Um ‘bolsominion’ chefiará inquérito das rachadinhas?

Fernanda Alves, em O Globo, mostra o nome e o retrato do que realmente importa no afastamento de Wilson Witzel do Governo do Estado.

Está lá o procurador Marcelo Rocha Monteiro, de “arminha”, “pixuleco” e camiseta “Bolsonaro Presidente”, prontinho para ser escolhido para o cargo de Procurador Geral de Justiça do Estado e responsável maior pelo inquérito que apura as “rachadinhas” de Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro.

Do jeito que se tornou elitista e reacionária a corporação, devidamente cevada por salários que a colocam numa pretensa elite, não será difícil que ele consiga ficar com umas três vagas na lista que será levada a Cláudio Castro, o vice-governador que caiu no colo de Jair Bolsonaro para “encher de porrada” as investigações sobre o caso.

Como, com o 5 a zero registrados até agora no Superior tribunal de Justiça, o afastamento de Witzel está sendo mantido e Castro depende da boa-vontade presidencial para manter o regime de recuperação fiscal sem o qual o Tesouro estadual irá à bancarrota, entregar a Bolsonaro a Procuradoria Geral da Justiça estadual será o preço – e não todo o preço – a pagar.

O moralismo que levou desclassificados como Jair e Wilson ao poder, construído pela mídia e pelo Judiciário está sendo a gazua com que estes quadrilheiros chegassem ao poder, o que jamais teriam conseguido em condições normais da política.

“Tá dominado, tá tudo dominado”.

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *