Wadih Damous debate prisão de Lula ao vivo na internet

O deputado federal Wadih Damous, ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro e autor, junto com os também deputados Paulo Teixeira e Paulo Pimenta, do habeas corpus que “quase” libertou, domingo, o ex-presidente Lula, participa sexta-feira de um debate, ao vivo, na internet,  sobre o que chama ““método fascista de julgar e investigar da Lava Jato”.

Durante uma hora e meia ele responderá a perguntas enviadas eletronicamente pelo público, pelo endereço www.facebook.com/sosbrasilsoberano,  em evento promovido pela Federação dos Engenheiros do Rio, dentro da série de debates da série “SOS Brasil Soberano.]

Será a partir das  15 horas e, se possível tecnicamente, será também transmitido por este blog. Coloque na agenda.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

4 respostas

  1. Pastor Ronaldo Fonseca, da Assembléia de Deus, que substitui Moreira Franco, na Casa Civil, do (des) governo GOLPISTA, tenta aparelhar todos os cargos com pessoal protestante, sem competências técnicas. Mas servidores de carreira resistem…

    https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/07/ministro-faz-pressao-por-cargos-e-abre-guerra-no-palacio-do-planalto.shtml

    https://www.metropoles.com/colunas-blogs/janela-indiscreta/ronaldo-fonseca-do-df-assumira-secretaria-geral-da-presidencia

    “Em dezembro de 2013, o deputado Ronaldo Fonseca defendeu a redução da carga tributária no Brasil. Ronaldo é autor de uma proposta de emenda à Constituição que amplia a imunidade tributária de igrejas, partidos e outras instituições.[3]

    Em 2015, Ronaldo se mostrou a favor da redução da maioridade penal, juntamente com ressocialização.[4]

    Em 2016, foi relator, no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, do recurso do deputado Eduardo Cunha, denunciado na Operação Lava Jato e que tivera votação favorável à cassação de seu mandato. Considerado aliado de Cunha, Ronaldo Fonseca apresentou um parecer de 69 paginas pedindo uma nova votação.[5]

    Em agosto de 2017 votou pelo arquivamento da denúncia de corrupção passiva do presidente Michel Temer, cujo índice de aprovação era o pior de um presidente desde a ditadura militar. [6][7] Em 28 de maio de 2018 foi empossado como novo Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência do governo Michel Temer.[2]”

    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ronaldo_Fonseca

  2. Ou o Brasil enquadra essa inqualificável “justissa” nas minimas normas da honestidade e da dignidade, ou essa inqualificável “JUSTISSA” acaba cOu o Brasil enquadra essa inqualificável “justissa” nas mínimas normas da honestidade, ou essa inqualificável “JUSTISSA” acaba com o pequeno resquício de honestidade e de dignidade que ainda restam ao Brasil!

  3. Ou o Brasil enquadra essa inqualificável “justissa” nas mínimas normas de honestidade/honra/dignidade, ou essa inqualificável “JUSTISSA” acaba com o pequeno resquício de honestidade/honra/dignidade que ainda resta ao Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *