A destruição da política só leva à ditadura e ao caos

Ruim com ele, pior sem ele, reza o dito popular.

É assim, estamos vendo, também na política.

Do processo de negação generalizada dos partidos, iniciado em 2013 – lembram-se da “proibição” de se levarem bandeiras de partidos às tais “jornadas de junho”? – à dissolução completa dos mecanismos de organização política da sociedade passou-se, relativamente, pouco tempo.

As “identidades” passaram a ser o núcleo – precário núcleo – da associação, já não calcada nas ideias, mas em condições e valores que não nos deveriam separar: gênero, orientação sexual, posições morais, religiosas, etc.

Os partidos, fundamentos da organização política que, a partir do final do século 19, conformaram a construção – defeituosa, claro – da democracia, foram dissolvidos pelos ácidos do moralismo e pelo delírio de uma “democracia direta”, via redes sociais, que transformou tudo num “like” e “deslike” que, até na posição do polegar faz recordar o Coliseu romano.

Aplaude-se delirantemente ou executa-se impiedosamente.

Como resultado, tivemos Jair Bolsonaro, mas não só.

Perdeu-se apolítica propriamente dita: a capacidade de articular, agregar, somar, reunir e, com isso, a de produzir avanços na vida das coletividades.

Os partidos progressistas têm se saído especialmente mal diante deste processo. Aceitamos a entrega do processo político a delegados, promotores e juízes.

Claro que investigações, processos e julgamentos por atos ilícitos devem, precisam existir. Mas não podem ser a regra, o instrumento de definição dos embates políticos.

A fórmula encontrada para retirar Lula da disputa política saiu do controle e destruiu, de forma avassaladora, acapacidade do país de encaminhar qualquer projeto. Pior, elevou a pior escória moral e intelectual ao leme de uma nação sem rumo.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. É confortador ler esse texto, tão completo e inteligente. A verdade, é que a elite escrota brasileira, sempre esteve no poder, e saiu do armário, quando descobriu que o povo brasileiro existe, e exige respeito.

    1. A parte de considerar a população brasileira exigindo respeito é ficção. Com a falta de conhecimento e de capacidade de entendimento, O nível dela para avaliar o jogo e as personalidades políticas é perto dfo zero. Por isto elegeram uma tropa de enganadores e de direitistas. Leia o Antonio Passos. Nosso povo acredida nos ANTICORRUPTOS. E, que dizem ter de matar 30 mil. Nada disto tem de fazer. Corrupto tem de perder os bens e passar 20 anos plantando mandioca sem pegar uma sombra.

  2. Obviamente proposital ,a destruição da política nos coloca nas mãos de líderes messiánicos,ou empresários “bem sucedidos” como se um país fosse uma empresa, fdp!!!).Soluções miltares ,o maior exemplo da apolítica, costuman aparecer como soluções “mágicas” em oposição à política.O próprio processo de GLOBALIZAÇÃO ,procurou isso porque depende fundamentalmente da destruição da política (solução negociada entre os componentes de um grupo social),que leva a eliminação do conceito de grupo,assim concluíndo no fim dos nacionalismos.O poder para as corporações industriais e financeiras,o resto?? o resto só obedece.
    Chega ser tão absurdo o propósito de eliminação da POLÍTICA,que representa desconhecer que lá,nos primórdios da civilização ,os dois primeiros sujeitos que entraram em conflito foram obrigados a negociar (política) ou se exterminar (a falta de política).
    O tema vai longe,tem inúmeros aspectos a serem analisados,mas , não existe dúvidas que a criminalização da política ,não favorece as maiorías ,É NA VERDADE O INSTRUMENTO PERFEITO PARA ÀS MINORÍAS EXERCEREM O PODER.

    1. Há que se entender que os “apolíticos” fazem política 25 horas por dia e são estes, de longe, os mais execráveis. Mas acredito que temos de acreditar na existência de políticos respeitáveis, os que realmente trabalham pelo bem comum.

  3. Esses é o resultado da associação globo/psdb/febraban/fiesp/cia/pgr-pr/justiça-pr/stf-ação penal 470/congresso nacional e população omissa e irresponsável.

    O resultado está aí para todos. Uma quadrilha familiar pondo fogo no que restou do Brasil.

  4. O brasileiro tem a idéia tosca de que o político tem que ser um ser puro, praticamente um santo. Como se descesse dos céus para vir servir a uma sociedade tão cheia de mazelas, com alto grau de corrupção, como a nossa. A imprensa constrói e se aproveita disso para manipular, desestabilizar e controlar o país. E o gado não apenas se deixa levar, como ELE mesmo elege os “demônios políticos” que vai maldizer nos próximos quatro anos.

  5. Corretíssimo quando diz que os partidos de esquerda aceitou passivamente sem nenhuma reação a sua própria destruição. Inacreditável que uma

    presidenta guerrilheira eleita por 53 milhões de votos com o poder na mão jamais teve um ato para encorajar a sua base, deixando-a completamente sem reação. O golpe não foi aplicado por um Deus relâmpago, (só pra lembrar do fracasso da nossa presidente) ele veio sendo articulado claramente, visivelmente por instituições públicas. só os fracassados líderes do poder não enxergavam ou, covardemente não queriam perder suas mordomias políticas. Nunca perdoarei tamanho fracasso.!

  6. A lógica bolsonariana vira tudo ao avesso. E se a destruição da política leva à ditadura e ao caos, então está excelente para eles. “Vamos destruir tudo para depois reconstruir”, disse explicitamente Steve Bannon (ver filme Privacidade Raqueada) para os pobres crentes pseudo-conservadores da América Latina e da Europa Oriental.

    Só que ele sabe que depois de destruir tudo, não haverá reconstrução. Todos aqueles países (e o nosso) estarão no retrocesso sem volta, domados e explorados sob os grilhões dos neocolonialistas.

    Mas se estão dando a entender que ainda estão a pensar fortemente na eleição de 2022 (só pensam nisso), é porque a corda da sofrida democracia parece que ainda vai aguentar até lá. A ditadura sem rodeios vai ficar para o segundo mandato deles.

    Por que é que eles, desde o primeiro dia de mandato, só pensam na própria reeleição? É porque o projeto que leva à ditadura e ao caos não é só de 4 anos, nunca foi, talvez seja de mais de 8 anos. Se o país não os pegar no contrapé da eleição de 22, ou afortunadamente antes, então que se prepare para a ditadura mais terrível que o mundo já viu.

  7. Solitária perpétua para a quadrilha dos mafiosos SUJO ‘mor(T)o’ &$ “DD evangélico de puteiro”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *