OMS vê ‘alto risco’. Até a Saúde anda no caminho da política. Itália tem 21ª morte

Hoje, depois do coronavírus espalhado em nada menos que 58 países e com mais casos registrados fora da China pelo terceiro dia consecutivo, a OMS resolveu elevar para elevou “muito alto” o nível de ameaça internacional para muito alto.

Há alguns dias é evidente que a organização só não classifica o vírus como pandemia para não elevar o grau de estresse internacional e não ajudar a criar uma situação de pânico que as autoridades nacionais querem evitar, por razões econômica e também sanitárias.

Está difícil, porque o número de casos se expande: a Itália teve o número de casos passando de 650 para 821, de ontem para hoje e as mortes subindo para 21, mais do que qualquer das províncias chinesas, exceto Hubei, berço da infecção.

No Irã, a BBC diz que o número de mortes chega a 210, bem mais que as 34 admitidas ontem pelo governo iraniano.

A Coreia do Sul segue como o principal foco extra-China, com 2.337 casos confirmados e 17 óbitos.

O número total de mortes, 2.867, já é 3,5 vezes maior do que o da última epidemia, a da Sars, em 2011.

Dê-se o nome que se quiser dar, o problema não vai ser resolvido com palavras.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

3 respostas

  1. Parece que vamos todos pegar a gripe mas não vamos morrer – a mortalidade é baixa. Mas o uso político e econômico do covid-19 é altíssimo.

  2. Enquanto isso SARAMPO, depois de anos, faz a primeira vitima fatal em São Paulo ..e a malária e dengue, doenças de pobre, correm soltas.

    Diz pra mim, alguém sabe de alguma outra gripe que não tenha dado a volta ao mundo em poucos dias tb ?

  3. DADOS:

    Gripe russa
    Subtipo do vírus: H2N2
    Número de mortos: até 1,5 milhão de mortos
    Temporada: 1889-1890

    Gripe espanhola
    Subtipo do vírus: H1N1
    Número de mortos: até 100 milhões
    Temporada: 1918-1919

    Gripe asiática
    Subtipo do vírus: H2N2
    Número de mortos: até 2 milhões
    Temporada: 1957-1958

    Gripe de Hong Kong
    Subtipo do vírus: H3N2
    Número de mortes: até 3 milhões de mortos
    Temporada: 1968-1969

    Gripe suína
    Subtipo do vírus: H1N1
    Número de mortos: 17 mil
    Temporada: 2009-2010

    Conforme informação da OMS ,as doenças respiratórias matam em torno de 60.000 cidadãos por ano na Europa.

    FONTES: Celso Granato, infectologista do Fleury Medicina e Saúde; Stefan Cunha Ujvari, infectologista e autor do livro Pandemias: a humanidade em risco (EDITORA CONTEXTO).

    SÓ DADOS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *