Sem medo, somos muitos mais

Temos ainda um trunfo nestes últimos dias, mesmo quando uma imprensa vil e uma Justiça acovardada fazem tudo parecer perdido.

Explico os adjetivos, antes de falar do trunfo.

Imprensa vil, sim, porque premia com o cancelamento do último debate entre os candidatos aquele que quer se esconder, fugir, alegando inconveniências médicas que não existem quando vai visitar quartéis e delegacias, numa afronta à lei eleitoral e ao apartidarismo necessários a órgãos públicos como estes.

Justiça acovardada porque, diante das bofetadas desferidas pelo “garoto” de 1,8 milhões de votos gagueja defesas formais e inefetivas.

Mas nossos trunfos reside, justamente, em sermos diferentes desta gente.

O que nos anima não são cargos, não é dinheiro, muito menos é a morte, a violência, o sofrimento de quem quer que seja.

A ideia de banir brasileiros deste país é, para nós, tão sórdida que nem para os que ameaçam ser estes algozes a queremos.

Nós temos os olhos no futuro, eles os têm num passado que – pior ainda – nunca existiu.

Nós queremos unir, convencer, reconhecemos erros – embora todos os críticos calem sobre os acertos – e colocamos os interesses da coletividade acima dos nossos.

Eles carregam o egoísmo como marca.

Nós reclamamos da Justiça, até nos termos mais duros, mas respeitamos a lei

O líder fascista não respeita a lei, como diz muito bem o jornalista José Roberto de Toledo: “ele é a lei”. “Quem diverge do líder fascista não é, portanto, opositor, mas criminoso. Como criminoso, não tem direitos, mas três destinos: cadeia, banimento ou coisa pior”.

É por isso que você pode falar àquelas pessoas que ainda não estão mortalmente contaminadas pelo ódio.

Fale, converse, apele se necessário. Invoque o direito de todos a viverem com liberdade, a viverem no Brasil e, até mesmo, a viverem sem serem massacrados por bordunas ou balas.

Pergunte aos seu interlocutor se ele acha que, depois de entrarem nos palácios, fuzis e baionetas vão se retirar calmamente ao final de seu turno.

Indague se ele se sentirá seguro com uma polícia com licença para matar quando quiser.

Questione se pode defender a vida e a família aquele que faz apologia da morte, da tortura, do estupro, de sandices do tipo “matar 30 mil”.

Use a razão. Pergunte o que é melhor, correr o risco de errar e poder consertar ou errar e nunca mais ter o direito de discordar.

Nós podemos falar, eles só podem rosnar, como o próprio Bolsonaro está fazendo e, nas poucas vezes em que é confrontado, foge e silencia.

Peça um voto pela vida, deixe que eles o peçam pela morte.

 

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

29 respostas

  1. Bob Fernandes acertou: eles estão elevando o tom do discurso fascista para afastar qualquer pressão sobre a fraude no Whatsapp, sobre caixa 2, dinheiro do exterior na campanha, etc.

  2. ACORDÃO I

    Dias antes do “sFAKEamento”, “o capitão superFAKE” do BOLSOLÃO se reuniu com os congêneres mafiosos filhos do “dotô” Robert(o) Marín(ho) da GloboCIA – o enredo saiu do forno do Projac!

    ACORDÃO II

    A Globo chegou a anunciar que “faria uma sabatina com o Fernando Haddad na sexta-feira à noite”; em seguida, o anúncio oficial do cancelamento da iniciativa.

    RESCALDO:
    ainda que o TSE não queira deliberadamente, no último caso, as urnas serão fraudadas!
    E sabem por quê?
    Porque golpe não tem retorno!
    E depois a máfia nazigolpista irá assassinar o presidente Lula!
    E dizimará a esquerda brasileira!

    IMPORTANTE: e nós não poderemos nos queixar: somos cúmplices da farsa eleitoral, da maior fraude eleitoral da história mundial!
    Com o STFede &$ tudo dentro!

    1. Esse vídeo tem que ir urgentemente para o horário eleitoral. Será que ele faz parte da campanha do haddad?

  3. Pois eu acho que O MEDO,embarga o cérebro.E tem muito cidadão,que somente tem medo.Por isso,calam.E são nessas condições,que o fascismo impera,desde seu nascimento.O fascismo,não respeita VOTO,somente intimidação.E como historicamente,o brasileiro é medroso,essa anomalia prospera.Lembram muito,o passado recente,quando Collor de Mello se elegeu,que todos lembram.Aquela,foi a FARSA essa é a PANTOMIMA .E os PODERES DA REPÚBLICA,estão seguindo as ordens dos PATRÕES,os BURGUESES DAQUI E DE LÁ.

  4. Caro Brito,
    Claro que dá pra reverter… Basta o Haddad declarar que se compromete a passar por um PLEBISCITO no dia que completar 2 anos de governo, onde será decidida a antecipação, ou não, das eleições presidenciais de 2022.
    Deve oferecer esta mesma opção a todos os Governadores que, AGORA, também queiram aderir à proposta.

    O motivo a ser dado é o grau de incertezas, devido à falta de capacidade do sistema eleitoral em dar uma resposta a gigantesca disseminação de fake news e o grau de polarização, danosa para o país, que se estabeleceu.
    Ele deve se comprometer UNILATERALMENTE para não dar chance a mais uma recusa do outro lado.
    O anúncio deverá ser dado de forma a causar surpresa e perplexidade.
    Abraço,
    Fernando

  5. A mídia hegemônica conseguiu seu objetivo principal: mergulhar o país num clima de ódio.

    #Haddad13

  6. Eles estão cometendo crime eleitoral. O TSE sabe disto. Todos poderes sabem. Mas o ódio ao PT deu nisto. FASCISMO!

    1. … Mas, para proferir discursos nazistas dirigidos a ensandecidos(as) na Avenida Paulista , este crápula ‘psicoPATA’ não está doente!
      Exceto, do fígado e da mente e da boca podre!

  7. Fiz isso no grupo da família e fui banido. Não possuem argumentos, só replicam encaminhando vídeos e fotos fake anti-pt. Quando reiterei se alguém tinha opinião própria, decidiram me banir do grupo e só adicionar novamente após a eleição, se acharem conveniente.

  8. ACORDÃO I

    Dias antes do “sFAKEamento”, “o capitão superFAKE” do BOLSOLÃO se reuniu com os congêneres mafiosos filhos do “dotô” Robert(o) Marín(ho) da GloboCIA – o enredo saiu do forno do Projac!

    ACORDÃO II

    A Globo chegou a anunciar que “faria uma sabatina com o Fernando Haddad na sexta-feira à noite”; em seguida, o anúncio oficial do cancelamento da iniciativa.

    RESCALDO:
    ainda que o TSE não queira deliberadamente, no último caso, as urnas serão fraudadas!
    E sabem por quê?
    Porque golpe não tem retorno!
    E depois a máfia nazigolpista irá assassinar o presidente Lula!
    E dizimará a esquerda brasileira!

    IMPORTANTE: e nós não poderemos nos queixar: somos cúmplices da farsa eleitoral, da maior fraude eleitoral da história mundial!
    Com o STFede &$ tudo dentro!

    1. … Se o “sFAKEamento” do “Coiso” não foi elucidado até o sábado, a boca do Inferno nos devorará a partir da próxima segunda-feira!

  9. Até que ponto temos que ser condecendentes com os que votam para pularmos no abismo?Estou c essa dúvida cruel c os meus mais próximos.

  10. Continuo não conseguindo retuitar.
    Já tentei de tudo ( me desconectei,me conectei,mudei a senha ) e nada.

  11. Caro Brito,
    Claro que dá pra reverter… Basta o Haddad declarar que se compromete a passar por um PLEBISCITO no dia que completar 2 anos de governo, onde será decidida a antecipação, ou não, das eleições presidenciais de 2022.
    Deve oferecer esta mesma opção a todos os Governadores que, AGORA, também queiram aderir à proposta.

    O motivo a ser dado é o grau de incertezas, devido à falta de capacidade do sistema eleitoral em dar uma resposta a gigantesca disseminação de fake news e o grau de polarização, danosa para o país, que se estabeleceu.
    Ele deve se comprometer UNILATERALMENTE para não dar chance a mais uma recusa do outro lado.
    O anúncio deverá ser dado de forma a causar surpresa e perplexidade.
    Abraço,
    Fernando

  12. Fernando: este processo eleitoral está definitivamente contaminado. Um esquema onde não houve acidentes, apenas estágios do plano diabólico que começou em 2013 com a participação da embaixadora americana. Na segunda-feira feira próxima teremos uma ditadura eleita pelo voto obviamente fraudado.

  13. O mais triste é saber que em qualquer país civilizado esse diabo não teria a menor chance. Mas ainda acredito que a razão vai prevalecer no minuto final.

  14. Às ruas cidadãos e cidadãs. Bater perna e gastar o verbo. Jovens às ruas, ensinar e ao mesmo tempo aprender política, sociologia, economia, empírica e prática. Largar os celulares por um momento e olhar nos olhos das pessoas. Entender suas angústias, suas indignações, sua visão confundida pela desinformação, pelos interesses mal confessados daqueles que as enganam com mentiras e falsas histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.