A delação que saiu a fórceps e a dinheiro

As negociações do acordo de delação de Léo Pinheiro, ex-presidente e sócio da OAS condenado a 16 anos de prisão, travaram por causa do modo como o empreiteiro narrou dois episódios envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A freada ocorre no momento em que OAS e Odebrecht disputam uma corrida para selar o acordo de delação.
Segundo Pinheiro, as obras que a OAS fez no apartamento tríplex do Guarujá (SP) e no sítio de Atibaia (SP) foram uma forma de a empresa agradar a Lula, e não contrapartidas a algum benefício que o grupo tenha recebido.

A abertura da reportagem da Folha (acima) publicada em 1° de março de 2016 ajuda a entender o contexto das mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato divulgadas hoje pelo jornal e que mostram como o executivo da empreiteira foi pressionado a mudar os termos de seu depoimento.

Em setembro daquele ano, Sérgio Moro manda prender outra vez Léo Pinheiro, que tinha sido posto em liberdade depois de ser revelado que a OAS pagara propina a diretores da Petrobras. A razão da prisão, vê-se agora apenas “cobertura”, era uma “obstrução” de Justiça, em outro caso.

No ano seguinte, em abril, finalmente, houve a entrega do “prêmio”: a acusação a Lula.

O timing que peocupava tanto Deltan Dallagnol, para que não parecesse recompensa pela incriminação do ex-presidente, foi cumprido: em janeiro, a pena de  Pinheiro foi reduzida de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses, em regime semiaberto.

A mudança nas delações de Pinheiro geraram até uma estranhíssima ação judicial: Adriano Quadros de Andrade, ex-gerente administrativo da OAS, entrou na Justiça do Trabalho, pedindo que a ele também se pagassem as “recompensas” que a empreiteira deu a outros dirigentes para “adaptarem” suas confissões.

Será preciso alguma outra coisa para mostrar que tudo isso foi uma montagem?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

21 respostas

  1. Tinha esquecido dessa matéria que me causou indignação na época. Não gosto de injustiça, se tem uma coisa que me deixa doente é a injustiça, a pessoa fica indefesa diante do Estado, todo o arsenal fica do lado do Estado, é de uma covardia sem tamanho quando não se respeita o processo legal, a presunção de inocência e o in dubio pro reu.

    1. Quando o estado é usado como jagunço da lei para atropelar com uma patrol aquele que pode combater junto com o povo desperto o entreguismo de nossas riquezas e o fim da soberania nacional.

    2. E o Pulhoci aprendeu direitinho com a Delação de Prêmios a dizer o que querem ouvir. Prova documental é mero detalhe. Pode ser circurstancial pra quem tem convicção. Junte eventos de um cardápio aleatório e voilà.

  2. “(…) a pena de Pinheiro foi reduzida de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses (…)”

    O trecho acima na matéria não é o mais correto. Na verdade, Sérgio Criminoso Moro reduziu para 2 anos e 6 meses a SOMA TOTAL de todas as condenações (pretéritas e futuras) de Leo Pinheiro, que já chegavam a mais de 40 anos de prisão na ocasião.

    1. Ou seja, fica claríssimo que o marreco de Maringá negociava sentenças. Já vi muito juiz ser punido pelo CNJ por isso, por quê não valeu para o ex-juizeco de Curitiba? O que mai$ rolou no$ ba$tidore$ de$$a bandalheira toda?

  3. Morro afirmando : Moro é VENAL, SALAFRÁRIO, DESCARADO, HIPÓCRITA e um grandessíssimo FDP !

  4. Sim , precisa que os vazamentos cheguem até o TRF$4 , e os vazamentos seletivos a globo .

    1. Precisa chegar nas organizações criminosas da famiglia Marinho, a que divulga “jornalisticamente” que a família brasileira está nas ruas protestando contra a corrupção!

  5. Judiciário Brasileiro afunda inexoravelmente!
    Esta vai para a capa do News York Times…
    E o STF… eles nem sabem mais o que fazer!

