“Acordão” repartindo verbas dependeu de entregar um pé da botina antes

Diz que, na roça de antigamente, o coronal dava um pé de botina antes do voto e o segundo só depois de aberta a urna.

Ficou desta maneira o acordo para votar o veto presidencial a dispositivos no Orçamento que tornavam impositivo o pagamento das emendas de bancadas aprovadas no Orçamento.

Segundo O Globo, “antes da análise dos vetos, o Congresso fará uma sessão para aprovar o texto, e o presidente irá sancioná-lo. Só depois desse trâmite é que deputados e senadores irão apreciar os vetos de Bolsonaro “.

Ou seja, Bolsonaro precisa entregar a botina que dará mais uma parte do Orçamento aos parlamentares, como era perceptível mesmo com as bravatas.

Primeiro pé da botina, depois a botina no pé.

E tudo isso com a economia mundial desabando, o dólar a R$ 4,51, o PIB embicando para baixo, coisas menores que a garantia da do asfaltamento dos três km da estradinha entre Miracaí e Vejaqueutombo.

Nenhum dia melhor do que hoje para lembrar da expressão “Anões do Orçamento”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. Pode parecer que esta é a modorrenta rotina do Congresso, aprovar medidas e leis e receber em troca grana para seus projetos locais. Só que agora seu inocente voto pode estar pondo permanentemente em risco a soberania, a democracia e as políticas sociais do país.

  2. Brito. Esse Dolar a R$ 2,51 nem nos bons tempos de Lula e Dilma em que ficava sempre abaixo de R$ 2,00 Você poderia corrigir para R$ 4,51. Mas nem precisa. Todo mundo entendeu.

  3. brito nem precisa corrigir o valor do dólar. A gente entende. Somos do lado de cá, como você, mestre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.