Exemplo de Trump: 500 mil doentes, quase 20 mil mortos. E aqui?

É para os brasileiros pensarem.

O exemplo seguido pelo Brasil, onde o presidente dizia que era “só uma gripezinha”, o negacionismo da epidemia praticado por Donald Trump e replicado aqui por Bolsonaro, rendeu, no país do Norte, até agora, meio milhão de infectados, pela demora de interromper o ciclo de transmissão antes que ele se tornasse galopante e irreversível.

Morrem, há quatro dias, duas mil pessoas por lá, diariamente, enterradas em valas comuns.

A prioridade, lá como cá, foi socorrer os bancos, livrando-os do contágio, enquanto às pessoas dele não livravam.

E as respostas em matéria de restrições de mobilidade aos norte-americanos foram tardias, frouxas e tomada por conta dos governos locais, exatamente como aqui, embora Trump não tenha saído à rua para desafiá-las.

Só o que contém o número de casos no Brasil é a falta de testes e, portanto, a confirmação de casos já registrados dias antes.

Não é, com certeza, o fato de, segundo o presidente, brasileiro mergulhar no esgoto e não acontecer nada.

Não há nenhuma razão concreta para, baixando a guarda do isolamento social como estamos baixando, não caminharmos para uma curva semelhante à dos norte-americanos.

Possivelmente pior, até, por conta da promiscuidade com que se vive em tantos lugares pobres neste país pobre.

O que nos evitará as valas comuns, os enterros solitários, anônimos, que estamos vendo onde há muito, muito mais recursos que aqui?

Nossos homens de Estado, minúsculos, recusam-se a ver a realidade à frente.

Preferem os pequenos jogos de mídia, o marketing à custa da vida humana, a irresponsabilidade diária.

A começar de Jair Bolsonaro, vivem de pequenas espertezas.

Nada pior a um país e um povo diante de uma ameaça que ter anões morais no poder.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. Em termos de prevenção, o melhor é se basear no pior cenário, é claro. Mas para a saúde mental, é bom ter alguma esperança de que sejamos mais parecidos com o México do que com os EUA. Porque se pensarmos em termos de presidente, estamos na pior situação do mundo.

  2. É nas piores horas que se testam os melhores homens. E a quadrilha no poder escancara sua desumanidade aos borbotões. Imagino Paulo Guedes fazendo as contas com a XP: quanto cada morte por Corona trará de economia com “gente inutil”…

  3. O Brasil é um lixo, seu povo é pesado em arrobas e suporta qualquer doença porque já vive no esgoto. Este é o pensamento daquele que uma elite anti-nacional degenerada alçou à presidência da República, com mentiras sustentadas por seu dinheiro ilegal e com a ajuda luxuosa de infiltrados no judiciário. Fará sentido mandar os futuros defuntos da peste cavarem valas comuns para si próprios, como faziam os nazistas na Europa Oriental.

  4. Quais anões morais? Os médicos eu sei, são todos aqueles que basta ligar a luz da geladeira desandam a darem entrevistas, mas, apesar de trabalharem nele, não defendem o sistema público de saúde, não defendem o SUS, não reclamam dos 30 no surrupiados da saúde…..ao contrário, um desses, disse numa de suas inúmeras e inúteis entrevistas que pediria ajuda a rede privada, numa das atitudes mais imbecis que presenciei, ou o cidadão acredita que o einstein ou o sírio irá cuidar em suas dependências dos moradores de Heliópolis ou Paraisópolis?????

    1. Sinto, mas sua generalização, como todas as outras, é improcedente e gratuitamente ofensiva a quem está, de fato, na linha de frente do combate à pandemia. Como médico de emergências do SUS há 32 anos, tenho acompanhado o esforço de inúmeros profissionais de saúde que lutam contra a condição mais que precária oferecida para lidar com os mais desassistidos em nossa população. Junto aos membros da enfermagem, da fisioterapia e demais colaboradores, já perdi a conta das vidas salvas e perdidas, bem como do imensurável esforço para manter os cuidados mesmo quando tudo se tornava oposto a este objetivo. Nivelar a todos em uma única leitura de mundo denota miopia, ou no mínimo esquecimento de que se o SUS ainda existe não é graças aos membros do poder público, a despeito de tantos discursos opostos e favoráveis ouvidos ao longo das décadas de existência do modelo, mas à força dos que o mantém de pé malgrado todas as dificuldades. E, garanto, não o fazemos para ser entrevistados, até porque isto raramente ou nunca acontece, nem para buscar aplausos, ainda mais raros. Mas porque nossa estatura interior, em nada anã, não nos permite restringir-se ao discurso, seja ele falado ou escrito.

  5. Trump está cumprindo sua promessa de campanha: America FIRST??
    Total Cases: 528.990 – FIRST??
    New Daily Cases: 26.114 – FIRST??
    Total Deaths: 20.455 – FIRST??
    New Daily Deaths: 1.708 – FIRST??
    Active Cases: 479.099 – FIRST??
    Serious, Critical Cases: 11.057 – FIRST??
    MAGAMake America Great Again??

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.