A política tira a máscara

Donald Trump e Jair Bolsonaro aparecem, agora, de máscaras contra o coronavírus.

Os dois maiores negacionistas do planeta, os homens que desdenhavam da Covid-19 e clamavam pela volta imediata das atividades econômicas estão se adaptando à evidência de que suas estratégias eram, como todos sabiam, suicidas.

Nesta terça-feira, pela primeira vez desde o dia 9 de junho, o número de mortes pelo novo coronavírus nos Estados Unidos passou de 1 mil: 1.119 óbitos.

Com o crescimento do número de casos nos últimos 20 dias, era esperado que isso fosse acontecer, assim como temos de esperar isso por aqui.

Donald Trump admite que “a situação vai piorar antes de melhorar”.

Jair Bolsonaro levanta caixinhas de cloroquina como salvação.

Mesmo injetando na economia dinheiro em quantidades nunca vistas na história de ambos os países os dois não conseguem sustentar a popularidade que os elegeu.

Os piores prognósticos de duração da pandemia – e, em consequência, da retração econômica – estão se confirmando e o funcionamento marginal da economia que conseguem manter, não há chance de ser diferente, segue trabalhando dois dígitos abaixo de um “normal” que já era desanimador.

Há três ou quatro meses, ninguém apostaria numa explosão de insatisfação popular nos EUA e, depois dos protestos raciais do mês passado, assiste-se agora um levante contra o eleitoreiro envio de tropas federais feito por Trump aos estados de maioria democrata.

Não há sinais de que isso vá acontecer aqui, mas lá também não os havia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. ” Assim na terra como nos céus ” . As religiões cristãs tem muito disso . O sujeito peca até o último instante , e no finalzinho no apagar das luzes se arrepende de seus pecados e ganha a salvação .
    Depois de milhares de mortes , que poderiam ser menores , os negacionistas ensaiam o perdão . E com certeza tanto lá como cá , ou pode se dizer , qualquer que seja o povo á memória é o presente . Trump vai reverter .

    1. Um médico que por imperícia ou negligencia cause a morte de UM paciente pode ser preso…
      Chefes de Estado que trabalharam/trabalham (inclusive estimulando campanhas massivas de mentiras que visam impossibilitar qualquer tipo de quarentena e isolamento social) para majorar o estrago da mais grave pandemia em quase um século vão passar impunes?!

    2. Um médico que por imperícia ou negligencia cause a morte de UM paciente pode ser preso…
      Chefes de Estado que trabalharam/trabalham (inclusive estimulando campanhas massivas de mentiras que visam impossibilitar qualquer tipo de quarentena e isolamento social) para majorar o estrago da mais grave pandemia em quase um século vão passar impunes?!

  2. Para quem entende inglês e tiver interesse em saber o que está acontecendo em Portland, o áudio no link a seguir mostra o contraste entre a narrativa de um reporter presente em todos os protestos em Portland e a narrativa oficial. Aborda também as implicações mais amplas desta estratégia de trump.
    Cenas típicas de um estado policial, de ditaduras brutais, justificadas como defesa da lei e da ordem, que é a plataforma com a qual trump procura recuperar terreno e fazer disto cavalo de batalha eleitoral. Mesma narrativa tanto do bozo como de moro.
    O reporter diz claramente que a violência é iniciada pelas forças policiais. Mesmo padrão que temos observado no Brasil nas manifestações oposicionistas. Moro enquanto ministro da justiça aplicou exatamente o mesmo modelo de uso da força policial.
    https://the1a.org/segments/what-are-federal-officers-doing-in-portland-oregon/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.