Apesar de tudo, a política se move…

Política é, também, saber observar de onde vem o vento.

A súbita re-união Jair Bolsonaro-Sergio Moro, ao ponto de o primeiro ter exibido o segundo como troféu na ONU é sinal de que, ao menos por enquanto, tocou reunir na tropa da extrema direita e isso só ocorre, sabem os militares, quando é necessário entrar em posição defensiva, mesmo que seja para contra-atacar.

A derrota dos vetos presidenciais à lei de abuso de autoridade, ontem, embora previsível, assumiu ares de confrontação com Moro explícitos.

Tanto que, neste momento, a turba bolsomorista fala em “ucranizar” o Congresso, numa referência ao comediante Volodymyr Zelenskiy, eleito presidente do país quase sem partido e que dissolveu o Parlamento, para eleger outro que lhe fosse caninamente fiel.

Hoje à tarde, o STF analisa pedido semelhante ao que a 2ª Turma acolheu, há quase um mês, anulando uma sentença do então juiz Moro e poucos esperam um resultado diferente daquele 3 a 1.

À exceção de Luís Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin, não há sinais de que outros ministros vão fazer enfrentamento mais forte e o próprio Luiz Fux, o “we trust”, dependerá do que o seu senso de oportunidade lhe ditar.

A decisão de hoje tem mais importância do que a tomada há um mês. Se confirmar-se a decisão, será a primeira derrota de Moro no plenário do Supremo.

Não esperem reação civilizada da matilha.

O processo político volta se radicalizar, em escala muitíssimo maior do que a registrada até agora, período em que, exceto por escaramuças pontuais, o centro e a direita formaram com Bolsonaro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Concordo com sua decisão mas vejo outros detalhes também. Vamos imaginar as reações mundo afora da evacuação oral do des-presidente do brasil, na Onu. O mundo viu agora o que nós, brasileiros sensatos, já sabíamos há tempos. A imagem para um Brasil que arde com sua Amazônia, que radicaliza contra minorias, que destrói benefícios sociais dos trabalhadores e que mantem, há mais de 1 ano um PRESO POLÍTICO, pode dar ao Supremo o “feeling ideal” de fazer voltar ao Brasil a CIVILIDADE. Os ratos bolsominions vão enlouquecer? Claro que vão. Mas não esqueçamos que grande parte desses bolsominions são robôs idiotizados. É hora do Brasil começar a voltar ao normal.

  2. LAMENTO TER SIDO NECESSÁRIO ARDER EM CHAMAS AMAZÔNIA PARA O MUNDO CRITICAR O NAZISMO A BRASILEIRA E NÃO UM GOLPE DE ESTADO E VIOLAÇÕES DE DIREITOS.
    FICA CLARO E VERDADEIRO QUE O QUE OCORRE AQUI É PROBLEMA NOSSO,SOMENTE UMA REAÇÃO ACIMA DO AGRAVO NOS SALVARÁ A [email protected]
    COMO DISSE MINO CARTA:
    “FALTA SANGUE NA CALÇADA”

    1. Isso ficou claríssimo, o mundo só está preocupado com o Brasil no que diz respeito à Amazônia.
      Quanto ao resto (nazismo, fascismo, destruição da nossa fraca democracia, violação de direitos humanos, escravização do trabalhador, entreguismo, preconceito e perseguição contra todos – minorias ou maiorias – que não se submetem aos valores dos brancos e ricos cristãos reacionários conservadores de direita) não estão nem ai.
      E eles não estão errados, pois devem pensar: se o próprio povo brasileiro não está nem ai para tudo isso que está acontecendo com eles, por que deveríamos nós intervir?
      E o fato é que a maioria do povo não está mesmo nem ai para tudo que está acontecendo. Nós, que somos mais esclarecidos e estamos sofrendo com as tragédias que se abatem diariamente sobre o Brasil, somos minoria. E é por isso que não temos forças para reagir. A grosso modo, um terço da população ainda apoia Bolsonaro, outro terço da população não apoia Bolsonaro, mas tampouco participa ou sequer apoia movimentos para estancar essa sangria. O último terço é representado por nós, que não conseguimos sequer convencer nossos amigos e parentes próximos da gravidade da situação. Nessas condições, o que podemos fazer? Ir à luta nos transformando em mártires vai ajudar em alguma coisa a curto ou médio prazo? Se ajudasse, eu toparia.

      1. Sim. O “mundo civilizado”, os países do Norte Global, só são “contra” o Bolsonaro até a página dois. É jogo de cena: odeiam a forma abjeta e grosseira, mas adoram o conteúdo neoliberal e entreguista. Estão, na verdade, adorando a derrota das esquerdas no Brasil, os ganhos do capital sobre o trabalho, a redução do território brasileiro a um gigantesco plantation neocolonial. Lembrando que o “mundo civilizado” tolerou – e até elogiou – Hitler enquanto ele massacrava os comunistas e destruía o movimento operário na Alemanha nos anos 30. É dureza reconhecer, mas o velho barbudo tinha razão: “uma vez como tragédia, outra vez como farsa”. O parlamento europeu acabou de passar uma resolução criminalizando o comunismo. Dou 5 anos para a “civilizada” Europa ser completamente dominada pelo nazismo tout court. Nos anos 30 eram os comunistas, os ciganos e os judeus, agora são qualquer coisa à esquerda da Rainha da Inglaterra, os refugiados de guerra e os imigrantes.

        1. sua análise é verdadeira e sombria. imprerialismo, racismo, opressão de classe. a brutalidade dos verdadeiros donos do poder é ilimitada. e há hordas de descerebrados vociferando a favor de seus próprios algozes.

    2. Não acredito que o mundo está preocupado com as queimadas na Amazônia ou na Floresta Amazônica. As populações do mundo todo podem estar. Mas os dirigentes dos países desenvolvidos, não!! Vão é tentar tirar proveito econômico da situação.

      Parece contraditório o que eu disse, mas está baseado no fato de que a opinião do “mundo” é o que a imprensa mundial fala. E esta esta ajoelhada para o grande capital, que controla os governos.

  3. Se o STF não recolocar o Estado de Direito nos eixos imediatamente, as coisas podem ficar muitíssimo piores.
    Quanto mais tempo levar, mais a extrema-direita e o fascismo se organizam para tomar de vez o poder e transformar o Brasil em uma ditadura teocrática.

  4. Não tenho a mesma visão otimista externada pelo editor deste Tijolaço. Considero praticamente nulas as chances de alguma sentença absurda contra o Presidente Lula ser anulada por esse STF partícipe do golpe de Estado.

    1. Acontece que a moral do çupreminho está no chão.É agora, ou faz alguma coisa agora ou fecha isto “ai” de vez,
      Como é possível a Corte mais alta da Justiça possa (com tem feito) gindo como uns borra botas??????

  5. “Não esperem reação civilizada da matilha”
    Ontem percorri algumas caixas de comentários (UOL, Correio Brasiliense, Notícias Agrícolas, etc). À primeira impressão, é como se Deus finalmente tivesse se manifestado. “Este (Bolsonaro) é meu filho a(r)mado”. A reação inversa não será menor, caso o Moro perca no STF

  6. Uma das afirmações bolsonarianas que mais repercutiu pelo mundo afora foi aquela em ele afirmou que era falsa a constatação dos cientistas de que “a Amazônia é o pulmão do mundo”. Tal afirmação foi tida como ridícula e até inacreditável, ainda mais porque ele falou que os cientistas fizeram uma constatação, ou seja, uma constatação científica.

  7. O termo “ucranizar” tem uma definição clássica mais precisa: Oclocrassia, que vem a ser exatamente o poder descontrolado da turba, da agitação e pressão física direta sobre pessoas e instituições públicas. Foram oclocrassias os camicie nere, as sturmabteilung, como são as hordas que ocuparam Maidan, onde foram nutridas com as ‘rosquinhas’ ofertadas por Victoria ““fuck the EU”” Nuland, e agora os bolsominions das redes sociais.

  8. O jovem nao vai comer hamburguer na lanchonete q vende carne brasileira
    Supermercados nao vao vender nada
    Quem sabe aluados do Bozo comprem como Chia Russia e Venezuela

    Argentina Canada Australia agradecem o boicote

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.