  6. Assistam essa entrevista do Gilmar Mendes, é uma boa entrevista e o ministro coloca os jornalistas justiceiros da globo news no bolso, inclusive o decimo segundo ministro do STF (Merval). Fiquei muito impressionado com o trecho a partir de 54 minutos, onde Gilmar é indagado sobre a sua decisão monocrática de impedir a posse de Lula na Casa Civil. Percebi que ele já carrega um peso na consciência. Ele tem clareza que seu ato mudou a história do país e deu uma grande contribuição para uma organização criminosa que estava matando a democracia, a soberania popular e colapsando o sistema político. Ele tem clareza da dimensão do problema do seu ato e sabe que será um personagem a ter um pesado julgamento da história. Ficará marcado, inclusive seus descendentes.

    https://www.youtube.com/watch?v=Cp_A3HOMrQQ

    1. Ele não carrega peso na consciência nada! Ele é tão canalha e golpista quanto outros ministros do supreminho, ele só não foi covarde e agiu proativamente para derrubar Dilma. Agora ele procura tentar limpar o seu nome e se mostrar como um ministro sério e honesto. Mas que não é.

    2. Digo ao ministro Gilmar Mendes que numa apreciação caso a caso o ideal seria averiguar todas as sentenças cuja fundamentação envolva delações premiadas dentro do conjunto de provas para condenar alguém. O mesmo que fizeram com Lula devem ter feito com os outros condenados também. Tais processos precisam ser anulados e a decisão sobre a prisão em segunda instância tem que ser coibida.

  7. Fiquei tão estarrecida ao ler as conversas que ainda não consegui me restabelecer, apesar de ter feito um debate (desabafante) com amigos num grupo de ZAP. Essas criaturas daquela força tarefa cabem perfeitamente no que se define por pessoas de bem , conforme a reflexão do texto abaixo (autor no final do texto)

    Essa descrição
    *PESSOAS DE BEM*

    “A gente já percebeu que não adiantou o vazamento dos diálogos entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol. Como não adiantou nada quando pegaram o Dallagnol comprando apartamentos do “Minha Casa Minha vida” para especulação imobiliária.

    A turma dos Bolsomitos entrou defendendo o Promotor e o defendeu mesmo quando ele, ruborizado, decidiu devolver os apartamentos.
    Não adiantou nem mesmo os números do IBGE: *O desemprego aumentou no Governo Bolsonaro e chegamos à marca, recorde, de 43 milhões de pessoas sem renda.* No mesmo dia em que o IBGE publicou este alarmante dado, o que eu mais vi foi gente dizendo “Bolsonaro está arrumando o país e o IBGE está cheio de comunistas“.

    *E por que não adiantou?*

    Estamos lidando com uma mutação social, construída entre a Biologia e a Sociologia, que mistura o mais baixo grau de inteligência com um nível desmedido de mau caratismo. Gente que afirma categoricamente que juiz (o que realiza julgamento) pode ter lado, pode sentar frente às partes já com a sentença na cabeça, por encomenda, não só não entende o que é justiça, mas também não tem limites para alcançar o que deseja.

    Sua confusão entre Justiça e Revanche é natural, por que para ela, certo é o que lhe convém.

    Não sei se estou sendo bem claro, mas estou dizendo que estamos lidando com pessoas sem limite ético (o que é pior que estar sem limitação moral).

    Existe gente assim no PT? Existe. Existe também no PSOL, existe no PCdoB, no PCB, nas igrejas e clubes de futebol, e em todos os cantos, mas foi e é em Bolsonaro, Moro, PSL e seus compadres, que eles melhor se encontram.

    *Por quê?*

    Por que a Extrema Direita é constituída justamente pela falta de limites e o descompromisso com o respeito e os Direitos Humanos. A Extrema Direita se construiu historicamente nas bases do frenesi, do fanatismo e no horror das Massas que se repetiam nos séculos anteriores.

    As chamadas “Pessoas de Bem“, que assim se auto-intitulam, reservam a si mesmas o alto posto da mais alta correção. E para fazer cumprir esta suposta correção, recorrem à interpretações doentias: são contra o estupro, mas vibram quando sabem que o acusado de estupro será violentado em uma cadeia suja. São contra a violência, mas querem portar armas para aumentar o nível de violência e matar quando acharem necessário.

    Assim, são também contra a violência no trânsito, mas acham que crianças devem andar desprotegidas no carro.

    Para quem se acha “pessoa de bem“, não existe racionalidade e julgamento ético: Existe sim a sua moral, que sempre lhe convém no momento certo. Pessoas de bem são bedéis e juízes ao mesmo tempo, mas nunca serão réus. Na sua cabeça maluca, deus opera por todo o tempo, mas somente pelo bem delas.

    Estou desenhando este quadro medonho, apavorante, por que além de artista, sou professor de História na Rede pública e lecionando, eu tenho a capacidade de compreender como esta gente perambula pelos mais tenebrosos períodos: linchando judeus no Período da Peste Negra (1342); empalando muçulmanos na Cruzadas no Século 13; realizando os Pogrons do Czarismo no Século 19; defendendo o Darwinismo Social e deixando os desempregados morrerem de fome durante a Segunda Revolução Industrial, também no Século 19…

    É só imaginar aquela histeria coletiva, quando falando em nome de Cristo, esta mesma gente, amontoada, vibrava com uma suposta bruxa tendo sua língua arrancada em praça pública.

    Resumindo: Pessoas de bem defendem todo o mal necessário, por que na cabeça delas, o vale tudo é constante: As milícias de São Domingos; as Cruzadas; a Inquisição…

    Nos próximos dias, o site The Intercept divulgará mais e mais conteúdo das entranhas da Operação Lava Jato. Gente como eu (que não é pessoa de bem), já sabe tudo o que se esconde nos muquifos destes diálogos.

    Desde que Sergio Moro começou a cortar cabeças em 2014 e apareceu sua biografia, ficou muito claro para quem este espetáculo seria oferecido: quem era platéia e quem seria enforcado.

    Assim, não devemos esperar muito de reação popular, por que as pessoas de bem estão convictas de que aconteça o mal que acontecer, isto será sempre pelo bem delas. Tenhamos em mente o momento em que Joana Darc foi queimada pelos católicos ingleses em 1431: enquanto o cheiro de carne queimada, tal qual um churrasco, invadia a cidade, alguns voltavam sorridentes por que haviam feito o que era certo.

    No futuro, quando lerem sobre o Brasil de hoje, sentirão o mesmo que tu sentiste ao ler isto: uma incompreensão total de como pode haver tanta crueldade.

    Mas não nos assustemos: Pessoas de bem vem e vão na história, mas graças a Deus, não ficam sempre.”

    Fabiano da Costa é professor de História

  8. Muito nebuloso a ” delação” do Leo Pinheiro.
    1- A delação não foi feito em acordo de delação, so posteriormente foi efetivada;
    2 – Leo Pinheiro fez a suposta delação na condição de Réu ( podendo mentir ) e não na condição de testemunha ( sujeito a perjúrio );
    3 – A verificar se o acordo rendeu que tipos de benesses ( redução da pena, liberação de multas, soltura de prisão ou prisão domiciliar )
    Estes fatos são importantes e acho que o apagão da midia foi providencial para tornar mais nebuloso este episodio.

  9. PARCELA DO BRASIL DO BEM
    URGENTE

    Imagine o que seria (ou será) da nação brasileira e do Estado Democrático e de Direito, considerando a possibilidade de esses agentes mafiosos incrustados nas Instituições da República não serem exemplarmente punidos!…

    ***

    “Não ficará pedra sobre pedra.” Por egrégia e honesta presidenta Dilma Vana Rousseff
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *