A fraude é Bolsonaro

Em meio a uma pandemia – o que é, ainda que não a batizem assim -, em dia de caos no mercado financeiro e de ameaças à paralisia total da já combalida economia brasileira, Jair Bolsonaro, no exterior, ainda com os afagos de Trump e cercado de miaminions , dispara que as eleições (que o elegeram) foram fraudadas.

Diz ter provas, não diz quais e não as mostra. E nem precisa. Se a imprensa o inquirir, dará bananas ou mandará seu clone palhaço distribuí-las.

A bolsonarada visa dois objetivos: distrair as atenções, enquanto a vaca nacional vai para o brejo e fazer-se de vítima, enquanto articula o mais evidente ataque às instituições, à frente de suas tropas virtuais, que urram pelo fechamento do Congresso e do Judiciário.

Todos sabem – inclusive e sobretudo políticos, jornalistas e juízes – que sim, houve fraude nas eleições passaas, mas longe de ter sido na apuração dos votos. Derrubou-se um governo, destruiu-se o partido majoritário no país e arrancou-se o candidato favorito em todas as pesquisas eleitorais, com a ajuda ativa da mídia, do Judiciário e dos partidos que – tolinhos! – julgavam que iam abocanhar o poder que pelas urnas não lhe vinha à boca.

Não contavam com um outsider feroz que, montado numa máquina virtual que excitava o fanatismo e a selvageria, tomaria deles as coleiras na matilha de ódio que formaram. A qual, agora, volta-se contra eles, porque o ex-capitão não é da política nem da negociação, é do golpe e do totalitarismo.

À direita não-selvagem – ou ao pouco que ela resta – e aos defensores da ordem democrática não se exige autocrítica nem arrependimento. Basta o dilema em que se encontram, porque não possuem força para resistir aos arroubos ditatoriais de Bolsonaro, ainda que esta chantagem com massas na rua seja um tigre de papel, porque garras e presas do presidente são outras: os militares e as polimilícias que rejeitam a ordem constitucionais e estão prontas a se sublevar em nome de seu “mito”.

Mas sabem que ainda não têm forças e unanimidade interna para isso e, portanto, precisam cultivar a vitimização do presidente, que não salva o país “apenas” porque não deixam, políticos e tribunais, fazerem isso. A “esquerda” seria, como em 64, quem estaria comprometendo a democracia, aquela das senhoras de cabelos de chapinha, de senhores desocupados e a de jovens marombeiros, devidamente trajados de camisas da CBF.

Para não lhes dar razão aos queixumes, os chefes dos outros poderes fingem neutralidade. Dizem que votam pelo bem do Brasil e ignoram, na Justiça, os grunhidos golpistas. Fingem ignorar tudo, enquanto o país ameaça entrar numa fogueira econômica que não se sabe para que lado irá arder.

Mas se sabe e se vê que Bolsonaro a assopra e não será fingindo que não se vê que as brasas deixarão de produzir labaredas.

Bolsonaro é e sempre foi uma fraude. Nunca teve não tem e não terá condições de dirigir um país, ainda mais um com as dimensões e as carências do Brasil.

Mas a cegueira ambiciosa do establishment, ao encontrar no lixo este personagem e reaproveitá-lo como via de tomada do poder num pais com a imunidade a aventuras deprimida por uma longa campanha de sabotagem ao jogo democrático, o transformou numa epidemia.

Que precisa ser contida e não o será sem riscos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

20 respostas

  1. Precisamos fazer com que o Congresso aprove imediatamente as reformas do Guedes, e pressione ao máximo para que o Guedes as apresente o quanto antes. O tempo urge. Precisamos disso, para que cessem as desculpas do Guedes por não haver crescimento. Mesmo que com isso se encha os bolsos de uma horda de picaretas da pior espécie que estão a esperar por essa oportunidade, e mesmo que isso resulte em mais lenha na fogueira da inquisição. Não haverá mais desculpas para a manutenção desse enrolão à frente da economia, e aí vai começar uma etapa final deste drama patético.

