A Conferência do Clima, “Triplo A” e o “triplo B”

Bem que os ministros tentaram dourar a pílula, falando em dificuldades orçamentárias, etc e tal.

Mas Bolsonaro deixou bem claro que o Brasil não sediará a reunião climática da ONU, a COP-15, porque ele não quer.

“Houve participação minha nessa decisão. Nosso futuro ministro, eu recomendei para que evitasse a realização desse evento aqui no Brasil”, afirmou Bolsonaro, segundo o G1.

Esta história de aquecimento global, além de “frescura”, é apenas um plano imperialista. Ou comunista, tanto faz.

É claro que tem muita picaretagem em nome do meio ambiente e é mais claro ainda que os países desenvolvidos, que devastaram seus territórios impiedosamente nos séculos e décadas passados não podem sair cantando de galo, exigindo que aqui tudo seja o Jardim do Éden.

Mas daí a negar as evidências científicas de que há mudanças climáticas num planeta onde se queima combustíveis  em um ano em quantidade maior do que em muitos séculos passados equivale a outras bobagens como a Terra ser plana e sermos todos tataranetos de Adão e Eva.

Isso é assunto para ser tratado com serenidade e equilíbrio, apoiando o que é legítimo, exigindo compensações dos ricos que poluem várias vezes mais que os países pobres e, claro, bloqueando qualquer proposta que implique entregar o controle de território a organizações estrangeiras, onde quer que seja.

A ideia do “Triplo A”, um corredor de preservação que partiria do Amapá e iria até os Andes colombianos é mesmo polêmica e inaceitável se representar alienação da soberania nacional e proibição do uso racional e prudente de recursos naturais de meio milhão de quilômetros quadrados do Brasil. O que não quer dizer que não discutamos preservação da Amazônia, porque não se joga fora a criança junto com a água do banho.

A ideia do Triplo A levou um “chega pra lá” no Governo Dilma, quando a Colômbia começou a tratar do tema sem sequer um contato diplomático com o Brasil, onde ficam 60% das terras do traçado proposto. A Colômbia, recorde-se, é o mais próximo aliado dos EUA na América do Sul, recebe ajuda financeira do “grande irmão do Norte” e tem nadas menos que sete bases militares em seu território.

A tal Fundação Gaia, autora da proposta, é muito ligada a interesses ingleses.

Por aí já se vê que tipo de DNA há na proposta.

Daí a chutar o balde são outros quinhentos, até porque a questão ambiental é cada vez mais importante nas relações com nossos parceiros comerciais na Europa e com as grandes empresas mundiais. Vale dinheiro e aí estão os US$ 20 bilhões que vai custar à Volkswagen o escândalo com a falsificação dos níveis de emissão de seus motores diesel.

Mesmo no que tem alguma razão – e nenhuma para agir com este açodamento – o capitão precisa entender que não é Donald Trump, que diz o que quer e fica tudo por isso mesmo.

Até para não ficarmos conhecidos como a terra do “Triplo B”: Bolsonaro, burro e boçal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. É o “causo” da bosta, Fernando ( não falo Brito pra não entrar na equação do “B”). A bosta sai do cérebro pra bolsa, mas, às vezes, dá engarrafamento e cria o “bolsão” (de bosta), que prejudica a bússola do pensamento. Daí, que se pode jogar o planeta num bochincho por conta da burrice de um boçal, um biltre ignorante, um grande bosta, um burro.

  2. Comparar teoria da Terra plana com duvidar do aquecimento global devido ao CO2 é desconhecimento . Enquanto a primeira carece de correntes científicas, a segunda possui seus mentores que afirmam que globalmente a distribuição de calor pelo planeta é realizada pela intensidade de radiação solar, pelas correntes oceânicas e pela atividade vulcânica. Acontece que forças políticas ligadas a grupos que possuem interesse na afirmação do aquecimento global tendem a ignorar e até mesmo retirar financiamentos dos grupos que pensam o contrário, impedindo que o conhecimento a respeito do tema possa evoluir de modo científico.
    P.s. A preservação do meio ambiente possui argumentos suficientes, para ser realizada em questões como biodiversidade, controle de erosão, água ou até mesmo a respeito do clima local.

    1. Pois é … mas, tem gente que acredita que tudo tem somente dois lados … a exemplo, se não for de direita, é comunista …

  3. Se faz necessário INTELIGÊNCIA para aproveitarmos a enorme chance que a natureza deu ao Brasil.Somos quem possui a maior floresta tropical do planeta,fundamental a todo o clima do planeta,não precisa nem usufruir dos enormes recursos que nela existem,É SIMPLESMENTE VALORIZAR O QUE TEMOS E QUE OS OUTROS POLUIDORES E DESMATADORES PAGUEM PRA NÓS A GARANTÍA DA SUA QUALIDADE DE VIDA.
    De que serve a concentração de riqueza que os países ricos possuem se o ar que respirarão é poluído????
    Inteligência,determinação e PATRIOTISMO.

  4. O que os Isteites querem mesmo é que a ONU declare o Triplo A um território independente ecologicamente e, lógico, administrado por ela. Como todos sabem, onde se lê ONU, leia-se Isteites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *