A geringonça funcionou outra vez

Definidas 80% das 230 cadeiras do Parlamento, o Partido Socialista Português caminha para uma vitória expressiva e, até, para obter uma impensável maioria absoluta, que consolida o governo, do primeiro-ministro Antônio Costa, até agora sustentado por uma coligação a que os portugueses chamam de geringonça, que parece ter funcionado.

Ele ainda não admitiu abertamente que seu partido terá número para formar sozinho o governo e diz que o controle do Parlamente é “um cenário extremo não previsível”.

Já é previs´tivelm sim, porque o PSP tem 55% das cadeiras já preenchidas, embora com 42% dos votos, porque no sistema distrital do voto português, os votos não se somam como no Brasil, considerando-se apenas os que conquistam cadeiras nos distritos

A nota triste é que a extrema direita, com o “Chega” – o bolsonarismo de lá – será a terceira força política do país, com pouco mais de 7% dos votos.

O Bloco de Esquerda e o PCP romperam a maioria que formavam com o PS e tiveram uma péssimo resultado. Tomara que este crescimento do fascismo os faça ver que pequenas disputas não podem anular um grande dever.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.