Famílias brasileiras pagaram R$ 355 bi em juros em 2017

As famílias brasileiras pagaram, apenas em juros, nada menos que R$ 354,8 bilhões em juros, alta real de 17,9% em relação a 2016, e que corresponde a 10,8% de sua renda anual.

Isso, sem contar outros R$ 12o bilhões pagos pelas empresas que, certamente, foram embutidos no preço de bens e serviços consumidos (e pagos) pelas pessoas físicas.

Para o cidadão comum, não houve queda da taxa de juros efetiva, que subiu 4,4% em relação a 2016 e ficou, em média, em 67,8%.

Ou 17 vezes mais do que a taxa de inflação do período.

E essa média leva em conta as taxas mais baixas (consignados e imobiliário), mas não quer dizer que seja a taxa paga pela maioria, que é mesmo a do rotativo do cartão de crédito, em níveis estratosféricos.

São dados de uma associação patronal – a Fecomércio-SP – e dão uma mostra assustadora do quanto este país despende com o rentismo que é, sem dúvidas, a maior e mais pujante atividade econômica por aqui.

Não será possível mudar este quadro apenas baixando a taxas de juros pública, está provado na prática.

Os bancos captam dinheiro a taxas menores até que 10% ao ano, mas as catapultam para cinco, seis e até 50 vezes na hora de emprestar.

É por isso que o tão desejado rótulo de “candidato do mercado financeiro” deveria ser um rótulo de “inimigo dos brasileiros”.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email