A cloroquina é jabuticaba?

A cloroquina, ao contrário da jabuticaba, não existe só no Brasil.

O mundo inteiro conhece e usa em outras doenças e com muito cuidado, porque seus efeitos colaterais são sérios e perigosos.

E por que, num universo de 210 países atingidos pelo novo coronavírus as pessoas seguem morrendo como moscas (101, 5 mil, neste momento)?

Certamente, entre os quase 1,7 milhão de infectados pelo coronavírus centenas de milhares deles foram medicados com cloroquina, simplesmente porque esta – ao lado de outras – é uma das possibilidades terapêuticas.

Desde que cuidadosa, acompanhado pelo médico e com o paciente em condições de observação e ação imediata no caso de problemas na sua administração.

Mas com grandes reservas, como as expressas no conceituadíssimo British Medical Journal, de Londres, onde se diz que o uso da cloriquina e de seu derivado, a hidroxicloriquina, “é prematuro e potencialmente prejudicial”.

Ao menos um caso, hoje, aparenta ter como causa da morte (por arritmia cardíaca severa) efeitos colaterais da medicação. Invalida o uso em casos extremos? Não. Recomenda cautela? Sim.

Nada justifica o presidente da República aparecer numa live com uma caixa do remédio – que não pode ser vendido sem receita retida – como um garoto-propaganda da droga.

Transformou o que deveria ser pesquisa médica em alavanca política, em fanatismo e, sobretudo, numa promessa de cura que explique a sua obsessão para levantar a quarentena que, até agora, tem provado ser a profilaxia, muito mais que a terapêutica, a ferramenta mais adequada a evitar que a tragédia se amplie.

Nos EUA, onde os estudos (e a contaminação) estão mais avançados, um estudo dos departamentos de Segurança Interna e Saúde e Serviços Humanos do governo central, estimam que levantas a quarentena depois de 30 dias fará com que as mortes no país cheguem a 200 mil.

O que estamos assistindo é uma palhaçada mortal, um homem que não tem o menor senso de equilíbrio para presidir uma Nação, muito mais numa hora de tamanha gravidade.

Por conta deles, as ruas estão se enchendo outra vez e e alega o direito de ir e vir como fundamento de sua insânia.

Sim, sr. Bolsonaro, o senhor tem o direito de ir onde quiser, mas cuidado com o lugar que o povo brasileiro quer mandá-lo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

38 respostas

  1. Brito, o que se pode esperar de um louco, que o exército teve a chance de afastar definitivamente do convívio humano? Tivessem, naquela época, os senhores altos oficiais do exército o declarado insano e o internado num hospício, jamais teríamos ouvido falar em jair bostanaro. EU ACUSO E RESPONSABILIZO DIRETAMENTE os militares por estarmos vivendo sob a presidência de um louco, demente, psicopata.

  2. Ora senhor Fernando.esses milhões que estão indo às ruas,são os mesmos que elegeram esse imbecil.Quanto ao protagonismo dos MILICOS,eles,no passado recente,fizeram e aconteceram,com um GOLPE DE ESTADO e instalaram no Brasil o que muitos ainda lembram.Esse,o BÓSTA-NARO,é o símbolo dessa gente.Esta cumprindo sua tarefa,delegada por eles.

    1. E por falar em MILICOS este vírus bem que podia fazer uma limpeza nos quarteis. Principalmente entre os oficiais de alta patente.

    2. A culpa de toda a desgraça do país vem da mídia empresarial, mas ela é apenas um instrumento da elite mais podre que qualquer país do mundo já teve. Esta elite usou sua mídia para urdir uma mentirona sobre as lideranças progressistas, e depois ergueu todo um mundo de fantasia política sobre aquela mentira. Este mundo de fantasia vai levando grande parte da população como zumbis para que se atire a um abismo sem fundo. Só o fim do mentirão poderá trazer o país de volta à normalidade institucional e à trilha do progresso econômico e social. É esclarecendo os fatos que se reconstrói a justiça.

    3. Grande parte deles bateram panelas e votaram no larápio do Aécio das Malas.
      Ou seja, os imbecis vão aprontar muitas cagadas. São craques nisso.

  3. Muita política e interesses comerciais por trás desse assunto. No Brasil ele soa com grande hipocrisia. Todos sabem que em nosso país, são comercializadas várias substâncias proibidas em outros países. Um monte de gente toma, se prejudica, e ninguém fala nada.

  4. Pessoas se amontoaram no comércio nestes últimos dias em busca de bacalhau, peixes e ovos de páscoa. Nas próximas semanas veremos o resultado desta estupidez estimulada por um psicopata que tem todo interesse em que o caos se instale para ter pretexto para impôr medidas autoritárias. Foi nesta m r da que uma parcela do povo ignorante lançou o país. Tipo aqueles idiotas que decidiram levar o cavalão pra dentro de Troia desprezando as opiniões contrárias que, com certeza, existiam.

  5. Brito,
    O Bozo só tem a ganhar com o coronavírus. Este vírus veio bem a calhar para ele e seu desgoverno.
    O país já estava a caminho do abismo antes do vírus chegar e o abismo estava logo aí.
    Ninguém mais fala da desgraça que era o governo bolsonaro.

    Só falam de coronavírus.
    A morte de milhares será a salvação deste idiota.
    Ele faz uma aposta em que ele não tem como perder e ainda poderá dizer que tentou de tudo.

    Duvido que a grande maioria do que disseram fazer(o governo federal) para salvar as pessoas e a economia será realmente executado ou tornado realidade.
    Os governadores, em sua maioria, estão fazendo o que devem e o idiota sabota os esforços todos os dias.
    Se o coronavírus não matar tanta gente no Brasil, e por isto não testam e há uma enorme subnotificação tanto de casos como de mortes, ele dirá que foi uma gripezinha.
    E a ruína econômica que já estava em curso e a passos largos será jogada nas costas dos governadores.
    Aqueles que provavelmente salvaram a vida de dezenas de milhares serão os culpados pela desgraça econômica e o Bozo será o que estava certo.

  6. É inacreditável que parte da população ainda apoie este indivíduo completamente desequilibrado um verdadeiro sociopata, a sociedade brasileira e suas instituições estão com uma enfermidade gravíssima e seria a hora de repensar os conceitos e preconceitos para aprendermos alguma coisa com essa pandemia senão corremos o risco de nos transformarmos como nos filmes de terror em um bando de zumbis insanos a vagar pelas ruas, a minoria com um pouco de bom senso tentará se esconder para sobreviver mas é pouco para um pais que alguns tempos atras era exemplo de desenvolvimento econômico e social todos vivendo em harmonia, só não sabíamos que o vírus da ignorância estava incubando dentro de certa parte da sociedade, agora ele se manifestou e as consequências serão enormes.

  7. Bem observado: aquela droga precisa de receita que fica retida. Qual médico deu a receita pro bolsonaro? O Bozo não está infectado — ele diz — então foi prescrição desnecessária, leviana. Esse médico deve responder por desídia e irresponsabilidade, e ao Conselho por quebra da ética.

  8. Num de seus últimos pronunciamentos, o Cachorro Louco repetiu o mantra ” …e a verdade vos libertará.” Quando a verdade for finalmente conhecida pelos milhões de bolsominions e idiotas evanjegues provávelmente eles já estarão mortos pelo coronavirus, porque acreditaram na”gripezinha” ou no milagre da cloroquina. A verdade os libertará de continuar ouvindo um animal irracional a vomitar besteiras.

  9. O fato de alguém que tenha usado cloroquina ter-se curado não prova que curou-se por causa da cloroquina. Simples assim. Afinal tantos curaram-se sem usá-la.

    Senão a recomendação como tratamento deveria ser tomar água, uma vez que todos os que estão curados do coromavirus tomaram água. O que também seria uma sandice como recomendação de tratamento – obviamente há a recomendação de tomar água para rehidratação (especialmente devido à febre alta isto é tanto mais necessário, mas não um tratamento por si só).
    O que é necessário provar é se estatisticamente o tratamento com qualquer dos fármacos testados (inclusive a cloroquina) apresenta melhor resultado do que o placebo. Mas ainda não é suficiente para recomendar seu uso de imediato. É necessário ajustar as doses para diferentes grupos de pacientes, levando em consideração, idade, comorbidades, etc. Assim como é necessário definir em que estágio da doença é recomendado o uso (especialmente para aqueles fármacos que causam efeitos colaterais só devem ser recomendados quando o efeito destes riscos colaterais seja menor do que não usar a medicação). Isso é senso comum, não precisa ser especialista. Basta ter um mínimo de compreensão científica.
    E esta prova científica (estatisticamente válida) de que a cloroquina é eficiente no tratamento do coronavirus simplesmente não existe. Os experimentos do Médico francês Didier Raoult são metodologicamente falhos. O universo de pacientes não só é muito pequeno, como não é representativo. Ademais, segundo os especialistas que esmiuçaram a condução do experimento dizem que foi conduzido de forma que os resultados não podem ser aceitáveis pela ciência.
    O uso da cloroquina e outros métodos pode vir a ser recomendado tanto para uso geral como para uma parcela restrita de pacientes, mas hoje não há base científica para isto, tanto que nesta semana o CDC (EUA) inclusive retirou do seu site a recomendação de uso, por falta de suporte cientiífico para a recomendação – mesmo com a pressão de trump e seus investimentos no laboratório Sanofi.
    O uso político da cloroquina por trump foi uma válvula de escape para encobrir a desidia e a irresponsabilidade como tratou o problema. O bozo brasileiro apenas repete o que seu amo ditou, especialmente agora que nos EUA conseguiram dar uma chaga prá lá bem dado no bozo americano.
    Os dados de hoje informam que dos tratamentos em estudo aquele que é mais promissor a curto prazo é o uso de “plasma convalescente” em que os anticorpos de quem já curou-se são usados para combater a infecção em pacientes em estágio ativo da doença. Em poucos meses deverá estar disponível tratamento à base de anti-corpos monoclonais, bastante promissor, em que tanto os chineses como um laboratório em San Diego estão trabalhando. Ou seja, ainda que a cloroquina prove ter alguma eficácia no combate ao coronavirus, logo deixaria de ser o tratamento preferido (isso sem considerar possíveis efeitos colaterias).
    Essa história da cloroquina somente serve para manter a manada em estado de agitação e tambem serve ao propósito de causar confusão para gerar o caos, que é o objetivo do bozo e sua turma.

    1. Agregando um pouquinho a mais depois de ter apreciado a lucidez do comentário, cito que diversos estudos sobre a fisiopatologia da Covid-19 estão trazendo novidades insuspeitas previamente e desfazendo a ideia inicial de uma doença eminentemente pulmonar. Entre outras coisas, o vírus eleva os níveis sanguíneos de substâncias que são usadas para detectar a presença de inflamação no organismo, bem como o de enzimas que, também no sangue, indicam alterações na integridade do músculo cardíaco. Olhar para os dois achados em conjunto sugere fortemente a possibilidade da Covid-19 causar inflamação no músculo cardíaco, ou miocardite. Tal condição torna estes pacientes mais facilmente afetados pelo efeito colateral causador de arritmias potencialmente fatais da cloroquina e da hidroxicloroquina, tornando ainda mais complicado o uso da droga, mesmo sob monitorização cuidadosa do funcionamento cardíaco. Sem monitorização ou em casos onde a doença não acarrete risco elevado, que compense o risco do tratamento, poderá ser irresponsável indicá-la. Se os medicamentos antivirais (remdesivir, favipiravir), a ivermectina ou o plasma convalescente se mostrarem iguais no benefício, terão mesmo tudo para assumir o papel de tratamento preferencial pseudo-atribuído à cloroquina, pois os efeitos colaterais desta são muito acentuados. Não cito os anticorpos monoclonais pelo seu custo, que dificilmente permitirá distribuição massiva como terapêutica, salvo se forem a única opção concreta. Mas não custa lembrar que ainda sabemos muito pouco sobre a Covid-19, a cada dia mais coisas são descobertas e ainda há muito por descobrir. Inclusive a extensão da ignorância de nossas autoridades, que ultrapassa a nossa ignorância sobre a doença e se manifesta em níveis mais profundos a cada dia, cujo potencial danoso ao povo brasileiro ainda é desconhecido. Espero que tal descoberta não se dê às custas de muitas e muitas vidas. Saudações!

