Aras é o “Envergonhador Geral da República”

O Ministério Público viveu hoje uma das cenas mais vergonhosas de sua história.

Ver seu chefe, Augusto Aras, ser chamado como um colegial relapso à sala do “diretor” Luiz Fux para ouvir que ele tem que cumprir o seu dever e não fingir que nada está acontecendo é algo impensável para quem tenha, junto com as barbas, alguma vergonha na cara.

As notas oficiais de ambos são um monumento à tautologia: foi “reiterado o compromisso com o diálogo institucional”, o diálogo versou sobre “o contexto atual”, e “Fux e Aras reconheceram a importância do diálogo permanente entre as duas instituições”.

Era melhor que tivessem dito que conversaram sobre onda de frio, o azar da moça que foi desclassificada na marcha atlética ou sobre o jogo de vôlei da seleção, hoje cedo. Fria mais sentido.

Imaginem se o que descreveram fosse verdade:

— Bom dia, Dr. Aras!
—É boa tarde, Dr. Fux, passa um minuto do meio-dia! Mas não podemos deixar que essa divergência menor atrapalhe o diálogo…
— Diálogo institucional, pelo bem da República.
— Verdade, sobre o que será o diálogo?
— Sobre o contexto atual.
— Sim, sobre o contexto atual de hoje do mundo em que vivemos…
—E o que o senhor acha dele…
— Bem eu vejo nuvens negras se formando, mas não vamos achar que elas são ameaçadoras porque, afinal, estamos numa crise hídrica.
—Crise?
— Crise hídrica, porque no restante as instituições estão funcionando.
—Mas como, o senhor não viu o Presidente chamando o Barroso de fraudador e o Moraes de mentiroso?
— Foi? Essa semana nem tive tempo de ler jornal, tinha um vazamento…
— De inquérito sigiloso?
— Não, no cano do banheiro do apartamento. Mas me conta, Dr. Fux…
— Conto. Até dez, até vinte ou até cem? o senhor parece que gosta de pique-esconde…
— Não senhor, estou fazendo o que é o meu dever…
— E o que o senhor está fazendo?
— Ora, estou fazendo hora até ser reconduzido ao cargo, perder esta “boca” seria um crime e crimes eu não posso permitir.
— E o senhor vai levar muito tempo para agir, Dr. Aras?
— Não, vou levar o mesmo tempo que o senhor levou para dar fim ao auxílio-moradia, Dr. Fux.

Toga rápida, se é que isso é possível.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email