    1. Não precisamos apoiar as reformas do Guedes, e sim impedi-las antes que o país seja destruído por essas reformas. Impedir que cheguemos ao ponto irreversível da deliberada volta aos meados do século 19. O resto é conversa de bolsominions.

  2. Em Tempo:
    MARIELLE,SUA LUTA,SUA MEMÓRIA,SUA REPRESENTATIVIDADE SENDO USADA PELA GLOBO PROMOTORA DO RACISMO DO PRECONCEITO,INIMIGA DOS QUE LUTAM POR IGUALDADE ,AGENTE PARTICIPE DE GOLPES DE ESTADO.
    MARIELLE NÃO PODE SE PRONUNCIAR CONTRA O AVAL DE SEUS FAMILIARES E DE SEU PARTIDO POLÍTICO MAS NÓS PODEMOS REPUDIAR E DENUNCIAR ESSA HIPOCRISIA.
    MARIELLE SÍMBOLO MUNDIAL DE LUTA SENDO VENDIDA SUA HISTÓRIA E SUA MORTE POR TRINTA DINHEIROS.

  3. Fábio Ribeiro no GGN: “Bolsonaro confunde sua sobrevivência política pessoal com os interesses do Brasil. Trump nunca comete esse erro. Ele sempre defende os interesses norte-americanos. Quando Trump negocia com um governante caipira, inseguro e irracional o sucesso dele é imenso. No caso do Brasil, ele aproveitou a oportunidade para fazer barba e cabelo.
    Nesse momento ninguém no governo cuida dos interesses de longo prazo do nosso país. Acuado pela catástrofe econômica desta segunda-feira,
    Paulo Guedes afirmou que continuará fazendo mais do mesmo. Ele disse que usará a crise para acelerar as reformas…
    O próximo passo do tirano brasileiro será aumentar a hostilidade contra a Venezuela para desviar a atenção do fracasso de sua política externa e econômica. O maior sonho da Embaixada dos EUA está prestes a se realizar: o Brasil vai se autodestruir tentando destruir a Venezuela em benefício dos norte-americanos.”

    https://jornalggn.com.br/artigos/crise-economica-crise-politica-crise-institucional-por-fabio-de-oliveira-ribeiro/

  4. No mundo uma pandemia se espalha, e no Brasil um governo que é um pandemônio, se alastra a cada dia, tomando conta de tudo. Feito bolor em matéria orgânica em decomposição.

  5. Permita-me, Brito, classificar como brilhante a sua frase “Mas a cegueira ambiciosa do establishment, ao encontrar no lixo
    este personagem e reaproveitá-lo como via de tomada do poder num pais
    com a imunidade a aventuras deprimida por uma longa campanha de
    sabotagem ao jogo democrático, o transformou numa epidemia.” Penso como você, o establishment soube aproveitar as manipulações de informação da Rede Esgoto de TV e outros da mídia, tentou, com fracasso total, Alckmin, e acabou usando este lixo para chegar ao poder.

    A propósito, a cada vez que alguém me diz “O PT roubou”, respondo com a seguinte informação: quando quebraram o Banespa, a Nossa Caixa, o Banestado, o Banerj, o Besc, o Banco do Estado de Minas Gerais, e mais dezenas de bancos estaduais, o PT estava a quilômetros dos poderes executivos dos estados. Quem estava no poder, quem roubou e quebrou estes bancos?

  6. O comentário afirma que todo o que estamos sofrendo, é consequência das elites e suas decisões .
    O tal de “povo” parece ser um sujeito passivo,que nada decide e todo sofre .O coitado da novela que apanha e apanha, e em quem todo mundo torçe para que no final se dê bem.
    Qualquer um que tivesse o pragmatismo como referência na vida ,diría: “por que convidam a votar esse tal de povo se as decisões são tomadas pela elite e refrendadas por ele,o povo??”.
    Esse é o problema brasileiro ,o tal de “povo” ,massa ignorante, fútil, e longe de qualquer pensamento coletivo.
    O delinquente bolsoasno ,o moro e sua quadrilha,a milicada entreguista,a mídia canalha, SÃO SÓ CONSEQUÊNCIA.

    1. Eu costumo dizer que o povo não é burro porque quer, mas nem por isso deixa de ser burro. É como criança: não se pergunta se a criança quer ou não tomar um remédio, deve-se convencê-la ou até obriga-la a tomar remédio. A direita nunca teve pudor em convencer a criança a tomar um “remédio” que não precisa e até faz mal.

      1. Vc insiste em culpa a direita ,neste caso por falta de pudor.
        Mas,por qué as elites não convencem a uma parcela da população como vc ,eu,e a maioría dos que aquí comentam? “milagre”? casualidade? somos superdotados? óbvio que não.E nada tem a ver o nível de instrução,vide inúmeros exemplos de “doutores imbecís”.
        Teremos que nos manter eternamente nesse discurso de “coitadismo” enquanto a massa e sua ignorância,preguiça,imbecilidade,define se nossas vidas terão um justo retorno pelo nosso esforço ?

          1. É duvidosa a inteligente de um povo que elege um fascista. Os fascistas apoiadores do Bozonazi estão comendo o Tijolaço “pelas beiradas”. A tática de vocês é um pouco mais inteligente que a do “gabinete do ódio”. Parabéns Isabel, Carlos e Alecs, a quem vocês pensam que engana. É até possível que os três sejam a mesma pessoa.

      2. Vc insiste em culpa a direita ,neste caso por falta de pudor.
        Mas,por qué as elites não convencem a uma parcela da população como vc ,eu,e a maioría dos que aquí comentam? “milagre”? casualidade? somos superdotados? óbvio que não.E nada tem a ver o nível de instrução,vide inúmeros exemplos de “doutores imbecís”.
        Teremos que nos manter eternamente nesse discurso de “coitadismo” enquanto a massa e sua ignorância,preguiça,imbecilidade,define se nossas vidas terão um justo retorno pelo nosso esforço ?

  7. Muito bem falado! FOI FRAUDE, SIM! O primeiro colocado nas pesquisas foi ILEGALMENTE impedido de concorrer!
    Tem que ANULAR as eleições fraudadas e marcar novo pleito com Lula candidato!

  8. Muito clara a tática do palhaço.
    Dispersar. Quando a crise se instala e lança outro tema polêmico.
    Não caiamos na nuvem de fumaça do bozo.
    O problema hoje é a crise econômica. O país afunda claramente. Estamos indo ao caos. Hiperinflação é pouco. Vem os saques.

  9. label vargas, que sábias palavras!!! há muito que venho tentado dizer isso, a ideia de elite no brasil é no mínimo questionável, classe média também, no fim o que sobra é só povo uns mais outros menos remediados, se continuar com a a ideia de vitimizar o povo, estaremos sempre dando asa para as cobras semearem o caos, o certo é estimular e depois obrigar o pensamento coletivo junto com sentimento de nação e depois criminalizar qualquer coisa que se contraponha a isso. Para o nosso bem e do próprio povo. Se tem uma coisa que o povo odeia é tal da liberdade, dê liberdade a eles e eles sempre clamaram por quem lhes tire para o mal deles.

  10. Sabemos que Bolsonaro é um mentiroso. Mas vamos aceitar como verdade o que diz e dispensar a apresentação das provas que diz ter. Se a eleição de 2018 foi uma FRAUDE, então ela deve ser ANULADA e convocadas NOVAS ELEIÇÕES.

  11. O texto é impecável. Mas o que mais me chamou a atenção e eu não sabia, foi o lugar de gestação da criatura: “ao encontrar no lixo este personagem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *