Moro em baixa

Taís Oyama, no UOL, mostra uma contabilidade decrescente das menções a Sergio Moro no Twitter, segundo levantamento de uma empresa especializada nestas medições.

Moro, claro, ostentou alto número de menções durante e logo após sua saída do governo (e isso não quer dizer que fossem só positivas). Mas rapidamente minguou e segue minguando.

Foram 604 mil quando deixou o governo; depois, 434 mil em junho; caíram a um quarto disso no mês seguinte e, em junho, pelo andar da carruagem, à metade de junho.

É possível que Moro volte a ser assunto se o Supremo, finalmente, colocar em julgamento a sua suspeição no caso Lula mas, se o resultado for o que se impõe, tamanho o acúmulo de ilegalidades na sua ação, só irá afundar-se mais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. não seremos nós a citar mais o nome dele. Vai pra ostracismo, de onde nunca devia ter saído

  2. E tem gente que ainda está preocupado com o Conge. Ele que deve estar preocupada com a Conja pedir o desquite.

  3. Muito cuidado com Moro.
    Ele será o candidato do establishment, terá forte apoio da grande mídia canalha, Globo a frente, e muito dinheiro vindo dos empresários.
    E pior, uma legião de ignorantes políticos que votam conforme a mídia lhes apresenta os candidatos e lhes manipula.
    Muito cuidado, Moro será certamente o inimigo a ser combatido na eleição de 2022.
    E é muito mais nefasto e perigoso que o fascista que atualmente é o presidente desta república de bananas.

  4. O “Camisa Negra”, de Curitiba, sonhou com o STF, e sabe que Presidente tem fazer discurso, tem que saber falar, pois outra facada não vai “colar”. A questão hoje, é trabalhar as eleições de 2020 para a esquerda e centro esquerda crescerem nos municípios do Sul e do Sudeste, e em 2022 os fascistas terão pela frente Lula ou quem Lula indicar.

  5. Não se pode minimizar o risco Moro, de jeito nenhum.
    Ele será o candidato do establishment, terá forte apoio da grande mídia canalha (Globo a frente), e muito dinheiro vindo dos empresários.
    E pior, uma legião de ignorantes políticos que votam conforme a mídia lhes apresenta os candidatos e lhes manipula.
    Muito cuidado, Moro será certamente o inimigo a ser combatido na eleição de 2022.
    E é muito mais nefasto e perigoso que o fascista que atualmente governa esta república de bananas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *