Aras fará de denuncia contra Bolsonaro trunfo para o STF

A notícia crime apresentada hoje pelos senadores Randolfe Rodrigues, Fabiano Contarato e Jorge Kajuru, embora mais que suficiente de elementos, representa um enfraquecimento da CPI da Covid e, infelizmente, vai ajudar pouco, acho eu, na responsabilização de Jair Bolsonaro.

E isso acontece porque abre um caminho para que o Procurador Geral de República sirva-se dela para capitalizar sua ambição de ser indicado para a Corte Suprema pelo atual presidente.

O caminho natural da ação provavelmente será o de que a ministra Rosa Weber, sorteada para relatora, peça informações ao Palácio do Planalto e, depois disso, que envie o caso a Aras para que ele decida se deve promover denúncia a fim de processar criminalmente Bolsonaro.

Alguém acredita que ele o fará, faltando 15 dias para a aposentadoria de Marco Aurélio Mello e, consequentemente, para que o presidente possa encaminhar a nomeação de quem irá ocupar sua vaga?

Francamente, acreditar nisso é como crer em Papai Noel.

Politicamente, seria mais vantajoso que esta notícia crime amadurecesse e fosse, afinal, encaminhada pela própria CPI, por deliberação da maioria de seus membros, mesmo antes, se necessário, do relatório final.

Se a CPI será, como tudo indica, prorrogada por 90 dias, o procurador geral da República, então, ou será outro ou será o próprio Aras, mas sem depender ou aspirar de uma indicação ao Supremo.

E, ainda assim, será preciso submeter o pedido de abertura de investigação – com o afastamento do presidente, à Câmara dos Deputados e obter, lá, 342 votos para a abertura de um processo judicial.

Nada disso parece, hoje, ao alcance da oposição a Bolsonaro, embora, claro, possa estar, dentro de algumas semanas.

O grande mérito da oposição no processo em curso na CPI vinha sendo o de construir maioria.

É pouco compreensível que, mesmo com boas razões para agir, opte por fazer isso de forma fragmentada.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.