A morte como estratégia

Não surpreende ler na Folha que Jair Bolsonaro pode demorar para escolher novo ministro da Saúde.

A aposta do presidente é muito diferente de agir para minimizar os danos humanos da pandemia. Ao contrário, ele espera que o desastre humanitário não apenas desmoralize os governos que adotam medidas restritivas, como desencadeie um processo de sofrimento e convulsão social que ampare a tomada de medidas de força.

Sobre as ações de saúde, basta-lhe continuar a agitação da pantomima da cloroquina, como a dizer que são os médicos e os governadores que não querem dar ao povo a cura que o presidente promete, embora já não haja ninguém sério que creia que seja.

Aliás, é difícil para qualquer pessoa mentalmente equilibrada entender o pensamento do ex-capitão, mas todos os fatos concretos mostram que é assim a sua conduta.

Quanto mais o país afundar, mas sentirá como positivo o pequeno alívio da “retomada”, ainda que ela seja pequena, quase inexpressiva, como o alívio de quem tira apenas uma volta do torniquete que o garroteia.

Além do mais, ele conta com a tibieza das reações do Legislativo e do Judiciário – mais o primeiro que o segundo – para que possa seguir, com uma legião de zumbis humanos e robôs virtuais, a se imporem sobre um povo entocado, impedido de ir além das inócuas panelas na janela.

A “arminha” do ex-capitão é aquilo a que ficaram reduzidas as Forças Armadas, comandadas de fato por uma turma de generais provectos e desavergonhados, que trocam sua honra pela proximidade do poder e pela garantia de que o país não se erguerá.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. Esse verme,o BÓSTA-ONARO,sintetiza o que o que chamam FORÇAS ARMADAS,ESPERA E ESPERAVA QUE ACONTECESSE ,NO BRASIL,DESDE QUE SAÍRAM DO GOVERNO DITATORIAL,RESULTADO DO GOLPE DE 64.Essa turma de PARASITAS,se utiliza do que chamam JUDICIÁRIO,LEGISLATIVO E OUTROS ASSEMELHADOS,e a maioria do povo,que age hoje,como agiu durante TODOS OS GOLPES DAS ELITES,que aconteceram no Brasil,desde sempre,APLAUDINDO DE PÉ,OS DITADORES.Com um POVINHO DE “M”COMO ESSE,QUALQUER RATAZANA,SE SENTE SOBERANO.

  2. A charge do Montanaro resume o que estão a falar, que os militares constituíram um partido e que este partido é semelhante ao Centrão. E Bernardo Melo Franco em seu artigo de ontem no jornal O Globo resumiu toda a tragédia do atual protagonismo político dos militares: “Eles colaram a imagem das Forças Armadas a um presidente que põe o próprio povo em risco e usa o poder para proteger os filhos da polícia”.

  3. 23 de março de 2020 – Começa em Manaus o experimento macabro CloroCovid-19 em que médicos entupiram pacientes pobres com doses maciças de 12 gramas de cloroquina, 4.4 vezes a dose máxima indicada pelo ministério da saúde, de 2.7 gramas. O objetivo do experimento era comprovar a droga milagrosa do Genocida, para entupir toda a população brasileira com o veneno. Em poucos dias, a equipe desistiu, já com 11 pobres mortos na ‘amostra de carne barata de preto, índio, caboclo‘, e retomou para todos os pacientes ainda vivos a dosagem menor de 2.7 gramas.

    23 de março de 2020 – No mesmo dia em que o macabro experimento CloroCovid-19 tem seu início em Manaus [1], o exército fascista de ocupação do Brasil começa, a mando do Genocida, a produzir cloroquina em massa. Foi mera coincidência ou início da transformação do experimento macabro em experimento nazista contra o pobre povo brasileiro?

    – – – – – – – – – – – – –
    [1] https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2765499

  4. Bate Papo de Alto Nível entre um Bolsonarista (B) e quem não é (A):

    A – Mas vc não acha que a Covid-19 pode matar muitas pessoas no Brasil?
    B – Claro que não, isso nunca existiu, o Mito falou, chega, cala a boca.

    A – Mas vc não está vendo que o Covid está matando milhares de pessoas no Mundo inteiro?
    B – Vc é um idiota, isso é coisa de comunista, na França, Inglaterra, Alemanha, Itália, … só tem comunista, eles querem dominar o Mundo, porra.

    A – Vc está enganado, esses países não são comunistas, aliás o comunismo é um regime ultrapassado, praticamente não existe mais.
    B – Como não, o Lula é comunista, queria dar dinheiro para pobre e depois ia colocar pra morar na tua casa, mas não é só ele, o Luciano Hulk, o FHC, o Dória, …. e até a Anita, são todos comunistas, graças a Deus o Bolsonaro nos salvou.

    A – Mas o Bolsonaro quer criar um novo AI-5, quer fechar o Congresso e o STF, isso não seria uma Ditadura?
    B – Onde que isso é Ditadura, nós vamos dar liberdade total para que pensar como nós, no resto nós enfiamos a porrada, o Brasil acima de tudo.

    A – E o desmatamento, aumentou muito nos últimos meses, sem contar nas queimadas do ano passado.
    B – Toma vergonha na cara, vc não está vendo que as queimadas foram feitas pelo Leonardo Di Caprio, como vc é ignorante e desinformado.

    A – Vc acha que a cloroquina pode matar o coronavírus?
    B – Lógico, eu tomo preventivamente, uma colher de sopa de manhã e outra a noite, ao deitar, já faço isso a uma semana, estou num pique total, meu coração está aceleradão.

    A – Desculpe, mas eu discordo totalmente de vc sobre tudo que nós conversamos.
    B – Eu vou pegar todos os teus dados pessoais e vou mandar para o general Heleno, porque vc vai ser chamado para depor, ah, esqueci, nós vamos criar, novamente, o DOI-CODI.

    A – Mas vc não acha que o diálogo e os pensamentos opostos aprimoram as nossas opiniões?
    B – Claro que sim, desde que o meu prevaleça, mas já estou de saco cheio de vc, …., sargento, vem cá, prende esse comunista.

    E a conversa acabou aí.

  5. A charge do Montanaro resume o que estão a falar, que os militares constituíram um partido e que este partido é semelhante ao Centrão. E Bernardo Melo Franco em seu artigo de ontem no jornal O Globo resumiu toda a tragédia do atual protagonismo político dos militares: “Eles colaram a imagem das Forças Armadas a um presidente que põe o próprio povo em risco e usa o poder para proteger os filhos da polícia”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *