Bolsonaro insiste em mandar o povo para a morte

A médica Debora Brix, coordenadora do grupo de resposta ao Covid-19 do Governo Trump disse que, apesar dos 500 mil infectados no país e das quase 20 mil mortes, a epidemina “ainda não atingiu seu pico” nos EUA.

A Grã-Bretanha – 74 mil casos e nove mil mortes – “ainda não atingiu o pico do Covid-19, o que permitiria uma redução das restrições de movimento”, segundo o ministro da Saúde Matt Hancock, falando hoje à BBC.

No Brasil, onde, pela falta de testes, sequer se sabe como estamos, o presidente da República, informa Monica Bergamo na Folha, insiste em preparar uma lista de atividades que ficariam fora das já fraquejantes restrições à circulação baixadas pelos governos dos estados.

Um de seus auxiliares, numa piadinha macabra, diz que a lista estudada de exclusões era tão vasta que “daqui a pouco até zona de prostituição vão considerar essencial”.

Jair Bolsonaro, enquanto negaceia com a edição do “decreto da morte”, encarrega-se ele próprio de subverter a quarentena, passeando na rua e cumprimentando pessoas depois de esfregar a mão no nariz.

Parece que aqui já atingimos o pico: o pico da estupidez, erigido no Planalto, onde se levanta a bandeira da desumanidade.

Invoca as necessidades dos mais pobres – as que ele se arrasta para prover – como justificativa para que as pessoas voltem a circular no comércio, na contramão do mundo, como na contramão andou na sua ridícula propaganda de drogas milagrosas.

Enquanto era ó sermos uma chacota no mundo, vá lá, há como nos recuperarmos.

Mas nada recuperará milhares de vidas perdidas pelas suas ordens e acenos para que as pessoas finjam que nada acontece e mergulhem numa atmosfera virótica e se matem pelo deus Dinheiro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

    1. Todos que ainda não cessaram, não cassaram, não impediram este desgoverno, essa aliança política nefasta, SOMOS culpados. E isso inclui, portanto, NÓS que nos opusemos sempre e totalmente à ascensão desses desgovernos e dessa aliança política nefasta. Já não é mais uma questão política, trata-se agora de uma questão de calamidade pública e de urgência humanitária, de defender a vida de todos e de cada um. Estamos pagando — partidos, lideranças políticas e parte do povo — e continuaremos pagando caro por nossa paralisia, ausência e omissão. Quanto mais tempo deixarmos eles agirem impunemente maiores e piores serão as consequências para TODOS. Isso não é uma opinião mas um fato que a realidade já vem demonstrando. Infelizmente por hora opinião é esse meu desejo, esse meu imperativo moral, essa necessidade de agir, só eles formam aquilo que bem definiu Raimundo Faoro mais de 50 anos atrás como “expectativas cegas da fé que a razão e a análise histórica repelem”.

  1. No Rio de Janeiro infelizmente, se depender do rigor no isolamento, a coisa vai ser muito feia. Mas como NÃO há ainda um conhecimento pleno, em relação ao novo coronavírus, só resta esperar que não ocorra.

  2. Não há pico, limite, para a estupidez.
    Somente instituições sólidas, altivas e ativas poderiam impor fim às barbaridades desse psicopata. Entretanto, a mediocridade e o rabo preso, aliados à má-fé, impede que suas excelências do legislativo e do judiciário ajam tempestivamente. Aguardarão sempre até um nível mais baixo, até que estejam todas as excelências no mesmo patamar.

  3. A medida q outros paises vao afrouxando as restriçoes pq ja atingiram o pico a estupidez brasileira achara q aqui tambem e o momento entao preparem se pq o Brasil sera isolado do resto do mundo por conta de uma recidiva do virus

  4. Se não deter esse verme e sua corja urgentemente, o pico da estupidez será em agosto quando responderá a repórteres que ninguém morreu antes da hora; todos os que morreram (50.000) é porque chegou a hora deles. E novamente, embalado pelos pentecostais (a maioria, nem todos) vão usar o nome de Deus em vão: “não cai uma folha da árvore se não for a vontade de deus”, nesse caso, usei “d” minúsculo por que o deus deles é o satanás, o dinheiro, já estão botando fogo nas florestas amazônicas, a mando do satanás.

  5. O governador de Minas saiu de reunião com o jair, todo feliz, dizendo flexibilizar o isolamento já na próxima semana.

  6. Não há pico, limite, para a estupidez.
    Somente instituições sólidas, altivas e ativas poderiam impor fim às barbaridades desse psicopata. Entretanto, a mediocridade e o rabo preso, aliados à má-fé, impedem que suas excelências do legislativo e do judiciário ajam tempestivamente. Aguardarão sempre até um nível mais baixo, até que estejam todas as excelências no mesmo patamar.

  7. Esses necrófilos que assaltaram o poder através do golpe continuado tem que ser levados a um tribunal internacional pela promoção e/ou facilitação de genocídio/crimes de lesa humanidade.
    Não é apenas o bozo quem tem participação direta nestas ações de promoção do genocídio/crimes de lesa humanidade. Na turma da economia, em nome do que o genocídio é promovido, Guedes, Rubem Novaes e Bob Fields III são igualmente responsáveis, por obstruírem as medidas de alivio econômico à população forçando os mais pobres a exporem-se pela sobrevivência. O diretor da Anvisa, contra-almirante Barra Fortes, que deveria estar na linha de frente em defesa da saúde e da vida da população, que escolheu boicotá-las de forma grotesca ao ir para a rua com o bozo, entre outras atitudes (a gravidade de seus atos são particularmente destacadas pela posição à frente da Anvisa). O chefe do GSI, helenão, que teve um comportamento irresponsável, ecoando o bozo, justamente quem pelo papel no governo deveria colocar na mesa a situação real e os riscos de uma mortandade massiva (não o faz pois apenas tem compromisso com os endinheirados). O zero três e wientraub pelas dificuldades que causaram com a China, com a clara intenção de boicotar a colaboração que o país necessita na obtenção de materiais para combater a doença. Moro pela complacência e pela ação direta e deliberada expondo dezenas de milhares de presos sem periculosidade para a sociedade ao contágio, num sistema carcerário que já é uma face da barbárie (e não o responsabilizo por criar esta situação prisional já que vem de tempo). O gabinete do ódio é igualmente responsável pela promoção da morte.
    Na periferia do governo mas com forte influência sobre as ações deste e igualmente responsáveis pelas ações do governo há empresários, como o véio da havan e flávio rocha, os mercadores da fé malafaia, edir macedo, r.r. soares, o astromante da virginia, olavo.
    No mundo pós-pandemia, o capital precisará entregar cabeças para aplacar a revolta da sociedade e tentar legitimar-se distanciando-se da barbárie como método, em busca de garantir espaço político. O Brasil é candidato a oferecer um grande contingente daqueles a serem julgados por genocídio/crimes contra a humanidade.

  8. Eu ñ entendo porque poupar a rainha louca; ñ foram tomadas nenhuma ação de interdição psiquiátrica, nem impeachment . Até o PT está querendo poupa-lo!!!

  9. A solução é : deixa morrer. Nao tem o que fazer, nao se ensina a tabuada do 2 para jumento, ele nao aprende. O gado bozista é igual, entao deixa morrer. O que nao tem remédio, remediado está.

    1. Perfeitamente. Não dá pra alegar desinformação à está altura dos acontecimentos.
      Se preferem pagar pra ver, que paguem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.