Os tratores foram ligados

Dois ministros do governo Bolsonaro tomaram o freio nos dentes e, cada um por si, pretendem passar por cima de divergências na Câmara e no Senado e aprovar seus “pacotes”.

Sergio Moro, ao apresentar hoje uma minireforma judicial – pacote, mesmo, pois feita sem ouvir ninguém, a não ser seu próprio circulo – sai na frente. Como se trata de uma pauta demagógica, facilmente “comprável pela imprensa” – hoje, uma apresentadora da Globonews saudava a proposta, porque já não se aguenta tanto assalto.

A coisa é primária e, por vezes, ridícula, como o texto proposto para a lei nominar  “oficialmente” quadrilhas como  “o Primeiro Comando da Capital, Comando Vermelho, Família do Norte, Terceiro Comando Puro, Amigo dos Amigos, Milícias, ou outras associações como localmente denominadas”, como na mudança pretendida no inciso III do Artigo 1° da Lei nº 12.850/2013, que trata de organizações criminosas.

Na questão da execução da pena antes do trânsito em julgado, para driblar o expresso na Constituição, uma das mudanças diz que “o tribunal poderá, excepcionalmente, deixar de autorizar a execução provisória das penas se houver uma questão constitucional ou legal relevante, cuja resolução por Tribunal Superior possa plausivelmente levar à revisão da condenação”.

De novo, o espaço do subjetivismo está aberto: o juiz, conforme o “freguês”, resolve se a questão legal apresentada no recurso é ou não relevante.

Já Ônyx Lorenzoni, vivendo as libações da vitória de seu candidato David Alcolumbre no Senado, está cantando vitória na Previdência antes mesmo de definido – e muito menos apresentado – o projeto do Governo. Diz, em O Globo, que tem os 49 nove votos no Senado e sugere ter a maioria na Câmara para fazer os 2/3 dos votos necessários a uma reforma constitucional.

“Cantadas de galo” em relação a maiorias parlamentares costumam trazer problemas.  Se tudo “está garantido”, não há negociação nem concessões.

Foi assim que a equipe econômica de Temer começou com seu projeto de reforma e passou a ter de , a cada semana, ter de fazer uma concessão, até que Joesley Batista e seu gravador pusessem fim ao “negócio”.

O President da República, ausente ontem e ausente agora pela internação hospitalar vai encontrar impasses prontos quando voltar ao Planalto e desfazê-los na política nunca foi uma das especialidades de Bolsonaro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

    1. Isso mesmo. Dependendo do freguês, sempre haverá um “veja bem”. “A jurisprudência para tal pessoa não é bem assim”.

  1. O pacote do Moro tem como único objetivo, além da demagogia: deixar o Lula em prisão perpétua, ao determinar o regime inicial fechado para condenações reincidentes por exemplo. Fora outros penduricalhos. Ele só pensa naquilo…quer dizer, no Lula.

    1. Não é bem assim Eudes.
      O projeto é mais complexo. Com as mudanças as “negociações”, com supostos criminosos, fica na mão do MP e do juiz. Que o diga Tacla Duran. Business Eudes, business.
      Isto abre portas até para sequestro e extorsão.
      Veja que não existe nada, que pune o juiz criminoso que porventura usar estas leis em benefício próprio.

  2. Pois tomara que passe a reforma da previdência. É a única chance de mobilizar esse povo imbecil, porque com CERTEZA ele irá apoiar as barbaridades jurídicas. O governo pode enganar na questão da segurança, mas quando o povo sentir a “trolha” no bolso talvez desperte. Talvez.

    1. É, mas eles estão aparelhando a “justiça” para responder a altura de qualquer “subversão”… Pelo menos agora sabemos pq implantar o fascismo…

  3. Já que a turma de Bolsonaro usou o voto aberto para usurpar a presidência do Senado, ficamos autorizados a usar a mesma ferramenta contra eles. Vamos fazer uma campanha exigindo que eles mostrem seus votos na reforma da previdência. É justo nao. Num assunto de interesse social tão importante o povo tem direito de saber como seu candidato votou já que ele mesmo abriu mao da garantia do voto secreto que o livraria das pressões políticas e midiáticas.Vai ser difícil a turma populista ‘nova’ explicar porque exigiu voto aberto – até mesmo contra uma ordem judicial do STF – se votar fechado a reforma da previdência. Então pessoal, o troco da égua é 120. Soube que Onix disse que já tem votos com margem de segurança para votar a reforma no Senado. Então tá pretensioso. Quero ver voce obrigar um cara que já está eleito a se queimar com seu eleitor por causa de um governo que com 30 dias de atuação já está nas cordas e mostra que não se manterá de pé. Vocês bolsonaristas subestimam nossa inteligência. Tudo que vocês fazem é mal intencionado, por isso o tiro sempre sai pela culatra. Nesta última seção do Senado teve até senador fazendo enquete pelo Facebook para votar esquecendo que ficará sujeito a ter seus votos manobrados por robos e profissionais pagos para atuar na internet. Santa burrice. Em tempo: Aliás qualquer direito do povo que for ferido – , os trabalhistas, por exemplo – o raciocínio é o mesmo viu pessoal da oposição. E aí Guedes, já compraste o tônico anti calvície?

  4. Complementando comentário: prá variar ainda tem o Renan, né bolsominions. A despeito das suas lambanças, o fato é que a vitória do tal de Davi foi suja e antidemocrática assim como foi a vitória do clã Bolsonaro.

    1. Definitivamente, Renan Calheiros não é um sujeito que qualquer político queira ter como inimigo. Eduardo Cunha que o diga…????

  5. Brito, o grande trator é o partido da Lava Jato ou vota a favor dele ou é preso. Simples e terrível assim.

  6. Se aprovado será a oficialização da tomada de poder pelo Judiciário, uma ditadura clássica, sem votos, e com todas as benesses do dinheiro público.

  7. Hoje ainda o canalha da Band-ida ,o Boechat ,puxava o saco dos farsa-jato dizendo que é necessária uma farsa dessas no GENOCÍDIO DE BRUMADINHO !!Provavelmente “descubriríam ” que a Dilma,Lula e os pts derrubaram as duas barragens.
    Imprensa, os criminosos de curitiba têm ,se eles colocarem a máquina na rua eles convencem a massa imbecil de que é melhor perder direitos e liberdade do que a vida,porém ,os primeiros já foram e serão perdidos e a vida? …é só uma questão de tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.