Voto de Doria não migrou para Bolsonaro, sugerem pesquisas

As duas pesquisas eleitorais divulgadas hoje – Poderdata e CNN/Real Time Big Data – dão, basicamente, o mesmo resultado que todas as outras realizadas por meio de ligações automatizadas: oito pontos de vantagem para Lula, no primeiro turno.

Outras, com entrevistas realizadas presencialmente – talvez pelo fato de que o acesso por celular às classes D e E ser mais precário – dão ao ex-presidente vantagem mais folgada, como a de 14 pontos na Genial/Quaest deste mês.

Prestam-se, porém, para sugerir que a saída de João Doria da disputa – ainda que, em alguns cenários, com seu nome sendo oferecido – não produz efeito, o que é ótima notícia para Lula, que poderia ser prejudicado com uma migração dos votos – por afinidade ideológica de direita – para Bolsonaro.

Amanhã – ou sexta, porque a divulgação tem sido cada vez mais “picadinha” – vamos saber um pouco mais obre estes movimentos com a Datafolha, que apresenta cartelas com e sem o nome do ex-governador de São Paulo e pede ao eleitor uma alternativa de voto caso seu escolhido não seja candidato.

Aliás, a Folha pretende também tirar conclusões sobre o “voto útil”, perguntando ao eleitor se escolheu um nome ” porque é o candidato ideal para você ou ele não chega a ser o candidato ideal mas não há opção melhor”, o que é, convenhamos, uma pergunta vaga, pois não ser “ideal” é vago demais.

A única “noticia boa” para Bolsonaro no Datafolha é que ele deve apresentar alguma leve alta em relação à rodada anterior, quando Sergio Moro ainda era candidato.

Fora disso, não há razão para crer que haja alteração no cenário monótono das pesquisas num eleitorado que parece já muito cristalizado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.