A Argentina e o abismo

O governo argentino está comemorando a queda do dólar no primeiro dia de seu corralito soft, o controle parcial que impôs ao câmbio, o que seria uma vitória contra onde especulativa que o fez limitar a compra de dólares.

Deveríamos prestar mais atenção nisso, porque o câmbio está se desenhando também para nós em um grave ameaça.

Desde a vitória da oposição o Banco Central argentino queimou quase 20% das reservas cambiais.

Baixaram de US$ 66 bilhões no dia 9 de agosto para US$ 54 bilhões, hoje.

Só nesta segunda feira, um bilhão de dólares, praticamente.

Aqui, mesmo com o feriado norte-americano – hoje foi o Dia do Trabalho deles – o dólar fechou a maior nível em um ano, acima de R$ 4,18 e apenas um centavo a menos de nosso último espasmo cambial, em setembro do ano passado.

Há uma crescente preocupação com que comecemos a “torrar reservas” se a pressão do dólar não baixar, ao que, até agora, temos resistido.

A persistência do valor da moeda americana acima de R$ 4, que não parece ser reversível, gera efeitos permanentes sobre nossa economia, e efeitos recessivos.

A queda nas importações, em agosto, denota um resfriamento de nossa atividade industrial, para a qual eventuais vantagens competitivas da exportação a câmbio favorecido não oferecem compensações.

O abismo argentino, pelo quanto que para eles exportamos (ou exportávamos) as anula completamente, e com folga.

A bancarrota de nosso terceiro maior parceiro comercial está sendo olhada com uma quase completa indiferença, no momento em que os dois maiores mercados de trocas comerciais se metem numa guerra tarifária.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. Pois é…..graças as queimadas amazônicas, provavelmente perderemos mercado na Europa, a Argentina (em crise) irá comprar menos e nossa maior parceira comercial a China se encontra em disputa comercial com os EUA. e tudo pode acontecer…. Infelizmente acho que não escaparemos de uma recessão.

  2. Querem forçar o leilao do presal pra fazer caixa de estado e prefeitura
    Dinheiro q sera gasto em 6 meses vira pó

  3. Mas não era só tirar a Dilma e o PT que o dolar iria baixar e a classe média voltar a passear na Disneylândia e nos outlets de Miami?

    1. Eu estou dando a maior força para eles. Podem ir. Aproveitem e visitem o filho do Bolso , que só vive por lá!!!

  4. Os dólares que eles estão queimando prejudicará imensamente o Brasil, mas está possibilitando que os endinheirados do Brasil remetam todo os dinheiro que puderem para o exterior. O Brasil depois que se vire, pedindo empréstimos para o FMI.

  5. O tal “neoliberalismo” forma moderninha e envergonhada de se referir ao capitalismo, é o mais retumbante fracasso econômico já imposto por uma ínfima minoria à maciça maioria da humanidade. Deve ser cremado para nunca mais voltar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.