Somos um país ou somos ratos?

A revelação de que os Estados Unidos violam, em escala gigante, o sigilo das telecomunicações no Brasil não admite vacilações ao nosso país.

Não pode ser tratada com descaso, usando argumentos pueris como “todo mundo sabe que os EUA tem capacidade tecnológica para vigiarem o que quiserem”.

Poder para fazer não é a mesma coisa que fazer, assim como é muito diferente ter a bomba atômica e explodir uma delas.

Chegamos ao intolerável paradoxo de vermos que o país que se diz modelo da democracia violar, em plano mundial, a privacidade das comunicações telefônicas e cibernéticas de cidadãos de todo o planeta – inclusive e especialmente os brasileiros – num inacreditável  volume de bilhões de ligações mensais.

Até agora, se sabia que faziam isso com seus próprios cidadãos, com as pessoas que vivem sob seu controle militar no Oriente Médio e, depois, com uma Europa ajoelhada moralmente, ao ponto de querer ocultar sua covardia negando pouso ao avião presidencial da Bolívia, talvez porque nada possa um índio como aqueles que, no colonialismo, massacrou aos milhões.

A partir da tarde de ontem, porém, é conosco.

Não somos melhores que ninguém, mas temos de cuidar de nós mesmos, se nos pretendemos um país adulto e soberano.

Está acima de ideologias. Nem o mais radical neoliberal diria que a regra do mundo deveria, ao lado do laissez faire, laissez passer, incluir um laissez écouter.

É um atentado às nossas leis e- mais grave – às mínimas regras de convivência entre as nações.

O Governo brasileiro jamais colocou ou colocaria obstáculos a qualquer investigação sobre ramificações terroristas antiamericanas em nosso país.

Mas nem o mais americanófilo brasileiro, civil ou militar, aceitaria que todas as comunicações feitas neste país fossem monitoradas por uma agência de espionagem.

Muito menos que as empresas – ainda que de origem estrangeira, operando sob as leis brasileiras – cedam gentilmente, sabedoras ou não,  o acesso a seus (e nossos) registros de telefonemas, e-mail e todo o tipo de mensagem eletrônica, inclusive as redes sociais, a um Big Brother Sam na base de um é ir chegando e grampeando.

Que o Governo Obama tenha perdido o senso e os limites nessa questão, que queira transformar o homem que revelou seu esquema global de espionagem em um fantasma perambulando pelos desvãos do mundo, que tenha chegado ao ponto de usar seis vezes um Espionage Act de 1917 que, em 90 anos e uma Guerra Mundial no meio, só três vezes antes havia sido invocado, problema dele.

Que espione nossas telecomunicações, problema nosso.

A reação diplomática do Brasil deve ser a mais dura e clara.

Teremos a solidariedade  de todo o mundo, enojado com essa monstruosidade e chocados de ver a reação pusilânime de governos nacionais que, eleitos por seus povos, prestam a mais rasteira vassalagem a quem viola a privacidade de seus cidadãos.

Não somos um Rato que Ruge,  como no conhecido filme de Peter Sellers, em que um pequeno país se insurge contra os Estados Unidos.

Mas certamente não podemos nos comportar como ratos diante do grande e gordo gato.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Se saiu no Globo então talvez seja uma tentativa de amedrontar as pessoas para não usarem o Facebook e assim o PiG continuar com o seu sonho de controlar o mundo! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Muita calma nessa hora, não se pode atuar só com o fígado neste caso. Por favor, prestem atenção e leiam com cuidado o texto d’O Globo… Não há uma frase sequer que cite um caso específico, o nome de uma empresa, nada! É pura especulação. Não digo que não seja real que EUA nos espionam, mas… longe de mim confiar nesse texto do Globo. É preciso sempre ficar com um pé atrás e tentar ver a real intenção de uma matéria como essas (desmoralizar ministérios e diplomacia brasileira seriam duas intenções ocultas neste caso?).

  3. Prá certos cães rafeiros que adoram fazer o papel de vassalos do imperialismo, está aí posto o que eles na verdade visam! Uma velha Europa de joelhos, uma América Latina como mero quintal, de onde só se interessam pelos recursos naturais, visto que somos vistos como párias perante estes imperialistas repulsivos! Um Tratado com países como Rússia e a China poderia ser de muita valia num momento destes para fazer frente ao grande satã do norte! A solidariedade incondicional do Brasil aos desígneos yanques, no que resultou em termos práticos? Um país saquedo por inúmeras décadas, população com elevada taxa de analfabetismo etc…!

  4. Prá certos cães rafeiros que adoram fazer o papel de vassalos do imperialismo, está aí posto o que eles na verdade visam! Uma velha Europa de joelhos, uma América Latina como mero quintal, de onde só se interessam pelos recursos naturais, visto que somos vistos como párias perante estes imperialistas repulsivos! Um Tratado com países como Rússia e a China poderia ser de muita valia num momento destes para fazer frente ao grande satã do norte! A solidariedade incondicional do Brasil aos desígneos yanques, no que resultou em termos práticos? Um país saquedo por inúmeras décadas, população com elevada taxa de analfabetismo etc…!

  5. Edson isso é mais real que voce imagina. Se voce ainda acha que pode não ser só porque ai não diz exatamente os que estão fazendo, então voce está muito mal informado.

  6. .
    Temos que instalar o 4º Poder nessa República , o PODER POPULAR !!!
    O POVO/POBRE TEM QUE ANALISAR, se aceita , ou não, o que os RICOS/DIRIGENTES ESTÃO DECIDINDO…
    .
    PLEBISCITO X REPRESENTAÇÃO POLÍTICA ATRAVÉS DE COTAS…
    .
    Ao invés de fazer um plebiscito para FINANCIAMENTO de campanha, deveria fazer um plebiscito para estabelecer sistema de COTAS NA REPRESENTAÇÃO POPULAR.
    Perguntas :
    1-Os ricos precisam das mesmas coisas que os pobres precisam ???
    2-Politicamente, você acha que os interesses/necessidades dos ricos e igual aos interesses/necessidades dos pobres ???
    3-Quem entende de pobre ? O pobre ou o rico ?
    4-Você acha que os pobres deveriam ser representados pelos
    .
    A ÚNICA maneira mais rápida e efetiva para Equilibrar a Representação Política é o Sistema de Cotas para as classes Sociais .
    Ex: Somos 200 milhões de habitantes; desses, somente 20% pertencem à classe rica e 80% dos habitantes são pobres.
    Então a representação Política deveria ser nessa proporção.
    As Câmaras e Senado seriam ocupadas, no total de seus ocupantes, com 20% da classe rica e 80% da classe pobre.
    Lembrem-se , cada um de nós só pensa, decide e age a partir de nossa posição social …
    Ah??? Como saberemos que alguém é rico , ou pobre ?
    Simples !!! Pela declaração do imposto de renda dos últimos 5 (cinco) anos, de cada [email protected]
    Cada [email protected] só poderá disputar dentro de sua categoria/classe econômica …
    LEIAM ; PARA EQUILIBRAR O DESEQUILÍBRIO… POLÍTICO
    E MÍDIA, LUCRO E ALIENAÇÃO. AQUI :
    para equilibrar o desequilíbrio político – blog do padreaalberto
    padrealberto.blogspot.com/2010/12/para-equilibrar-o-desequilibrio.html ;
    http://www.osamigosdopresidentelula.blogspot.com – vá ao buscador e digitem: equilibrar o desequilíbrio político – Ou aqui : vá ao GOOGLE (internet) e digitem ; Para equilibrar o desequilíbrio político OU AQUI : http://www.agazetadovale.com.br > vá ao menu e acesse o link OPINIÃO. 20/05/2009 16:23

  7. Pior ainda que a violação a direitos civis e humanos (sigilo das comunicações, privacidade e liberdade), é o fato dessa espionagem poder ter atingido conversas eletrônicas ou telefônicas entre autoridades e comunicações que envolvem segredos do Estado brasileiro. Podemos admitir isso calados?

Os comentários estão desabilitados.