiam: o uso imprudente, desproporcional e irresponsável da força.

Não é fácil, numa rua aberta, criar uma situação de pavor que levasse tantos jovens, com imensa mobilidade, a morrerem pisoteados num tumulto.

Agora pegue as cenas de bombas sendo lançadas em meio à multidão na festa do Flamengo e as transfira para algum lugar fechado e apertado.

Depois, o coronel-deputado quer ter o direito de fazer chilique quando encontra uma charge que retrata o desprezo da polícia à vida dos jovens negros favelados…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Foi um ataque, sim, um ataque, não é figura de linguagem, de uma tropa treinada para o massacre.
    Tanto que o nome da operação era PANCADÃO, não só do estilo do funk quanto do que viria a ocorrer.
    Contra adolescentes indefesos. Essa história de que bandidos atiraram é lorota, conversa fiada, mentira para tentar justificar um ato covarde contra meninas e meninos de 16 anos.
    Armaram uma emboscada, fechando as saídas, não era local aberto.

    1. Essa versão da polícia de que foi uma “confusão”,com gente pisoteada e morta ,é uma bofetada na cara dos idiotas que votaram nesses canalhas fascistas. Todos os vídeos mostram gorilas que chegaram claramente com a ordem e a missão de matar.

      1. Talvez não seja exatamente uma “bofetada”. Entre em algum site que não faça moderação dos comentários ou que seja de direita e verá que, segundo os bolsonaristas, basicamente os culpados são os pais que deixam seus filhos frequentar tai ambientes e que os “policiais aso heróis que arriscam suas vidas para nos defender” (textual). E por aí vai

  2. Não se precisa de nenhum argumento,senão MENCIONAR POLÍCIA.Nada pior,mesmo A PESTE,se compara ao que denominam,”POLICIA”.

  3. É a licença para matar do ministro da justiç e desceu chefe. Isso tudo sem estar legalizada. Quando estiver não serão 9 mas 90. Ilicitude é o atual governo. Uma farsa forjada na mentira e manipulação das fake news, aplicativos na internet e seu exército de robôs comandados desde o exterior. Já que não sabem construir então destroem e matam.

  4. Até há bem pouco vivíamos em pais onde qualquer indício de tortura estatal se transformava em escândalo nacional de imensas proporções, com indignação generalizada de toda a população, até mesmo daqueles que hoje são anti-humanistas. Seguia-se a exigência geral de punição exemplar para os denunciados. Hoje estamos a passar por esta terrível fase de barbárie pregada pelo próprio Estado.

    1. E ainda se orgulham de serem os mais “bem treinados” da america latina…….imagina se não o fossem

  5. E não podemos esquecer da moto com 2 suspeitos… vai ver é a mesma moto com os suspeitos do caso da menina Agatha… que agora sabemos foi morta pelo estado brasileiro.

  6. O povo quando votou no Bozo, pediu para apanhar , levar tiro e porrada a vontade, e agora o governo Coconaro está retribuindo e atendendo o pedido generosamente.
    Se gostaram do chumbo, então votem de novo na direita em 2022, agora se não gostaram ou mudaram de opinião, então esperem e votem em alguém que não seja fascista e direitista na próxima eleição, ou vão para a rua aos milhões, arrombem o Palácio do Planalto, peguem o Sargento de Satã pelos fundilhos e o joguem pela janela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.