      1. medicamentos antivirais (remdesivir, favipiravir) … Não há efeitos colaterais?? Nossa, até água com açúcar tem !!!!

        1. Em momento algum escrevi que antivirais não têm efeitos colaterais. Tampouco os antiparasitários, como a ivermectina. Como qualquer tratamento, ou até água pura, podem ser nocivos, dependendo de fatores como população-alvo, dose, etc. O que eu disse foi que a cloroquina e derivados os têm de maneira acentuada, portanto seu uso será mais dificilmente assimilável como terapia de massa. Como, aliás, já começam a demonstrar os estudos de médicos do Amazonas, que conhecem esta droga mais e melhor que qualquer “especialista” de outras regiões, graças à malária.

    2. Bravo, está tudo certo, mas dizer que o “plasma convalescente” é eficiente é tanto besteira ou não que falar sobre a cloroquina. Gostaria de que citasse a publicação COM ESTATÍSTICA RELEVANTE deste “novo” tratamento, pois dar anti-corpos é mais velho que o mundo. Não houve tempo para nenhum protocolo de pesquisa clinicamente aceito para nenhum tratamento. Vamos também ter atenção com os interesses da indústria farmacêutica. O que funciona, e estamos nos desviando do mais importante, é teste em massa. Testar quem está positivo e oferecer isolamento, acompanhamento e eventual tratamento.

  10. Pintou o “coronga”? É melhor já ir tomando Garrafada de Jabuticabina – só dá no Brasil. Contém: Cloroquina, Fosfoetanolamina, Água de Côco, Nióbio, Grafeno e Extrato da Bolsa de Colostomia do capetão.

  11. Sr. Brito e amigos, sabemos que o peixe morre pela boca. A todos aqueles que morreram ou vão morrer por falta de noção.
    É uma gripezinha, um resfriadinhuuuu…
    E MORREU…
    Tomou a ‘clorentina’:

    https://youtu.be/8KDJHW9WfwM

  12. Não foi o Bolsonaro que se elevou para ser presidente. Foi o Brasil que se rebaixou para elege-lo. Simples assim.

  13. BolsoLixo é cria bastarda do conluio entre a Lava-rato , os milicos estúpidos e a mídia bandida . Agora, a conta chegou e o gado ( a grande maioria ) parece mesmo disposto a galopar rumo ao abismo , nos arrastando a todos ….nada, nem a morte lhes detem….o horror, o horror !
    E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir,
    Deus lhe pague !

  14. A Suécia está abandonando o uso da cloroquina, o médico sueco chegou a dizer: “Lamento o que fizemos”. Além de não estar comprovada a eficácia para covid, pode provocar morte por problema do coração e deixar sequelas. Eu já deixei sacramentado aqui em casa: se pegar covid não autorizo o uso da cloroquina.

  15. A hidroxicloriquina tem seu destaque no esforço global de pesquisa da medicina avançada sobre o coronavirus 2019, sendo associada a outras drogas como a remdesivir, mas apenas como tratamentos experimentais e provisórios, que nem sequer consubstanciam a linha principal de estudo da doença. O tratamento se deve a que, enquanto uma procura diminuir a carga viral, a outra tenta compensar a imunodeficiência do paciente. Mas tudo isso é condicionado a inúmeros outros fatores inerentes às próprias drogas e a cada indivíduo. Certos indivíduos têm problemas de saúde relacionados com a imunidade e os vírus que não demonstram, e de repente afloram de maneira imprevisível, sem qualquer explicação, ainda. Tentar generalizar esta substância para o uso médico cotidiano em qualquer paciente é simplesmente absurdo.

  16. Todos ganhando com essa pandemia: Os bancos faturando alto, a desoneração do INSS com a morte de muitos dos beneficiários e o volume de venda de Hidroxicloroquina. Bolsonaro não só está ganhando como “garoto propaganda” do medicamento como se valerá do momento pra justificar a crise em que o país já estava enfrentando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *